Publicidade
Qui 10 Ago 2017

Encatho 2017: Em prol do Turismo, “Meu Destino é o Sul” visa unir os três Estados da região

Henrique Lenz César Filho, Rogerio Siqueira, Magda Bez, Vinicius Lummertz, Osmar José Valiatti, Leonel Pavan, João Eduardo Amaral Moritz e Abdon Barretto Filho
(fotos: Peter Kutuchian)

O último painel desta quinta-feira (10) na Encatho & Exprotel, evento organizado pela ABIH-SC, que acontece até amanhã no Centrosul, em Florianópolis, teve como tema principal os Potenciais Turísticos do Sul do País, e contou com a participação de Vinicius Lummertz, presidente da Embratur, Leonel Pavan, secretário de Turismo, Cultura e Esporte de Santa Catarina, de Magda Bez, vice-presidente de Turismo Facisc (Federação das Associações Empresariais de SC), Rogerio Siqueira, diretor-presidente do Beto Carrero, e os presidentes das ABIH’s do Sul, Osmar José Valiatti (SC), Abdon Barretto Filho (RS) e Henrique Lenz César Filho (PR). A mediação foi feita por João Eduardo Amaral Moritz, vice-presidente do Conselho Deliberativo da ABIH-SC.

Lummertz foi o primeiro a palestrar e seu discurso, como sempre, enobrece a classe que defende o Turismo como uma das principais soluções para o desenvolvimento sustentável do Brasil. Uma pena, apenas, que quase nenhum político se fez presente na plateia.

"Todos que estão na sala sabem o que o Turismo representa e o que pode fazer pela nação. E, cada vez mais, precisamos ampliar o patamar e obter a força política para desenvolver o turismo. Precisamos construir a moral para o desenvolvimento econômico”, disse o presidente.

Lummertz citou alguns exemplos que demonstram a intensificação e os avanços para que possam render o desenvolvimento econômico. “O desenvolvimento de marinas pelo extenso litoral do Brasil. Esta ação traria mais recursos para a prefeitura, geraria empregos e alavancaria um pequeno percentual na economia local onde elas estivessem inseridas”, explicou.

O principal executivo do turismo nacional alfinetou situações pertinentes que atrapalham o desenvolvimento econômico. “Não podemos aceitar o maior índices de juros do mundo nos cartões de crédito, a cobrança de impostos indiretos, o pagamento de impostos como o de 40% sobre os automóveis. Todos esses fatores são intempéries que sugam toda a energia econômica da sociedade.”

Entrando na esfera econômica, Lummertz mencionou que o Brasil tem a capacidade de reinvestir apenas 14% do PIB. “Enquanto que no Chile esse índice chega a 25%”, revelou. 

Ele também defendeu a criação dos parques naturais. “Nos Estados Unidos, mais de 300 milhões pessoas visitam os parques. Aqui no Brasil, para se importar um equipamento para um parque temático a taxação é de 125%. Precisamos parar com essa política "perde-perde-perde" e transformar no "ganha-ganha-ganha". Precisamos trazer a iniciativa privada, pois o melhor programa social é o emprego. Somos o País mais bonito do mundo segundo uma das publicações internacionais mais prestigiadas. Temos que usar isso em nosso favor.”

Finalizando, Lummertz disse algo tão importante quanto a sua fala anterior: “reclamamos da política, mas muitas vezes terceirizamos a política, precisamos trazê-la para mais perto e assim realizar as mudanças.”

Plateia ouve os discursos

Na sequencia, Pavan, defendeu o turismo na região Sul. “Estamos lançando o projeto "O Meu Destino é o Sul" pois o Brasil precisa olhar a região Sul como uma área rica em natureza e a que mais exporta. Precisamos estar inseridos dentro do plano federal e que o Turismo seja democratizado.” 

O ex-governandor foi esfusiástico quando disse que o projeto está em andamento. Destacou todos os atrativos turísticos das três regiões. Cataratas, canions, praias, serras, festas, além da gastronomia e viticultura. “Temos tudo para ser competitivos e atrair turistas de todo o mundo”, finalizou.

Magda Bez, relatou brevemente sobre alguns índices da Facisc. “Temos 36 mil empresas associadas em mais de 146 municípios catarinenses, mas temos muito trabalho para fazer. A Doing Business, pesquisa do Banco Mundial, coloca o Brasil em 116º lugar entre 189 países. O governo precisa dar valor ao turismo e repassar recursos para desenvolver o setor, que é uma das principais soluções para o desenvolvimento econômico do País”, disse.

Finalizando o painel, Rogerio Siqueira, complementou dizendo que o "O Meu Destino é o Sul” nasceu há 25 anos, quando Beto Carrero criou seu parque. "O Sul é o meu Destino nasceu na cabeça de Beto Carrero. Veio de uma inspiração dele e o momento agora chegou”.

O diretor-presidente do Beto Carrero divulgou também alguns números do parque. “Com as ações que tomamos como a redução da sazonalidade e o trabalho de união com o todo trade, conseguimos trazer 240 mil pessoas em junho, auxiliando para que a ocupação hoteleira na região atingisse 85%.”

Ele finalizou divulgando o reconhecimento que o Beto Carrero conquistou recentemente pelo TripAdvisor, a de ser o primeiro parque temático da América do Sul e o sétimo do mundo. “Nossa equipe trabalhou muito para chegarmos aqui e ainda temos muito trabalho para garantir melhorias nos resultados."

Serviço
http://encatho.com.br/

* A reportagem do Hôtelier News viaja a Santa Catarina a convite da ABIH-SC e do Novotel Florianópolis.

Notícias Relacionadas

Comentários

Contato

Telefone : (11) 3253-9762

Celular/Claro : (11) 976-527-506

Celular/Claro : (11) 976-536-848

redacao@hoteliernews.com.br

Rede Sociais
Newsletter