Publicidade
Sex 18 Mar 2011

FÓRUM HN: Balanço traz ainda mais leituras sobre a hotelaria


Abertura do Fórum Nacional de Gestão Hoteleira
(fotos: Fernando Freitas)

 

A primazia em qualquer tipo de encontro de debates é que ele não gere verdades absolutas, mas sim levante outros olhares, questione, indague, ponha à mesa os percalços do que se está tratando. Nenhuma leitura unilateral precisa ser extraída. Pelo contrário, é da fusão de muitas críticas que emerge um novo retrato, plural, consolidando uma espécie de missão pedagógica sobre o que está posto. Esta reflexão era a causa singular do 1º Fórum Nacional de Gestão Hoteleira, Edição Paraná, que aconteceu esta semana, no hotel Deville Rayon, em Curitiba.

Grandes grupos hoteleiros, acadêmicos, proprietários de hotéis independentes, pensadores e profissionais de diversas áreas (veja fotos do 1º dia aqui!) participaram dos dois dias do encontro, idealizado e organizado pelo Hôtelier News e pela Mapie Especialistas Estratégicos em Serviços.

 

Sete palestras, três painéis, muitos business coffee e cerca de 150 profissionais marcaram esta primeira etapa do Fórum (veja fotos do 2º dia aqui!), direcionado a proprietários e gerentes gerais de meios de hospedagem. Mas não foram somente eles que figuraram nos corredores das salas de convenção do Deville Rayon. Profissionais de marketing, fornecedores do mercado hoteleiro e jornalistas se fizeram presentes.

 

Neste balanço do evento, o Hôtelier News obteve recortes distintos sobre o Fórum e sobre o setor hoteleiro, tendo como resultado a ausência de um consenso e a percepção de que o tema não se esgota por aqui.

 

Por Dênis Matos

 


Compenetrados, participantes interagiram
compalestrantes e painelistas durante o Fórum

 

"A informação, para nós, é o meio pelo qual conseguimos aumentar a performance da empresa. Este Fórum nos tira do ambiente de trabalho, daquele cenário estressante, e nos motiva a levar ideias, a aplicar informações e se adequar", reflete Christiano Penna, gerente de Marketing do Jardim Atlântico Beach Resort. Seu olhar é o mesmo da executiva Soon Hee Han, da rede de Spas Shishindo. "A rotina não permite muita troca. É preciso afinar a ferramenta, aprimorar, trocar, sair um pouco de sua caixinha, lapidar, discutir", ela acrescenta.

A variedade de público foi elogiada por Sonn. "Há uma multiplicidade de pessoas. Nós temos aqui pessoas que estão pensando em abrir um hotel, pessoas que já tem uma pequena operação, donos de rede, grandes gerentes, grandes diretores", aponta. Ela fala que a interação com os palestrantes também foi importante, em decorrência da visão do que é o mundo hoteleiro transmitida por eles. "Isso nos deu percepções muito claras, com posicionamentos diferenciados. Não houve um consenso, houve um debate", indica.


Para Fabiano Buskei, gerente de Marketing da Travelocity, empresa que comercializa viagens on-line, houve alto nível nos debates."É uma oportunidade de ver várias pontas do iceberg. O que aconteceu no Fórum, em nenhum momento, foi superficial. Você percebe que muitas apresentações podem ser feitas sobre um único tema", sugere. "Não falo somente do nível de liderança, pois acredito que deveríamos ter uma representação maior, com cada parceiro - não trazendo apenas um colaborador, mas três, cinco, quem sabe. Isso pode até gerar cursos, pode gerar publicações, apresentações", completa.


A escolha de Curitiba

O gerente da Travelocity acrescenta a importância de se fazer eventos assim em Curitiba. "Isso foi muito bom para a cidade, pois gerou aquela coisa fora do eixo. A melhor parte mesmo é saber que se fomentou a discussão, o que dá um norte para próximos eventos, talvez mais segmentados e, quem sabe, focados numa coisa só. Nós poderíamos esgotar cada pessoa que falou aqui", indica.

A leitura feita por Buskei é a mesma de Henríque Lenz César Filho, presidente da ABIH-PR (Associação Brasileira da Indústria de Hotéis Paraná). "Eu perguntei por que a escolha de Curitiba, e o Peter Kutuchian [diretor e publisher do Hôtelier News] me respondeu: 'Este é o primeiro Fórum. A cidade de Curitiba tem aquele aspecto de que, se não for aprovado, não será aprovado em lugar nenhum'. Na mesma hora afirmei que ele estava certo", elogia. "Poderia haver muitas falhas, por ser o primeiro, por ser até um laboratório, mas saiu tudo certo. Eu cheguei até a fazer negócios com

fornecedores que me cairam como uma luva. Até mesmo a frequência foi ótima pois, veja, nós tivemos aqui hoteleiros do Maranhão, de Belo Horizonte, de São Paulo, do Rio Grande do Sul", adiciona. Os negócios citados por Lenz ocorreram durante o Hotel Solution Business Cooffee (veja reportagem clicando aqui!).

 

Fórum teve espaço para negociações e networking


Público única e exclusivamente hoteleiro

O representante paranaense da ABIH, que conta ter aprendido a ser hoteleiro com o avô, se diz satisfeito por ver no encontro assuntos tão específicos."É um Fórum que serve exclusivamente para o hoteleiro. Você vai a congressos de hotelaria e vê uma mistura de estudantes, aprendizes. Às vezes há até debates sobre política, meio ambiente. Mas aqui isso não ocorreu, foi especificamente para hoteleiros, com palestras ótimas. Por isso é que eu digo: com todos os anos de hotelaria que nós temos, somente hoje tive a oportunidade de aprender tudo o que foi feito para esse Fórum", conta.

 

Falando sobre o debate promovido no Fórum, o gerente Adjunto do Bourbon Joinville, Weliton Santos, afirma que a lição de casa foi feita. "O objetivo de fato foi cumprido nesta primeira etapa. As pessoas estão buscando alianças, parcerias e, com isso, impulsionando o crescimento do setor. Quem ganha com isso é o cliente. Todo esse trabalho e essa mobilização têm o objetivo de oferecer o melhor serviço", reflete.

Santos comenta ainda a necessidade de se discutir mais temas abordados no encontro, como o RM (Revenue Management) - método que calcula a melhor política de preços para optimizar/maximizar os lucros gerados pela venda de serviços. "Isso ficou claro. Ficou latente que, se nós conseguimos vender

melhor, ao melhor preço, à melhor condição, todos poderão tirar as melhores rentabilidade e lucratividade de forma equacionada. Isso vai fazer com que o mercado, já aquecido, permaneça mais aquecido ainda", elucida.



Palestra Os grandes hoteleiros - as tendências
da hotelaria para os próximos anos: mudanças,
investimentos, gestão e novas ferramentas


RM em pauta

O revenue management foi debatido à exaustão no encontro, em especial no painel Os grandes hoteleiros - as tendências da hotelaria para os próximos anos: mudanças, investimentos, gestão e novas ferramentas (veja reportagem na íntegra aqui!), que contou com as participações de Alexandre Gehlen, diretor geral da InterCity Hotéis, André Monegaglia, diretor geral da Allia Hotels, e Jayme Canet, presidente da Hotéis Deville.

Assunto corrente também foi a gestão de hotéis independentes. Em muitos painéis o tema foi debatido. Na palestra Hotel independente: quais os caminhos para a melhor rentabilidade? (veja aqui!),  Gustavo Syllos, diretor de Marketing & Vendas da rede Slaviero, deu foco para a necessidade de se lembrar, sempre, que a qualidade de um hotel - seja ele independente ou pertencente a uma rede - deve estar atrelada à excelência dos serviços.

 

"Certas ações fazem com que o hoteleiro esqueça seu foco principal, que é o serviço. Simplifique seu processo de resultado, sua comunicação, mas não banalize o core do seu produto. Não se preocupe se seu cliente é corporativo ou de lazer. Ele é sempre cliente. Serviços competentes, atenciosos e simpáticos devem ser seus princípios", aconselhou Syllos.

Excelência em servir

Remetendo a esses ilustres princípios da hotelaria, Cláudia Marino, gerente de Hospedagem do Hotel Fasano Rio de Janeiro, abriu os debates no primeiro dia do Fórum Nacional de Gestão Hoteleira com o tema Excelência em servir (confira a matéria aqui!). Mesmo à frente de um dos hotéis mais

sofisticados do País, a executiva reforçou que o serviço deve ser a base e estar além das expectativas. "Fazer certo, de maneira surpreendente e com uma equipe motivada e treinada", advertiu.

Claudia Moreira, do Fasano Rio

 



Um time motivado e bem treinado, como idealizou a gerente de Hospedagem do Fasano, somente existe com um gestor que permita tal processo. "O papel fundamental do líder é permitir que as pessoas que sabem contem às que não sabem", raciocina Marcelo Pirani, diretor geral da Cannarium Training, que realizou no Fórum a palestra Liderança como base do sucesso (confira a cobertura aqui!). De forma lúdica, o professor focou sua apresentação em alguns pontos básicos para o líder, atrelando-os, sempre, à atitude. Outro notório recado deixado por Pirani remete ao líder Kan-Tchi Sato. "Eu não ensino e não mando; ensinando sai cópia, mandando sai escravo, eu apenas transmito meu espírito", cita.

 

Em termos de transmitir seu espírito, João Luiz dos Santos Moreira, presidente da Confederação Brasileira de Convention & Visitors Bureaux, foi preciso. Ele deixou às claras sua essência durante a palestra O fortalecimento do destino (veja reportagem aqui!), quando falou, logo no início de sua apresentação, que é contra a realização da Copa do Mundo. Polêmico, ele respaldou sua afirmação relembrando os jogos panamericanos - haja vista os modernos e caros estádios construídos que não estão sendo aproveitados.


Almoços de negócio também
faziam parte da programação

 

Infraestrutura no Brasil
Moreira explicou que as gastos com a infraestrutura do mundial são obrigações do governo e não devem estar atrelados à cadeia turismo. Seu posicionamento não é o único. Quando perguntado sobre o balanço do Fórum, Christiano Penna faz comentários semelhantes em relação à infraestrutura. O executivo do Jardim Atlântico Beach Resort acredita que o setor hoteleiro precisa pressionar o Estado, que é quem deve garantir tal infraestrutura.

"Os hotéis não se associam, eles não sentam na mesa para negociar com o governo. Sem infraestrutura e sem desenvolvimento dos destinos, você não consegue controlar. O setor é um macroambiental incontrolável? Não, é um macroambiental. Você tem como negociar, como destinar verba, como buscar apoio, aumentar a infraestrutura e dirigir melhor o setor. Precisamos de eventos, mas precisamos também de uma associação, de um corporativismo. O setor hoteleiro, sozinho, é fraco", ataca o executivo do Jardim Atlântico Beach Resort.

Espaços virtuais para debate

Posteriormente, já nos bastidores, o presidente do Convention deixou as críticas de lado e aplaudiu a iniciativa do Fórum. Disse ter 'twittado' sobre a qualidade do evento, dos painelistas e debatedores. Sugeriu até que se criasse espaços virtuais para que se continuasse perscrutando o setor. "As pessoas aqui presentes são responsáveis, agregadas de mais algumas do Brasil, para que tenhamos um Fórum via internet e continuemos a debater isso. A ideia é chegar aqui, no ano que vem, com mais propostas, com mais investidores, para que possamos trabalhar com números, indicadores, metas. Devemos trabalhar com o mercado e com a atração de investimento", pede.

 


Palestra Internet marketing para hotéis
independentes: por onde começar?

ocorreu no segundo dia do Fórum


Hotelaria no ciberespaço

A facilidade de comunicação levantada por Moreira também foi tema do encontro, durante o painel Internet marketing para hotéis independentes: por onde começar? (leia a matéria clicando aqui!) - com participações de César Nunes, diretor Comercial da Royal Palm Hotels & Resorts, Luciana Burger, on-line media Sales Executive da Microsoft Advertising, Waléria Fenatto, diretora da Make Up Consultoria, e mediação de Tárik Potthoff, CEO da Pmweb. Algumas ferramentas da internet foram criticadas, como os sites de compra coletiva, falando dos prós e contras da revolução cibernética. "Os  hoteleiros, cansados de pagar 25% para as operadores, passaram

a pagar 50% para sites de compras coletivas", ironizou Pottohoff.


César Nunes também vê pontos negativos nesses canais. Devido ao grande número de tarifas praticadas em diferentes pontos de venda, ele explica, fica impossível fazer uma manutenção do revenue management. Terminado o evento, já no aeroporto Afonso Pena, o diretor Comercial da Royal Palm é mais leve quanto ao debate. "Eu acredito que conseguimos plantar uma semente sobre a necessidade de se gerir melhor esses canais, de, efetivamente, praticar o RM melhorando a rentabilidade do empreendimento. Isso já valeu por esse dois dias de evento e pela percepção das

pessoas", conta.



Peter Kutuchian junto de Tricia Neves
e Carolina Haro, ambas da Mapie

 

Bons olhares

O otimismo, quanto ao balanço geral, é unânime. "Esta primeira edição do Fórum mostra como a hotelaria está aberta à promoção de reflexões que gerem o crescimento setorial como um todo", destaca Carolina Sass de Haro, executiva da Mapie Especialistas Estratégicos em Serviços. "O que tivemos no evento, em volume de assuntos tratados com profundidade e pertinência, abre espaço para a realização de outras edições pelo País. Os participantes saem extremamente satisfeitos com o Fórum. Isso é muito gratificante para nós", completa Tricia Neves, também da Mapie.

Outros temas fizeram parte da agenda do Fórum. Como obter lucro em Alimentos & Bebidas? (veja cobertura do debate aqui!) foi tema do professor do Senac e escritor Marcelo Traldi.

 

O painel Desenvolvimento hoteleiro: a expansão das redes no Brasil e as diversas alianças estratégicas (reportagem disponível aqui!) contou com a participação de Abel Castro, diretor de Desenvolvimento da Accor América do Sul, Eduardo Camargo, diretor de Desenvolvimento do InterContinental Hotels Group, Eraldo Santanna, diretor de Expansão da Hotéis Slaviero, Julio Gavinho, diretor de Desenvolvimento da Hyatt Brasil, e Sergio Bueno, gerente de Desenvolvimento da Rede InterCity de Hotéis - com moderação de Carolina Haro, da Mapie.

O diretor geral da Royal Palm Hotels & Resorts, Antonio Dias, conduziu a discusão em Case: O sucesso de hotel independente (veja aqui!).

 

O fechamento do encontro ficou com Daniel Levy, diretor de Sistemas de Gestão da Natura, com a apresentação Estratégia em ação: a importância da Gestão Empresarial - Case Natura (leia a reportagem aqui!), falando dos processos de gestão de uma das maiores empresas do Brasil e dando uma visão diferenciada de outro mercado.

Na despedida, Peter Kutuchian convidou toda a equipe envolvida na organização, agradecendo pela presença, pela confiança e pela vocação hoteleira - enfatizando o grande intuíto do evento: fazer as pessoas pensarem.


Hoteleiros e demais profissionais
aplaudem o Fórum de Gestão


O Hôtelier News agradece a todos que estiveram presentes no 1º Fórum Nacional de Gestão Hoteleira, enaltecendo, principalmente, os que estão dispostos a debater e a profissionalizar o setor hoteleiro com tanto afinco e engajamento.

Comentários

Contato

Telefone : (11) 3253-9762

Celular/Claro : (11) 976-527-506

Celular/Claro : (11) 976-536-848

redacao@hoteliernews.com.br

Rede Sociais
Newsletter