InterCity: Três cases sobre desafios e diversidade hoteleira na cidade de São Paulo


Vista noturna da zona sul de São Paulo, onde situam-se os três hotéis da InterCity visitados pela reportagem
(fotos: Juliana Bellegard)

Tendo recebido 2,4 milhões de visitantes internacionais em 2013 e com a expectativa de receber ao todo 15,1 milhões de visitantes até o final deste ano, São Paulo pode tornar-se o principal destino turístico da América Latina. Somente na Copa do Mundo, sediada pelo Brasil entre 12 de junho e 13 de julho, mais de 28 mil diárias foram comercializadas pelos hotéis pertencentes às associadas ao Fohb (Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil) e a ocupação média nos hotéis ficou em 64%, sendo que na véspera e durante os dias de jogos na cidade, o indicador subia para 75%. A euforia causada pelo mundial, no entanto, não difere do cotidiano da maior metrópole da América do Sul, onde o fluxo de pessoas é rápido e constante. 

Operar um meio de hospedagem neste contexto é um desafio para os profissionais da hotelaria, e posicionar-se como rede neste mercado exige dedicação constante. Não faz dez anos que a InterCity chegou a São Paulo - foi apenas em 2006, com a conversão do InterCity Premium Ibirapuera, que a rede fincou sua bandeira na capital paulista.

Hoje, o cenário é outro. São sete empreendimentos em São Paulo: os Premiums InterCity Berrini, InterCity Nações Unidas e o empreendimento do Ibirapuera; o The Universe, instalado na Bela Vista; o Address Faria Lima; o NEWCiti São Paulo, no Itaim Bibi; e a mais recente conversão da rede, o Campobelo Plaza, na zona sul. E, apesar de atenderem uma mesma cidade e pertencerem a uma rede que atende majoritariamente o público corporativo, os hotéis diferem-se não só por suas dimensões e estruturas, mas pelo nicho de mercado em seu entorno - fator determinante para definir o perfil de cada um deles.

A reportagem do Hôtelier News conheceu três dos seis cases da rede hoteleira gaúcha, exemplos desta diversidade orquestrada pela InterCity na capital paulista.

Por Juliana Bellegard*


Paisagem diurna do bairro de Moema

Itaim Bibi
O bairro, famoso tanto por abrigar escritórios quanto restaurantes bastante procurados, é o primeiro destino da reportagem. Instalado no que pode ser chamado de "miolo" do Itaim Bibi está o NEWCiti São Paulo, no quarteirão da rua Pedroso Alvarenga delimitado pela Renato Paes de Barros e a Bandeira Paulista. Gerenciado por Vinicius Rodrigues, que nos recebeu na ocasião, o hotel figura a pouco mais de três anos no portfólio da rede.

"Temos um viés de condomínio, com muitos moradores e hóspedes de long stay", definiu o gerente. Executivos de empresas da região, clientes que vêm para a cidade por conta de algum tratamento médico, e também estrangeiros que permanecem por mais tempo em São Paulo para trabalhar ou estudar, além dos proprietários - esta é a mistura que circula diariamente pelos halls do hotel. O mercado eclético e competitivo, conforme avalia Rodrigues, demanda que o empreendimento destaque-se de alguma forma.

No NEWCiti, a força reside na atenciosa equipe, que vem absorvendo os procedimentos profissionalizados da InterCity desde a conversão, alinhando ainda mais a qualidade do serviço com os padrões da companhia, e a localização privilegiada. "Somos muito procurados não pela proximidade com os compromissos que o cliente tem, mas pelo pós-trabalho", avaliou o executivo, referindo-se às diversas opções de lazer da região.

Um dos grandes desafios do empreendimento é manter-se moderno em relação aos concorrentes. Para tanto, desde sua conversão, o hotel vem reformando seus apartamentos. Segundo o gerente, o foco agora concentra-se nos de categoria Standard. Os Premiums, Luxo Superior e Luxo já passaram por mudanças em seu visual. Além disso, as acomodações estão, atualmente, ganhando novas camas. O próximo plano é abranger também as áreas comuns.

Moema
Entrecortado pela Avenida Ibirapuera, o bairro concentra toda sua área empresarial no eixo desta principal via, permanecendo mais residencial no resto da região. Este é um dos desafios enfrentados pela equipe do InterCity Premium Ibirapuera. O hotel tem a favor de si a ótima localização, próxima ao Shopping Ibirapuera, para atrair e fidelizar hóspedes de negócios e de lazer.

Mike Silveira, gerente de Hospedagem do empreendimento, explica que o esforço é feito em ambas frentes. De um lado, já há dois anos existe um trabalho de divulgação da unidade principalmente pelos canais online, buscando atingir o público que viaja para São Paulo sozinho, em casal ou em família, para curtir a cidade ou mesmo fazer compras, oferecendo tarifas especiais. De outro lado, há o constante fortalecimento dos contatos corporativos. "Há poucos escritórios na região, poucos filões para explorar", conta.

Primeira unidade da rede em São Paulo, o Ibirapuera conta com 206 apartamentos no pool, divididos em quatro categorias: Standard, Luxo, Luxo Superior e Premium. Esta última conta com mimos diários, como chocolates e frutas, e deve ganhar uma novidade em breve: o chá e café cortesia.

Além disso, o hotel está em fase final de implantação de outra novidade: o novo cardápio da rede InterCity. Segundo o gerente, o restaurante passará por modificações em breve, na baixa temporada da virada do ano. Recentemente, o  hotel ganhou um novo fitness center e teve seu lobby modernizado - mantendo, assim, a atualização do produto, que já soma 13 anos de operações, sendo oito deles com a rede gaúcha.

Campo Belo
Quase vizinho do Aeroporto de Congonhas, na zona sul de São Paulo, o bairro do Campo Belo é majoritariamente residencial. Suas imediações - as avenidas Vereador José Diniz, Jornalista Roberto Marinho e Santo Amaro - já são pontos onde o comércio, os escritórios e as sedes de empresas reúnem-se. Mais uma vez, a localização é o grande ponto forte de um hotel InterCity: este tem a tranquilidade do bairro e a proximidade destas grandes vias, além do aeroporto.

O InterCity Campobelo Plaza é a mais recente conversão da rede em São Paulo - entrou para seu portfólio no início deste ano. João Paulo Monteiro, coordenador de Atendimento ao Cliente, e Luciana Hohl, gerente geral, emcabeçam a equipe da unidade, que teve como seu primeiro grande desafio a mudança operacional e de visibilidade gerada pela entrada em uma grande rede. O coordenador explica que o movimento foi positivo: foi possível manter os clientes do antigo hotel e incrementar algumas áreas, como a parceria com agências de viagens.

Neste processo de conversão, as novidades começam a ser implantadas: a piscina instalada na cobertura do prédio, e a reabertura do restaurante - que também deve receber o novo cardápio da rede em breve. As acomodações também passam por uma modernização, necessária para a manutenção da qualidade do produto. As mudanças já começaram pelos apartamentos Premium, que ganham novo visual e equipamentos.

Esta unidade também tem perfil de long stay, com quartos de até 43 m², mas consegue um equilíbrio entre alguns moradores, executivos estrangeiros e brasileiros com família que passam uma temporada de mudança para a cidade ou que instalam-se por um longo período de trabalho, e casais que aproveitam o fim de semana para o lazer na capital paulista. Os 80 apartamentos do pool ainda recebem turistas que buscam seu visto de entrada nos Estados Unidos e precisam ficar próximos ao local da entrevista - o Consulado Geral do país em São Paulo também fica na zona sul.

Serviço
www.intercityhoteis.com.br

*A jornalista do Hôtelier News hospedou-se nos hotéis a convite da InterCity

Comentários