Por reposicionamento, Jatiúca passa por transformação estrutural

Jatiuca
Resultado final do projeto de reformulação que deve ser concluído em 2015 
(fotos: divulgação e Priscilla Haikal)

"Ou vocês voltam a investir no negócio, ou é melhor colocar o hotel à venda". Esse foi o parecer da consultoria imobiliária Jones Lang LaSalle informado aos administradores do Jatiúca Hotéis e Resorts após estudo sobre o desempenho e posicionamento da unidade no mercado hoteleiro. O empreendimento situado na orla da praia de Jatiúca, na cidade de Maceió, em Alagoas, completa 35 anos de operação no ano que vem.

Apesar da tradição do meio de hospedagem, que nas palavras da secretária de Estado do Turismo, Danielle Novis, "faz parte do imaginário do nosso povo", a chegada de novas unidades vem estimulando a concorrência e o desenvolvimento turístico na região. Tal crescimento tem provocado a elevação dos padrões de estadia no Estado e obrigado muitos hotéis a repensar a estratégia operacional e a qualidade dos serviços oferecidos. Somente nos últimos quatro anos, foram inaugurados 20 empreendimentos. Desde então, pelo menos outros nove hotéis investiram na modernização e retrofit das instalações.

Mediante este cenário restou ao Grupo Pernambucanas, proprietário da unidade, tomar uma decisão. Foi assim que em 2012, com um aporte de R$ 30 milhões - parte financiado pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) -, teve início o processo de reestruturação do Jatiúca. O projeto abrange cinco fases e começou a ser arquitetado em janeiro do ano passado. As obras acontecem há quase 18 meses e o primeiro grande resultado foi apresentado ao público recentemente, com a inauguração do novo centro de eventos, celebrada no dia 3 deste mês.

Por Priscilla Haikal*

Jatiuca_HN
A Lagoa da Anta atravessa o terreno onde fica situado o resort Jatiúca

A etimologia da palavra jatiúca tem suas origens na língua indígena e significa carrapato. Com esta explicação, muitos podem pensar que a área já foi infestada por esses ácaros. Mas não é o caso. Como no nordeste os pés de mamona são conhecidos como carrapateira, planta comum na região, o local acabou ganhando este nome. Além desta espécie, a área verde do resort Jatiúca possui coqueiros e palmeiras do tipo ouricuri. A natureza é um dos principais atrativos do empreendimento pé na areia, que além da vista estonteante para o mar de Maceió, é cortado pela Lagoa da Anta.

O terreno ocupa uma área de 62 mil m². A estrutura atual dispõe de 191 acomodações, divididas em dois blocos: o Resort Hotel, que funciona desde 1979, e o Resort Suítes, inaugurado em 1991. A última e quinta fase do projeto de mudanças, com entrega prevista para 2015, consiste na construção do terceiro bloco de apartamentos, com mais 57 UHs.

PLANTA GERAL
A planta geral do terreno cortado pela Lagoa da Anta

Até o momento, três etapas da modificação foram concluídas. Tudo começou com a transferência dos colaboradores que atuavam onde hoje funciona o novo centro de eventos. Anteriormente o local abrigava a equipe administrativa, o almoxarifado, o refeitório dos funcionários e a lavanderia. À época, a ideia de reaproveitar o espaço já existente foi do recém-chegado Cláudio Cordeiro, que assumiu como diretor geral do empreendimento em abril de 2012.

"A estrutura tem uma ótima localização na planta do hotel, logo em frente à entrada da unidade. Além de ser possível utilizar a área externa do gramado para reuniões e encontros sociais, ao invés de construir uma nova edificação, adaptamos as salas aos modelo planejado", explica Cordeiro. Os gastos no espaço de eventos somaram R$ 4 milhões.

Ao mesmo tempo que o novo centro tomava forma, teve início a modernização dos dormitórios. Seis unidades do Resort Hotel foram reformadas a fim de servirem como base para os novos quartos do terceiro bloco de apartamentos. Também foi realizada a troca de mobiliário, de equipamentos, e da decoração do quinto ao sétimo andar do Resort Suítes.

jatiuca
Os gestores Ana Cláudia Nobile e Cláudio Cordeiro entre as secretárias de turismo
Danielle Novis (Alagoas) e Claudia Pessôa (Maceió) 

Reestruturação do lazer e de A&B
Atualmente algumas estruturas estão funcionando de maneira provisória por causa das obras, como a área do restaurante Varandas, o centro de fitness e o playground. Apesar de certos ambientes estarem adaptados, isso não prejudicou o desempenho do empreendimento nesse período de reformas. A gerente de vendas do meio de hospedagem, Ana Cláudia Nobile, fala sobre o clima que tomou conta do hotel desde as primeiras marretadas.

IMG_5869
Placas indicam que a unidade está sendo alvo de mudanças

"Em julho tivemos uma ocupação linear na casa dos 90%. Mesmo com a movimentação intensa foram raros os casos de queixas devido às obras. Os clientes assimilaram bem o processo. É muito bom conseguir entregar o produto e ver a equipe empenhada nesse momento de renascimento do Jatiúca", enaltece Ana Cláudia.

Está prevista para dezembro a conclusão da nova área de lazer e a entrega do complexo gastronômico reformulado. As mudanças neste último espaço abrangem a unificação dos restaurantes Canoas e Alagoas, que terá capacidade para 320 pessoas. As instalações do bar Areia Fofa também estão sendo ampliadas para servir de apoio à terceira piscina, que deve ficar pronta em maio de 2014, junto com a reforma da recepção. Há ainda a proposta para a construção de um bistrô, com no máximo 60 lugares, que ainda está sendo estudada.

Todos os ambientes ficam próximos da praia, incluindo o novo kids club, o espaço fitness, o salão de jogos, as quadras e o spa. A intenção é deixar esses espaços de lazer mais afastados dos apartamentos, evitando que o barulho seja um incômodo para os hóspedes.

Reposicionamento no mercado
Após a inauguração do centro de eventos, o meio de hospedagem passou a contar com uma estrutura para receber até 1.200 convidados. Ao todo são nove espaços - cinco no térreo e quatro no primeiro andar. A maior sala é a Jatiúca, com capacidade para 500 pessoas. De acordo com diretor do empreendimento, a decisão em investir no segmento corporativo veio da necessidade de tornar o produto mais competitivo e da oportunidade de gerar negócios. Cordeiro cita a chegada do Ritz Lagoa da Anta e do Radisson Hotel Maceió, da rede Atlantica, como fator que contribuiu nessa escolha.

"Nós já tínhamos uma ocupação boa, na casa dos 70%. O público predominante sempre foi o de lazer, mas a abertura de novas unidades ampliou o leque de opções na região, explorando um segmento que estávamos defasados", detalha Cordeiro. O Ritz possui nove salas e capacidade total para 1800 pessoas. O Radisson dispõe de oito espaços podendo comportar até 800 convidados. Antes das obras o Jatiúca tinha duas salas de reuniões, num espaço de 380 m² para 450 lugares. Hoje o centro de eventos ocupa 1000 m² de área.

Centro Eventos Jatiuca


Apesar da unidade quase ter triplicado a capacidade para receber eventos, as acomodações não seriam suficientes para abrigar todos os visitantes. Após a construção do terceiro bloco de apartamentos o local vai dispor de 248 quartos. Segundo a administração, este déficit não chega a ser um problema pois os encontros e reuniões que acontecem na cidade ainda são de pequeno porte e se for necessário é possível estabelecer acordos com as hospedagens vizinhas.

A gerente de vendas detalha que o objetivo no longo prazo é readequar a tarifa do hotel, tomando como base os valores praticados por outros resorts. Ana Cláudia também frisou a meta de equiparar o segmento de eventos com a participação obtida pelas unidades concorrentes. "Sem a inauguração do centro de eventos a receita do setor equivalia entre 6% a 8% do faturamento do hotel. A média dos outros resorts é de 30%. A intenção é dobrar esse número até o ano que vem e chegar ao patamar desses empreendimentos em 2016", diz.

01
Cláudio Cordeiro e a equipe de Vendas do Jatiúca: Alexandre Cequetin,
Alessandra Cardoso, Rosanne da Matta e Mário Gomes

Para cumprir com tais anseios, a empresa está investindo no trabalho de prospecção desde maio, durante a 36ª Aviestur. Foi nessa época que ocorreu a contratação de Rosanne da Matta, executiva designada para apresentar esta nova fase do meio de hospedagem, voltado para o segmento corporativo. A gestora afirma que primeiro está tratando com organizadores de eventos, para posteriormente investir em associações e OTAs.

"Antes não havia essa cultura de negócios no hotel. Durante a atividade de sondar o mercado, tive contato com várias pessoas que já conhecem a unidade por terem passado férias ou feriados por lá. Então é uma verdadeira capacitação, a partir da apresentação desse novo projeto", pontua Rosanne.

Somente na divulgação do novo centro de eventos foram investidos R$ 200 mil. A administração prevê outros quatro momentos importantes de mídia: em dezembro, na abertura da nova estrutura de lazer e de A&B; em abril de 2014, após a inauguração da terceira piscina e a modernização da recepção; seguido pelo festa de 35 anos da unidade; e em março de 2015, com o término do terceiro bloco de apartamentos.

Serviço
www.hoteljatiuca.com.br

*A jornalista do Hôtelier News viajou à capital alagoana a convite do Jatiúca Hotéis e Resorts  

Comentários