Publicidade
Seg 17 Jul 2017

Companhia de presença mundial, NewHotel Software quer expandir presença no mercado brasileiro

Versatilidade de utilização é uma das características da ferramenta NewHotel Software (foto: divulgação/NewHotel)

Empresa com mais de 30 anos de atuação no cenário mundial de hotelaria, a NewHotel Software está no Brasil há três anos. O período serviu para conhecimento do mercado nacional e consolidação da marca. Passos dados, a empresa espera agora ganhar mais clientes e fazer de seus serviços e sistemas, ferramentas de desenvolvimento no mercado de hospitalidade nacional. 

Fundada em 1984, a companhia tem sede em Portugal mas está presente em 55 países, com mais de três mil clientes. Dona de soluções tecnológicas consideradas inovadoras, a empresa lançou, em 1996, a sua primeira versão em ambiente Microsoft Windows suportado pela base de dados ralacional da Oracle e gerador de relatórios Crystal Reports. Seus sistemas estão integrados numa única plataforma e base de dados para a gestão de PMS do hotel, Front-Office, Ponto de Venda, Alimentos e Bebidas, Contas Correntes, Spa & Wellness, Banquetes - Eventos e Convenções, Golfe, Condomínio & Multi- Propriedade, Hotel Group, Hotel Complex, CRS, bem como Channel Management, Motores de Reserva e CMS (Content Management System).

Tantas siglas podem confundir quem não é do ramo mas fazem sensível diferença para o cotidiano nos hotéis e sobre isso, Daudier Berteli, diretor Comercial da companhia, falou à reportagem numa entrevista detalhada logo abaixo.

* Por Filip Calixto

Hôtelier News: Quem é a NewHotel e que tipo de serviço ela oferece?
Daudier Berteli: A NewHotel é uma empresa de software para auxiliar na gestão hoteleira. Nosso principal objetivo é fornecer um produto que serve para o gerenciamento operacional, tendo o PMS como o principal deles. Temos também ferramentas adicionais: motor de reservas, gerenciador de canais, CRM para gestão de equipe comercial e análise de desempenho em vendas para empresas, entre outros.

HN: Presença da empresa no mundo e no Brasil?
Berteli: A Newhotel está bem representada tanto no Brasil como no mundo. Está presente em 55 países com mais de três mil clientes, com trabalhos em hostels e hotéis de redes. No Brasil estamos em sete Estados. Hoje nós estamos em São Paulo, em Curitiba, em algumas cidades da Serra Gaúcha, em Cuiabá, no Rio de Janeiro, em João Pessoa e Belo Horizonte. 

HN: Em quais e em que tipo de empreendimento a companhia está em solo brasileiro?
Berteli: Estamos na rede Porto Bay, NH Hotels, grupo Starlis (em Cuiabá), San Diego Barro Preto (Belo Horizonte), LSH Barra (antigo Trump Hotel, no Rio). Também nos hostels Hoshtel, Enjoy - ambos no Rio de Janeiro) e em 20 pousadas localizadas na Serra Gaúcha. Nessas pousadas, que são nossos primeiros clientes no Brasil, ocorreu um trabalho muito interessante. A gente desenvolveu, para o site do grupo de pousadas, um sistema que, ao escolher o meio de hospedagem o cliente é direcionado diretamente para o motor de reservas daquela propriedade em específico. É como se fosse uma rede de hotéis independentes.

Também estamos nos resorts Iberostar, da Bahia. Só que com contratos firmados a partir de Portugal, sede europeia da companhia. 

Daudier Berteli, diretor Comercial da NewHotel Software no Brasil
(foto: Filip Calixto)

HN: Por que é vantajoso para o hoteleiro utilizar o serviço NewHotel?
Berteli: Acredito, em primeiro lugar, que hoje o nosso suporte seja o diferencial. Ele serve pra tudo. Dúvidas, alguma dificuldade, solução de problemas no manuseio, possibilidade de acrescentar novas ferramentas.

O segundo ponto é que o cliente tem a confiança de ter em mãos uma ferramenta completa com a qual ele vai poder suprir todas as necessidades. É um instrumento também feito para converter consultas em vendas e o sistema está pronto para isso, por conta da integrações que oferece. Também é uma plataforma com utilização prática, permite integração com chave magnética, com internet, com equipamentos de telefonia e com facilidades hoteleiras do cotidiano. Para a gestão operacional isso é muito importante.

Na parte da gestão de vendas também é um produto interessante porque orferece CRM. Essa ferramenta ajuda a conhecer quem é o seu cliente e na fidelização dele. Mostra perfil de compra dos hóspedes, mostra o desempenho financeiro por região. São informações fundamentais para montar uma ação voltada para uma região específica, por exemplo. 

HN: Como é a equipe de vocês no Brasil?
Berteli: É um time bem enxuto, dividido nas áreas comercial e técnica. Temos três colabouradores e teremos mais um, totalizando quatro na área comercial. Já na área técnica são dois colaboradores. Isso porque temos também uma equipe de 24 horas que atende queixas e problemas de nossos clientes. Esse atendimento, que fica disponível o dia todo, é feito por uma central, em Portugal, e presta ajuda para qualquer suporte. Nós também ajudamos aqui mas não é nosso principal trabalho. Quem presta o suporte com mais frquência é a equipe portuguesa que atende por telefone, skype, chat, tem também o 0800. 

HN: Como são os detalhes dessa equipe técnica?
Berteli: A nossa equipe técnica acaba trabalhando em melhorias, principalmente em POS para o módulo de PDV. Tem muito produto desenvolvido pela equipe do Brasil. E é ela também que organiza algumas melhorias na parte prática do sistema, quando atendemos chamados com sugestões de acréscimos no sistema. Essas requisições são atendidas primeiramente pela equipe do Brasil para, num segundo momento chegar a nossa equipe de Portugal. 

HN: Por que é importante para um hotel contar com uma ferramenta desse tipo?
Berteli: Primeiro fator é que esse equipamento te dá visão de mercado. A possibilidade de ter acesso às informações que fazem o negócio acontecer. São indicadores que podem te dar um norte.

A médio e longo prazo dá para dizer que quando você tem um sistema desse rodando no seu hotel é possível saber exatamente onde você estará daqui há meses e até daqui a um ano. São informações que te dão a possibilidade de estudar qual estratégia será aplicada ou melhorar a que está em uso. Sem esse sistema você depende do seu departamento de vendas passando as informações de reservas.

Também ajuda no ponto de vista da tática de atuação no mercado pois compara períodos regiões, vendas, receita. A questão de ter um sistema é estar num período da história ou em outro. Ou na idade da pedra ou no presente. E aí é tirar proveito do que ele te oferece é o que te faz estar à frente de sua concorrência.

HN: Cientes da importância que essa ferramentas têm para o mercado. Como vocês trabalham para fazer a NewHotel maior no Brasil?
Berteli: A empresa está há três anos no País e passou por algumas etapas. As primeiras foram para conseguir conquistar os parceiros ou clientes certos - empresas e pessoas que entendam nosso sistema e como ele pode ser bom. Esse período foi de consolidar o produto e agora começamos a expandir a presença.

HN: Como um hotel está capacitado para receber o sistema de vocês e qual o tamanho ideal desse empreendimento?
Berteli: Somos um tanto inovadores em comparação com o que é oferecido no mercado. Porque nós oferecemos tanto produtos em plataforma Windows - que exige infraestrutura de servidor, hardware mais completo -, como também oferecemos em plataforma Cloud  - onde a única coisa necessária é computador e internet, sem grandes investimentos.

Para quem está abrindo um hotel, o Cloud é mais interessante pois não tem um investimento tão grande em hardware e vale pro custo a longo prazo porque servidores têm vida útil que precisa ser respeitada. Ou seja, essa é uma modalidade indicada tanto ao hotel que já está em funcionamento como os que ainda não abriram. Ou ainda uma terceira via que são hotéis que já estão querendo eliminar os servidores. Além disso, o Cloud tem outras ferramentas adicionais, como por exemplo o mobile manager, no qual o hoteleiro consegue acessar as informações do hotel pelo celular. Tem ainda o guest mobile, no qual o hóspede consegue fazer um pré-check-in, acessar a conta pelo celular. Então acaba tendo um monte de possibilidades.

HN: Como funciona o mobile manager?
Berteli: Esse é um sistema aplicado a dispositivos móveis no qual o hoteleiro tem acesso às principais funções da ferramenta. Por ele, o hoteleiro consegue fazer check-in, check-out, verificar status de quarto e uma infinidade de outros processos. Nosso sistema tem uma facilidade que é a tela inicial com uma visão geral do hotel. Com o panorama de como está a taxa de ocupação, quantas entradas e saídas previstas e quantas já ocorreram. E 90% dos relatórios da pra acessar pelo mobile manager também. 

HN: Entre Windows e Cloud. O que faz de um sistema mais usual ou melhor que o outro?
Berteli: Na verdade vai muito de acordo com o momento e com a intenção do hotel. No Windows o cliente adquire a licença. É ela quem dá acesso ao suporte 24 horas, ao 0800 e a todos os outros atendimentos. No Cloud o cliente paga uma espécie de mensalidade para usufuir do software. Quando se tem um produto Cloud, ele está hospedado na nuvem. 

Acho o Cloud mais vantajoso, primeiro porque é uma tendência de mercado que prevê cada vez menos custo com hardware, e oferece a possibilidade de ter uma gestão de sistema sem ter um funcionário especializado em banco de dados (isso já está incluso na nossa oferta). Não vai tirar a necessidade do hotel de ter um profissional de TI, permite que se tenha economia maior a longo prazo, porque não vai precisar de troca de servidor com o passar do tempo.

HN: Como avalia o custo-benefício do sistema para os hotéis?
Berteli: Avalio como bem atraente. O cliente tem, na fase de implantação, todo o auxílio e suporte e a facilidade de usar os nomencladores que quer para o sistema dentro do hotel dele. Nesse aspecto é um sistema bem flexível. O cliente pode usar um nomenclador para apartamento do jeito que preferir, com letra, número, enfim. os outros nomes de categorias e quantidades. Ele consegue criar tarifas variáveis, tarifas flutuantes, já que existem ferramentas interessantes de revenue management dentro dele. Tudo dentro do PMS.

Tem o suporte na pré-implantação e na implantação fica um profissional à disposição do hotel. A equipe toda é formada por hoteleiros que entendem a necessidade desse cliente passando a linguagem do programador; inclusive na nossa equipe de Portugal, onde está o desenvolvimento, também é assim. Há também o apoio pós implantação, quando fica um profissional para acompanhar os primieiros passos do processo, as adequações, conseguir entender se teve algo fora do pedido. Existe uma flexibilidade e uma comunicação aberta bem interessante entre hoteleiro e a equipe NewHotel. 

HN: Como se dá o desenvolvimento de novas ferramentas?
Berteli: Nós trabalhamos, principalmente e constantemente, com melhorias aplicadas nos sistemas que nós já temos. Agora estamos trabalhando em uma tabela voltada para RM que tem um levantamento de reservas mostrando comportamento de compras. Mas, corriqueiramente, os clientes pedem opções diferentes. Por exemplo, outro dia um deles pediu para que fosse possível imprimir o extrato do hóspede numa bobina térmica e viabilizamos isso.

Algumas coisas acabamos desenvolvendo de acordo com as demandas deles. Avaliamos a solução para entender como ela pode ser importante e como podemos fazer, depois levantamos se pode servir para outros clientes também e aprovamos ou não o trabalho para essa necessidade. Isso é a equipe de desenvolvimento que cuida.

Tentamos sempre ir ao encontro a soluções que facilitem a vida desse cliente. Por isso é legal termos uma equipe com hoteleiros como é o nosso caso. Você precisa estar bem preparado para atender a realidade de cada um. E mesmo de uma rede para outra tem níveis de exigência diferentes.

HN: Como o sistema NewHotel oferece dados sobre o cliente para o hoteleiro?
Berteli: Existe um módulo de CRM que é adicionado ao PMS e capta informações de perfil de consumo tanto de pessoa física como jurídica. Por meio dessa mecânica e da obtenção desas informações o hotel consegue melhorar seu relacionamento com os cliente e até analisar o desempenho da equipe de vendas. Comparar a performance de cada executivo com relação a qualquer propriedade, de qualquer empresa ou cliente para cada propriedade. Esse tipo de análise faz a equipe de vendas saber o que fazer, como agir, que estratégia adotar. Pra quem estou vendendo, como vou distribuir como fazer para aumentar minhas vendas diretas, essa ferrmanta é quem vai dizer. 

HN: Como se dá a comunicação hotel e NewHotel para solucionar problemas do dia a dia?
Berteli: Cada hotel acaba definindo um responsável. Em alguns é o gestor de TI, no outro é o Operacional. Do nosso lado quem fala são os técnicos mas a equipe toda acaba se envolvendo. Os técnicos são os responsáveis por fazer a manutenção, dão suporte e trabalham com todo tipo de necessidade que o cliente tenha. Por exemplo, o Brasil é um pouco mais específico com relação a legislação e tributação. Então, quando a NewHotel entrou no Brasil teve que estudar muito a respeito disso pra poder desenvolver, principalmente, o ponto de venda dentro dos meios de hospedagem. Aqui a legislação muda de município para município então, se vai instalar numa cidade onde não estamos precisamos entender como é para saber como agir em relação a emissão de notas e por aí vai. Em outros países a realidade é mais simples mas por essa questão os nossos técnicos acabam tendo que conhecer bem de legislação para entender qual a melhor maneira de fazer uma implantação e como aquele destino vai funcionar para nós.

HN: Aparentemente, o sistema roda em qualquer máquina. É isso?
Berteli: Hoje nosso sistema roda com Internet Explorer e com Mozila e está para sair o HTML 5. Aí você vai poder acessar com qualquer aparelho, é uma tecnologia responsiva e vai abrir em qualquer navegador. O que vale, seja qual for o tipo de hotel, são as integrações que nós temos pra parte de vendas online. Nosso sistema conecta esse cliente com mais de 160 canais de distribuição, que são OTAs, hot sales, meta search e assim vai. Ele é bem amplo nesse sentido e consegue conectar com diversos canais de distribuição.

HN: Quando instalado e com o sistema rodando, como lidam com a manutenção e utilização?
Berteli: Temos esse treinamento para utilização e aí o hoteleiro é quem define a estratégia que quer adotar para seu cotidiano. Esse treinamento é presencial e estimamos que uma semana seja o suficiente para um hotel de médio porte conseguir treinar todos os colaboradores. Os técnicos ficam responsáveis por esse processo explicando toda parte prática. Nesse momento também é que o hotel recebe todas as informações que precisa para poder utilizar o sistema e depois recebe o acompanhamento de mais uma semana para ajudar todos os funcionários a entender. 

Agora, a maneira como esse hoteleiro vai lidar com a possibilidade de variar tarifa, o jeito que ele vai vender é uma questão muito particular. Tem hoteleiro com gestão mais pragmática, tem quem queira ousar mais.

HN: Mas, é uma ferramenta que permite ter essas duas posturas, de ousar e ser mais conservador?
Berteli: Serve para ambos os tipos de perfil. Se é um hoteleiro que tem uma distribuição mais abrangente e trabalha com vários canais de distribuição o sistema vai permitir essas conexões e assim ele consegue fazer isso por meio do próprio PMS. O sistema dá bastante agilidade e faz com que o cliente tenha a possibilidade de modificar sua estratégia de vendas de onde ele quiser.

Executivo representa a empresa que está no mercado brasileiro há três anos

HN: Por que melhora a rentabilidade do hotel utilizar o sistema NewHotel?
Berteli: Melhora porque o hotel consegue fazer uma distribuição mais abrangente do que tem para vender através do online. Ele consegue, por meio do nosso motor de reservas, fazer uma análise de desempenho, ter relatório de busca, analisar se teve abandono. É um motor de reservas bem voltado para vendas que acompanha todas as etapas desse processo. Você consegue gerenciar essa vendas por esse motor também.

HN: Como é a relação com OTAs?
Berteli: Somos uma ferramenta entre o hotel e essas empresas. Apenas. Mas temos integração com essas OTAs para vender esses hotéis. Tenho duas maneiras de integrar. Tenho o meu gerenciador de canais, ele conecta o PMS do hotel com mais de 160 canais de distribuição. Tenho alguns modelos de trabalho. Com Booking e Expedia, por exemplo, tenho conexão direta.

Tenho um outro gerenciador de canais chamado Top Five. Nele o hotel elege cinco canais de distribuição e aí fazemos a conexão com esses escolhidos. O outro modelo é integrar meu PMS com o gerenciador de canais que o hotel já trabalha. Nesse caso ele não tem a minha ferramenta para gerenciar, sou apenas uma interface. Posso fazer a conexão mesmo sem ser o gerenciador de canais.

HN: Qual é a dinâmica de vendas de vocês?
Berteli: Fazemos um trabalho de prospecção e acaba vindo muita coisa por indicação de outros hotéis. O nosso site também tem um chat online e sempre tem alguém atendendo por ali. 

HN: Há interferência da NewHotel no hardware desses hotéis?
Berteli: Oferecemos o software. Aí o hardware quem sabe como ele vai funcionar e quem providencia é o hotel. Ele fica livre para adquirir o equipamento que quiser. Evidente, existem algumas especificações mínimas. Qualquer computador minimamente moderno permite navegar no nosso sistema. Em termos práticos, indicamos de três a quatro megas por usuário, para acessar. O sistema é muito leve. O que os hotéis geralmente têm é um link dedicado para separar esse do que os hóspedes possuem, por uma questão de organização mesmo.

Serviço
newhotel.com

Notícias Relacionadas

Comentários

Contato

Telefone : (11) 3253-9762

Celular/Claro : (11) 976-527-506

Celular/Claro : (11) 976-536-848

redacao@hoteliernews.com.br

Rede Sociais
Newsletter