Publicidade
Qua 09 Ago 2017

Regina Segui explica razões que levam Atlantica Hotels a figurar entre as líderes em conversões no País

Regina Segui está na Atlantica Hotels desde 2001 (foto: Hugo Okada)

Formada em turismo pela Universidade Anhembi-Morumbi e com especialização em Marketing pela ESPM (Escola Superior de Propaganda e Marketing), ambas em São Paulo, Regina Segui iniciou a sua carreira na hotelaria como estagiária do hotel Caesar Park, em São Paulo, na época sob administração da Blue Tree Hotels, rede presidida por Chieko Aoki, conhecida como a dama da hotelaria brasileira.

"Passei por diversos departamentos no Caesar Park. Ali tive a oportunidade de trabalhar no corporativo, nas áreas financeira, de desenvolvimento e de operações, no Caesar Park e no Caesar Towers, que hoje é Blue Tree. Participei e vi de perto a fundação da empresa, uma experiência bastante gratificante", conta Regina em entrevista exclusiva para o Hôtelier News.

Na Blue Tree Hotels, a profissional teve o seu primeiro contato com o universo complexo da hospitalidade, participando da implantação de empreendimentos e assistindo in loco, todo o seu desenvolvimento. Regina ainda não sabia, mas a experiência seguinte seria de um certo modo, bem mais desafiadora.

A indústria hoteleira, assim como seus principais canais de comunicação, sempre vê com bons olhos a chegada de bandeiras internacionais em terras brasileiras. Trata-se de uma oportunidade muito boa para os investidores, que sabem o impacto positivo que uma marca consolidada pode causar no turista internacional no momento em que decide onde ficar em um destino ainda desconhecido.

No entanto, poucas pessoas sabem o longo caminho que se percorre até a introdução de uma marca mundial e seus padrões de qualidade no Brasil e, principalmente, como mantê-los fiéis aos modelos internacionais. Para o atendimento de todas as normas e critérios exigidos por essas marcas e também para a manutenção desses padrões, a Atlantica Hotels, uma das maiores companhias hoteleiras em número de conversões no País, contratou Regina Segui, que por sua vez, se deparou com um novo desafio em uma nova e complexa realidade.

Com a sua chegada à companhia, foi criado o Departamento de Implantação. "Entrei na Atlantica Hotels em 2001 e, naquele momento, criei o Departamento de Implantação. Lembro que na época, a companhia administrava cinco hotéis. Depois de oito anos e diversas aberturas onde tive participação efetiva, fui convidada para abrir o Departamento de Produtos e Suprimentos, ou seja, dois desafios muito importantes, porque nos dois departamentos, comecei o trabalho do zero", revela.

O Departamento de Produtos e Suprimentos cuida da compra e manutenção de produtos e insumos específicos, em sua maioria correspondentes aos exigidos pelas marcas internacionais no caso de conversões e que respeitem os padrões impostos e já consolidados nas unidades, no caso das bandeiras nacionais. Como uma das companhias líder em conversões no Brasil, a missão de Regina Segui dentro da Atlantica Hotels é intensa. A profissional participa de todas as feiras e eventos de fornecedores promovidas no País e viaja constantemente a fim de acompanhar de perto a evolução dos novos hotéis e o período de transição das conversões.

"O departamento é responsável pela busca de novos produtos, fornecedores e serviços para os nossos empreendimentos. Dessa forma, fazemos a homologação de produtos e novos fornecedores. Estamos sempre participando das feiras em busca de novas tecnologias e inovações para os hotéis. Também cuidamos de todas as negociações corporativas que são disponibilizadas para as unidades, sejam de produtos ou de serviços. Além disso, renegociamos contratos que abrangem o fornecimento de todos os tipos de produtos, sejam de higiene, gráfica, amenities, limpeza, entre outros. A outra parte é relacionada aos investimentos, onde fazemos toda a negociação de todo o ativo fixo do hotel, que vai desde um lençol ou colchão até um item de decoração. O objetivo é manter os hotéis sempre atualizados", explica sobre o departamento.

O momento de reforma dos hotéis é outros aspecto importante dentro do campo de atuação do setor. "Participamos de todo o processo, desde a seleção do escritório a ser contratado, passando pela reunião com os arquitetos para discutir o que é importante dentro do conceito da bandeira, o budget disponível, entre outros temas. Em seguida passamos a matriz de produtos e as especificações da bandeira para que o projeto saia de acordo com os padrões. Por exemplo, para um Radisson, existe um padrão e para o Comfort outro", destaca a profissional.

Outras atribuições incluem a pesquisa e indicação de novos produtos e serviços, assim como fornecedores, para que o projeto identifique e reflita o conceito da marca. "Apesar disso, não trabalhamos um empreendimento igual ao outro. Eles seguem as normas de padronização, mas não precisam ser iguais. Gostamos de diversificar a acreditamos que o hóspede também se sinta bem ao perceber que mesmo sendo de uma mesma marca, o hotel proporciona novas sensações e experiências", afirma Regina.

Todos os hotéis de marcas internacionais implantados e geridos pela Atlantica Hotels no Brasil são constantemente inspecionados por representantes das companhias, que certificam a qualidade e o padrão dos equipamentos segundo suas próprias especificações.

E quais são os maiores desafios enfrentados pelo setor? "Buscar sempre as novidades do mercado. E estar sempre atualizado não é tarefa fácil. Visitamos todas as feiras, sejam do segmento hoteleiro ou não, como a Revestir, maior feira de interiores da América Latina, e onde sempre encontramos muitas inovações em interior, decoração e acabamento; e feiras de outros segmentos como alimentação, higiene e hospitalar, entre outros. Outro desafio é trazer sempre as melhores negociações para a rede, com parceiros que atendam as expectativas dos hotéis, sobretudo em um cenário de crise como o que vivenciamos", analisa.

A importância da tecnologia
"Atendendo a essa nova geração de viajantes que praticamente não prioriza preço e sim as tecnologias e o conforto oferecidos, buscamos em conjunto com outros departamentos - mais voltados para a questão de inovação tecnológica - melhorar o sinal de internet, tomadas elétricas e fontes USB, além de outros itens que já enxergamos como commodities. É outro desafio, acompanhar a evolução da tecnologia e o perfil de quem está comprando nossos produtos. Temos outros projetos que estão sendo trabalhados nesse sentido, como um hotel totalmente tecnológico e totalmente fora dos padrões conhecidos pela indústria e pelos consumidores. Acredito que será o start dentro do que os hotéis serão daqui para frente", adianta Regina.

Sustentabilidade
Regina Segui explica que parte das inovações sustentáveis encontradas nos hotéis são de iniciativa da própria Atlantica Hotels que objetiva acompanhar uma tendência crescente em todo o mundo. "Lâmpadas de led, chuveiros econômicos (de 8 a 10 litros por minuto sem perder em conforto), projetos de economia de água, controle dos horários de pico de energia e sinalizações como a utilizada nos quartos que busca conscientizar o hóspede sobre a reutilização das toalhas, entre outras ações de conscientização já são práticas comuns nos empreendimentos", ressalta.

Aberturas X Conversões
"A conversão é um processo mais desafiador porque, de um dia para o outro, o empreendimento vira de bandeira. Existem dois tipos de conversões - de hotéis que já são administrados pela companhia e mudam de bandeira; e hotéis de terceiros que a Atlantica passa a gerir sob uma das marcas do portfólio - nas aberturas, você tem um norte, um cronograma de quando será inaugurado. No caso de conversões de hotéis nossos, por exemplo, o Radisson Faria Lima que virou Radisson Blu São Paulo, é um pouco menos complexo porque já estamos dentro do prédio. Quando a conversão é de um hotel de fora da Atlantica, é mais desafiador. Temos de estudar a situação do empreendimento, mudar a cara do hotel para de um dia para o outro, tanto na parte física (comunicação visual, gráfica, amenities, equipamentos), como na parte financeira. É um processo no qual o hóspede não pode ser impactado de forma negativa", finaliza a profissional.

Plano de expansão
O plano de expansão da companhia a posiciona como uma das que mais crescem em número de aberturas e conversões no País. Somente em 2017, até o momento, foram inaugurados os seguintes empreendimentos: Quality Hotel Goiânia, de 190 apartamentos; Comfort Hotel Aracaju, de 132 apartamentos; Sleep Inn Guarulhos, de 200 apartamentos; Go Inn Campinas, de 224 apartamentos; Quality Suítes Botafogo (única conversão do ano), com 86 apartamentos; e Sleep Inn Pindamonhangaba, inaugurado no último dia 27 de julho, com 153 apartamentos.

Notícias Relacionadas

Comentários

Contato

Telefone : (11) 3253-9762

Celular/Claro : (11) 976-527-506

Celular/Claro : (11) 976-536-848

redacao@hoteliernews.com.br

Rede Sociais
Newsletter