STR divulga dados preliminares sobre os possíveis efeitos do furacão Harvey na hotelaria do Texas (EUA)

O furacão Harvey deixou, além dos estragos físicos, uma incógnita referente ao desempenho do mercado de hospedagem para o restante do ano e além, conforme analisa Jan Freitag, especialista da indústria hoteleira e vice-presidente sênior de Desenvolvimento Estratégico da STR.

"O Katrina foi tão forte que, em nível nacional, vimos um declínio na oferta de apartamentos nunca antes presenciado. Estamos curiosos para saber o real estrago deixado pelo Harvey", disse Freitag. 

Por Wayne Risher para o USA Today Network

O fenômeno Katrina foi responsável pelo fechamento de 24% dos apartamentos na Louisiana, um ano após o desastre, ocorrido em 2005. "Se o impacto causado pelo Harvey for semelhante, existe a possibilidade de que o fenômeno se repita, varrendo para fora todos os novos apartamentos adicionados este ano. Isso matematicamente falando", explica o especialista.

As projeções da STR para 2018, que antes davam por certo um aumento de 2,1% no fornecimento de quartos e um aumento de 2,3% no RevPar (receita por quarto disponível), "provavelmente devem mudar por consequência do desastre", segundo Freitag.

O especialista apresentou os dados durante uma atualização da indústria patrocinada pelo Metropolitan Memphis Hotel Lodging Association em parceria com a Pinkowski & Company, no Memphis Cook Convention Center, em Memphis, nos Estados Unidos. Na ocasião, Freitag atribuiu a mudança das previsões às oscilações que o furacão deve causar na indústria, à mudança do local das convenções antes agendadas para a região e no tempo que os hotéis devem gastar no reparo dos danos causados pela inundação e pelos fortes ventos.

"Os grandes grupos que já planejavam encontros em Houston devem ir para outras cidades. Os destinos beneficiados devem ser Nashville, Orlando, Atlanta, Chicago e Memphis", disse Freitag, fazendo uma pausa antes de mencionar a última cidade. "Isso é apenas o começo, nós ainda não vimos nada", finalizou.

Para conferir o artigo na íntegra, clique aqui.

* Crédito da foto: Pixabay/KBaucherel

Comentários