Les Clefs D'Or Brésil: Associação dos embaixadores "chave de ouro" de seus destinos

*Matéria atualizada em 18/12/2014 as 13h04


Logomarca da entidade mostra o símbolo internacional dos concierges "chave de ouro"
(fotos: Juliana Bellegard)

Um par de chaves de ouro colocado na lapela do uniforme - este é o símbolo que identifica os concierges que integram a Les Clefs D'Or (chaves de ouro, em francês). A associação internacional que reúne estes profissionais cuja função de abrir as portas da cidade é representada pelo emblema foi criada em 1929 com o objetivo de formar uma rede de contato entre os concierges. Hoje, ela é referência de excelência no atendimento e credencia profissionais que se destacam na função.

Existente em todo o mundo, a entidade passou a contar com um braço brasileiro em 1991, quando a então associação dos concierges filiou-se à Les Clefs D'Or francesa e passou a ser uma assiciação independente. Anteriormente, os membros brasileiros estavam ligados à Les Clefs D'Or USA, que representava a América Latina.

A filiação internacional foi impulsionada por Alexandre Imbroisi, concierge do Le Méridien Copacabana (hoje Windsor Atlântica) que já era membro da associação francesa. Por sua iniciativa, profissionais de grandes hotéis do Rio de Janeiro da época, como o Rio Palace (hoje Sofitel Copacabana), Copacabana Palace, Rio Othon Palace e Sheraton Rio reuniram-se com o objetivo de criarem a Les Clefs d'Or Brésil e seguir com este trabalho de networking.

Passados 23 anos, a entidade hoje atua visando principalmente o fortalecimento da profissão e da associação por meio do fortalecimento de seus membros. Em entrevista ao Hôtelier News, Guilherme Borges, presidente da associação e concierge do JW Marriott Rio de Janeiro, fala sobre esta carreira e o trabalho da Les Clefs D'Or Brésil.

Por Juliana Bellegard


Guilherme Borges, do JW Marriott Rio de Janeiro, está à frente da associação até o ano que vem

Atualmente, a entidade passa por um momento de crescimento - tanto no número de associados e Estados nos quais eles atuam, quanto em termos das atividades realizadas. Superando a marca dos 45 membros atuais e honorários em seis Estados brasileiros - Rio de Janeiro, São Paulo, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Bahia -, a atual gestão quer ir mais longe.

"Nossa diretoria tem como meta ter pelo menos um concierge Clefs D'Or em cada Estado. Antes, os profissionais membros ficavam concentrados no Rio de Janeiro, onde a associação começou, e São Paulo. Já expandimos um pouco isto", afirma. "É preciso divulgar a profissão e a associação, mostrar a importância do trabalho que fazemos e o respaldo que damos", completa.

A principal e inicial função da organização é fortalecer os laços entre os profissionais, valorizando o networking como ferramenta de trabalho. Por isso, os encontros e a troca de informações é incentivada constantemente. No calendário da entidade brasileira estão reuniões mensais com parceiros e fornecedores para saber das últimas novidades da cidade, fam tours, celebrações organizadas por conta do Dia do Concierge - comemorado em 29 de junho -, além do Encontro Nacional de Concierges e os congressos internacionais.

Exemplo disto foi a edição 2014 do encontro, realizada pela primeira vez em São Paulo e que mobilizou quase todos os membros. A programação incluiu discussões sobre temas variados relacionados à hotelaria, como a mesa redonda sobre Tendências gastronômicas, city tour, celebrações e a assembleia geral da associação, quando se conhecem seus novos membros.

Renata Cury Farha, diretora da entidade para São Paulo e Chef Concierge do InterContinental da capital paulista, apontou que o evento foi extremamente positivo para mostrar que a associação está crescendo, além de ser uma oportunidade para ela exercer seu talento: abrir as portas do destino para seus colegas de profissão, apresentando algumas atrações da cidade.

A proposta, segundo Borges, é tentar fazer com que o encontro seja realizado em outras localidades, "fugir um pouco mais do Rio de Janeiro". Novamente, dar visibilidade ao trabalho da Les Clefs D'Or é o objetivo por trás desta itinerância.


Capacitação e aprimoramento dos profissionais são foco da entidade

A profissão
O presidente da associação explica que a própria profissão de concierge ainda é algo a ser divulgado no Brasil. Ele mesmo conta ter conhecido o cargo por meio de um filme e, ao entrar na faculdade de Turismo, pode conhecer a fundo a atividade. "É apaixonante", descreve ele, explicando sua identificação com o que faz.

"O concierge é aquele embaixador da cidade, procura passar todas as informações para o seu hóspede de maneira clara, atendendo-o da melhor maneira possível", explica, destacando a excelência no serviço. "Ele também é um representante do hotel. O bom concierge ajuda na fidelização do hóspede, que vai se lembrar daquele atendimento", completa. 

Por conta disso, a capacitação profissional é um dos assuntos sempre em pauta na entidade. Além dos encontros nacionais e dos congressos internacional e Panamericano, outra ação da Les Clefs D'Or Brésil é a criação de um centro de formação. O Projeto Instituto Concierge começa entre março e abril de 2015 e será aberto para todos os profissionais da área.

Luis César Rodrigues, secretário Geral da associação e concierge do CJ Executive, explica que a proposta é oferecer "uma mini-formação, composta por quatro encontros totalizando 34 horas de aula. Dividimos os temas: falamos sobre hospedagem, focamos na função do concierge e também tratamos um pouco da associação". Além do aprimoramento, o fortalecimento da função também renova a visão do próprio hotel deste profissional.


Borges com Renata Cury Farha, do InterContinental São Paulo, e Luis César Rodrigues, do
CJ Executive

Associação
Para tornar-se um membro, o profissional precisa atuar na área de hotelaria e somar no mínimo dois anos de experiência na profissão. Ele também precisa de duas cartas de recomendação de dois membros da Les Clefs d'Or do Brasil e a carta de recomendação do gerente geral da unidade onde trabalha, apoiando a candidatura. Os interessados ainda passam por uma prova e uma entrevista com a diretoria da associação.

Guilherme Borges destaca, no entanto, que o engajamento é fundamental para a filiação à entidade. "Você começa a participar das reuniões, dos eventos, conhece o que a Les Clefs D'Or faz, qual seu propósito", descreve. No próprio site da associação, a recomendação é feita: "compareça em nossos encontros, compartilhe a sua experiência através de nossas redes sociais, participe dos eventos promovidos pela Les Clefs d'Or e os eventos beneficentes da nossa Fundação Concierge Brasil, esse é o caminho para a sua candidatura. Não importa a sua distância, utilize a internet".

As instruções do passo a passo da candidatura estão no site da entidade, assim como o formulário de cadastro para receber suas novidades.

Serviço
www.lesclefsdor.com.br

Comentários