2009: o Ano em que o Brasil ganhou as cores da França, oui

As cores francesas da liberdade, igualdade e fraternidade 
(imagem: afbelem.com)

Quando alguém pensa na França, logo aparecem na cabeça as imagens da Torre Eiffel ou do Arco do Triunfo, mas outros se lembram de fatos históricos como Napoleão ou a Revolução. Enquanto isso, uns vão comentar sobre a tradicional gastronomia, os queijos, doces e até o champagne. Ainda há aqueles que se lembrarão das compras com a Galeries Lafayette e Printemps ou do mundo fashion com a Semana de Moda, Cartier, Louis Vuitton, Coco Chanel ou Christian Lacroix. Os cinéfilos vão se lembrar de Brigitte Bardot ou Audrey Tatou, enquanto os amantes das artes plásticas vão gritar por Renoir e Monet e quem sabe ainda alguns citem o principezinho de Saint-Exupéry ou Edith Piaf. 

Por Ana Lucia Silva
 
 
 
 
Torre Eiffel
(foto: gouveiajm.googlepages.com)
 
 
Foie gras e Champagne
(fotos: comcomptoirgastronomique.com e hipersuper.pt)
 
Galeries Lafayette
(foto: flickr.com)
 
 
Marcas sonhos de consumo: Louis Vuitton e Cartier
(fotos: arrumadissimoecia.blogspot.com.br e finissimo.com.br)
  
 
 Brigitte Bardot e Coco Chanel
(fotos: bobbypinblog.blogspot.com blogretalhos.wordpress.com)
  
O que todos esses símbolos do país da Cidade Luz têm a ver com o Brasil? Tudo! Em resumo, a França é uma mistura de cultura, arte e história que se faz presente em nosso dia a dia, mesmo tendo como nossa principal matriz colonial os portugueses e em 2009 isto torna-se ainda mais forte com o Ano da França no Brasil, ou melhor o França.Br.
 

 

Lançado no final de dezembro do ano passado pelos presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Nicolas Sarkozy, a inauguração oficial aconteceu no dia 21 de abril, com um show pirotécnico do Groupe F na Lagoa Rodrigo de Freitas, no Rio de Janeiro, e deverá ser encerrado no dia 15 de novembro, quando Sarkozy visita o país.

Em 2005, aconteceu o Brésil Brésis, ou seja, o Ano do Brasil na França. Um projeto semelhante a esse ocorre em 2009, e já foram mobilizadas 15 milhões de pessoas, gerando impacto inclusive nas trocas comerciais. O volume de negócios entre os dois países triplicou e o crescimento do volume de turistas franceses em terras canarinhas cresceu 27%, além do aumento de 20% no número de matrículas para cursos de português na França. Com o sucesso, em 2006 foi assinado o acordo de reciprocidade.

No Ano do Brasil na França até o Cristo Redentor
foi parar na Catedral de Notredame
(foto: flickr.com)
 
O objetivo, além da promoção do destino, é aprofundar as parcerias franco-brasileiras e a consolidação das relações bilaterais tanto no ponto de vista cultural como econômico e universitário. A maior meta é que ambas as nações possuam mais peso nos negócios do mundo, já que compartilham de mesmas ideias.

 

Para a realização do Ano da França estão sendo investidos 15 milhões de euros em recursos do governo, das regiões e municípios franceses e de empresas privadas. Apenas o governo brasileiro injetará R$ 8 milhões em ações de comunicação, além do apoio do Ministério da Cultura.

 
A data possui três linhas gerais, mostrando a França em diversas facetas: moderna, diversificada e aberta ao mundo.

 

O French Can Can invadiu a Sapucaí durante o
desfile da Grande Rio, no Carnaval carioca
(foto: flickr.com)
 
Além de uma programação exclusiva com mais de 500 atividades definidas, a França invadiu eventos já tradicionais do país como a Festa Literária de Parati (Flip), Festival da Ópera de Manaus, São Paulo Fashion Week, Virada Cultural de São Paulo e Festival de Inverno de Campos do Jordão.
 

Confira alguns destaques das comemorações que ainda vão acontecer e bon voyage!

 

Arte

-A Renault de Doisneau: obras do fotógrafo Robert Doisneau na Fiesp, em São Paulo, de 26 de outubro a 6 de dezembro

-Coleção Renault - Uma aventura Moderna: obras de artistas do século XX como Jean Dubuffet, Victor Vasarely e JeanTinguely, no Museu Oscar Niemeyer, em São Paulo de 10 de setembro a 15 de dezembro

-Cuide de Você (Prenez soin de vous): A artista conceitual Sophie Calle apresenta um conjunto de obras baseado na interpretação de 107 mulheres de uma carta de um ex-namorado. Estará em exposição no Sesc Pompéia, em São Paulo, até o dia 7 de setembro e depois segue para Salvador.
 
-Jean Dubuffet: Reúne 82 obras entre pinturas, esculturas, desenhos e litografias do artista que viveu na segunda metade do século XX. Está em cartaz até o dia 7 de setembro no Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo.
 
-Matisse Hoje: obras do pintor Henry Matisse, expoente da arte moderna mundial. Em exposição na Pinacoteca de São Paulo, de 1º de setembro a 1º de novembro.
 
-Paris de Patrick Jouin: exposição do designer que já projetou restaurantes do chef Alain Ducasse como o Hotel Plaza-Athénée e o Jules Verne na Torre Eiffeil, além dos banheiros públicos de Paris e do sistema de bicicletas da cidade, o Vélib. A curadoria é de Valérie Guillaume, do Centre Pompidou de Paris. Em cartaz, de 30 de julho a 27 de setembro, no Instituto Tomie Ohtake.
 
Mesa Posta (Harmonia vermelha), obra de Matisse
(imagem: lamenha.blogger.com.br)
 
Cultura
-Autocromos Lumière - O tempo da cor: Reúne autocromos - imagens coloridas produzidas sobre placas de vidro - dos irmãos pioneiros do cinema. Em exposição no Museu Oscar Niemeyer, em Curitiba, até o dia 13 de setembro.
 
-Exposição Henri Cartier-Bresson: o pai do fotojornalismo em 130 fotos de sua agência Magnum. No Sesc Pinheiros, em São Paulo, entre outubro e novembro.
 
 -O Louvre e seus visitantes: exposição fotográfica de Alécio Andrade, que mostra o cotidiano do museu. Está no Museu Nacional de Belas Artes, no Rio de Janeiro, até o dia 13 de setembro.
 
-Saint-Étienne, Cidade do Design: Projetos que associam inovação de design e desenvolvimento sustentável, apresentados por um grupo de jovens artistas na última Bienal Internacional de Design de Saint-Étienne no Centro Cultural Banco do Brasil, em Brasília até o dia 24 de agosto e seguirá para o Rio, São Paulo e Curitiba.
 
-São Paulo Restaurant Week: o tema deste ano do festival que abrange 200 restaurantes da cidade é a França. O desafio para os chefs participantes é recriar pratos franceses ou colocar inspirações francesas nas suas próprias culinárias. Acontece de 31 de agosto a 13 de setembro espalhada pela Cidade da Garoa.
 

-Segunda Natureza: mostra que reúne telas, vídeos e projeções interativas de plantas virtuais criadas por Chevalier que nascem, crescem e morrem, surgindo de sementes virtuais baseadas em pesquisas agrônomas. Em cartaz no Espaço cultural Marcantonio Vilaça, em Brasília, até o dia 22 de agosto.

 

-Tapeçarias francesas - Patrimônio e criação: 20 tapeçarias Gobelins e Beauvais com peças que datam do século XVII e outras contemporâneas, todas pertencentes ao Museu do Mobiliário Nacional da França. Está em exibição no Museu de Artes e Ofícios, em Belo Horizonte, até o dia 23 de agosto.

 

Uma das obras de Chevalier expostas em Brasília
(imagem: anodafrancanobrasil.cultural.gov.br)

 

Espetáculo

-Festival Mundial de Circo do Brasil 2009, em Belo Horizonte (apresentações de circo contemporâneo francês e brasileiro). Já apresentou uma temporada na cidade mineira (entre maio e junho) e agora viaja para São Paulo, Rio e Brasília.

 

Moda

Além da São Paulo Fashion Week que respirou o tema Passion, totalmente influenciado pela França, o Brasil ainda vai receber:
 
-Christian Lacroix - Costumie: na Fundação Armando Álvares Penteado (Faap), em São Paulo, entre 23 de agosto e 1º de novembro. Em exposição, 150 figurinos desenhados pelo estilista para três balés, nove óperas e cinco peças de teatro, incluindo Cinderela e Sherazade.
Figurino e croqui desenhado por Christian Lacroix
(imagem: texprima.com.br)

 

Trade

A Maison de la France é o orgão oficial do turismo francês e é especialista em fazer a ponte entre representantes do trade brasileiro e empreendimentos e atrações francesas. Este ano já promoveu ações como o Découvrez la France (clique aqui para saber mais) e o lançamento do Paris Île-de-France, que busca mostrar uma Paris diferente da convencional (clique aqui). 
 
Além disso, diversos representantes de hotéis franceses visitaram o Brasil para promoverem seus destinos e instalações. Esse foi o caso de empreendimentos como Sofitel Champs-Elysées, Scribe, Citadines, Powers Claridge, Plaza Champs-Elysées, Le Senat, Bel Ami, Fouquet´s Barrière, K+K Hotels e outros.

O país ainda vai receber hoteleiros do Courchevel, Le Cheval Blanc, Cimalpes, Le Lana, Sivolière, Le Grand Hotel Regent - Bordeaux, Regetel Adaggio, Exclusive Hotels, Grands Etapes Françaises, Waryck Westminster, Fraser, Hotel Balzac, Califórnia Paris, Edouard VII, Hilton Arc de Triomphe, Lancaster, Mayfair, Intercontinental Paris Legrand, Les Hôtels de Paris, Les Jardins du Marais, Le Pátio Saint-Antoine, Louvre Hotels, Melia Boutique Hotels e Millenium Hotel Paris Opera.
 
Mas os empreendimentos brasileiros também estão dando sua contribuição. A rede Accor, por exemplo, é uma das patrocinadoras do França.Br e está investindo cerca de R$ 600 mil. "A empresa colabora com o Comitê de Patrocinadores do Ano da França no Brasil por meio de hospedagens nas diversas bandeiras em operação no Brasil e em distintas localidades", afirma Stephane Engelhard, diretor geral adjunto da Accor Hospitality América Latina.
 
Já a rede Marriott, com três empreendimentos na terra de Marcel Proust - Paris Marriott Hotel Champs-Elysées, Renaissance Paris Vendôme Hotel e Renaissance Le Parc Trocadéro - pretende
dobrar o número de brasileiros na Cidade Luz, fazendo com que os visitantes passem a representar 6% dos hóspedes destes meios de hospedagem.
 
No quesito gastronomia e exposições de arte, os hotéis vieram recheados de influências francesas. Saiba o que alguns empreendimentos promoveram.
 
-Blue Tree Anália Franco (SP): Além de ter promovido uma exposição de Jean Philippe, ganhou uma recepcionista fluente em francês.
 
-Novotel: a marca também pertencente a Accor, trouxe mostras como a Sem Fronteiras, onde 25 artistas brasileiros retratam por meio da pintura de monumentos, personalidades, paisagens e pontos turísticos a união entre os dois países e o tradicional festival gatronômico.
 
-Sofitel: a marca promoveu em suas unidades no Brasil (Rio de Janeiro, Jequitimar Guarujá e São Paulo) exposições como Luzes da França, Luzes do Brasil do artista Bernard Vidal e festival com o badalado chef presidencial Maurice Alexis.
 
-Tivoli: A rede portuguesa realizou o Festival da Normandia em suas unidades de São Paulo e Bahia sob o comando do chef Gilles Tournadre.
 
Ratatouille, o ratinho que é chef francês
(imagem: innovatingtowin.com)
 
Além disso, muitos chefs franceses estão circulando pelos hotéis oferecendo jantares em homenagem ao Ano da França. Nomes como Damien Montecer (no Porto Imperial, em Paraty), Pascal Fresneau (no Vitória Campinas),  Patrick Bertron (no Sofitel Rio), Pascal Borrell (no Sofitel SP durante o 2º Festival de Sabores do Sul da França), Christian Le Squer (no Sofitel SP e RJ) e Jean Yves Poirey (no Rio Othon Palace durante o Festival de Inverno inspirado na região de Savoie) estão na lista dos participantes.
 
Números 
Dados da Maison de la France indicam que o número de turistas brasileiros na França aumentou 10% em 2008, totalizando 450 mil visitantes. Isso representa a 12ª nacionalidade estrangeira no ranking geral e a oitava em gastos individuais no país. São 49 voos diretos por semana entre os dois destinos e estadas que duram mais de uma semana.
 
 
Para conhecer a programação completa de todas as atividades, acesse abaixo o site oficial do França.Br.
 
Serviço

Comentários