Juazeiro do Norte atrai romeiros e empresários à região do Cariri

padre_ciceroA estátua do Padre Cícero fica na parte mais alta da cidade, a Colina do Horto (fotos: Priscilla Haikal)

Situado na região do Cariri, parte sul do Estado do Ceará, o município de Juazeiro do Norte é comumente associado à figura de Cícero Romão Batista, popularmente conhecido como Padre Cícero ou Padim Ciço. O religioso viveu na cidade entre meados de 1870 até sua morte em 1934 e teve vasta influência social e política, contribuindo inclusive com o processo de emancipação do então vilarejo. Apesar de ter sido expulso da Igreja Católica, acusado de forjar milagres e de explorar a ingenuidade dos fiéis, o padre é cultuado como mito no Nordeste brasileiro, além de ser considerado santo por muitos devotos. Ao visitar o Cariri cearense, principalmente as cidades de Barbalha, Juazeiro e Crato, é praticamente impossível não notar a religiosidade como tema constante na rotina dos moradores. A imagem do religioso - seja em plástico, madeira ou cerâmica - está presente na entrada da maioria dos estabelecimentos comerciais, fora que o próprio nome do Padre Cícero serve de inspiração para o letreiro de padarias, farmácias e oficinas mecânicas. Outras propriedades seguem essa linha sacra ao adotar distinções como pousada Cordeiro de Jesus, mercado Nossa Senhora de Fátima e mercadinho Santo Expedito. Com uma população de aproximadamente 250 mil habitantes, o município de Juazeiro do Norte é o grande polo de desenvolvimento da região pela fama de ser a terra de Padre Cícero. A cidade recebe em média 2,5 milhões romeiros por ano e tem vivenciado um intenso avanço das atividades comerciais e industriais. Atualmente, o local é o terceiro maior centro de produções calçadista no País e tem no segmento de serviços outro importante chamariz de empresários e turistas de compras. Um dos locais que mais atraem os consumidores é a rua São Pedro, no centro da cidade, pelo vasto número de lojas de roupas, móveis, eletrônicos e eletrodomésticos. A maior dificuldade de transitar por ali é que muitos carros estacionam na estreita via de apenas duas faixas, tornando o tráfego comparável à de grandes capitais. A impressão é que o urbano adentrou abruptamente o ambiente interiorano, tendo que se adaptar de acordo com as condições disponíveis no momento, sem planejamento tampouco preparo para absorver tamanho crescimento. Serviço www.juazeiro.ce.gov.br  

Comentários