Zii Hotel Parauapebas (PA): Poderia ser em Londres, Buenos Aires ou qualquer outra cidade cosmopolita


Lobby-Lounge do Zii Parauapebas. O conceito é integrar
(fotos: Peter Kutuchian)

Los Angeles, Buenos Aires, Milão, São Paulo ou Rio de Janeiro? Poderia ser em uma destas cidades ou em qualquer outro destino cosmopolita, porém é no Brasil, precisamente na localidade de Parauapebas, no Pará, onde foi inaugurado o primeiro Zii Hotel do Brasil, com investimentos na ordem de R$ 20 milhões.

Se voltarmos na história da hotelaria mundial, o Estado da região Norte do País, já foi também palco de uma abertura de uma tradicional marca hoteleira mundial, a InterContinental, que teve sua primeira unidade aberta em Belém, há quase 70 anos, exatamente no dia 3 de abril de 1946. A ideia surgiu, um ano antes, em uma reunião entre dois presidentes, o dos Estados Unidos, Franklin Delano Roosevelt, e o da companhia aérea Pan Am, Juan Terry Tripe, que juntos vislumbravam que bons hotéis poderiam atrair investidores norte-americanos ao mercado sul-americano.

Uma coincidência? Um ciclo que se repete? Pode ser, mas desta vez a ideia surgiu da cabeça de um hoteleiro brasileiro, Julio Gavinho, diretor-presidente da doispontozero hotéis, que poucos anos atrás iniciou um projeto de desenvolvimento de empreendimentos hoteleiros voltados para as gerações Y e Z. Entendeu agora o por que da marca se chamar Zii?

O InterContinental Belém já não existe mais, assim como, a outrora tão cultuada classificação estelar, substituída atualmente pelos comentários deixados por hóspedes nos sites especializados, os disputados reviews. O Zii não é um hotel de luxo, tem serviço enxuto, A&B comedido, porém tem potencial para ser o meio de hospedagem número 1 de Parauapebas no TripAdvisor.

Por Peter Kutuchian*

A marca Zii foi desenvolvida especialmente para as gerações Y e Z

Pois bem, estamos no primeiro Zii Hotel do Brasil, e do mundo. O empreendimento poderia estar inserido em qualquer destino internacional. Mas, por quê? A resposta é simples. O Zii é atual, moderno, dinâmico. A começar por seu lobby-lounge, que une as sensações de alegria e descontração com a alimentação e o trabalho. Plantas suspensas, objetos coloridos, cabines que garantem uma privacidade na hora de trabalhar no notebook ou simplesmente relaxar, assistir TV e comer.

O departamento de Alimentos & Bebidas trabalha de forma enxuta. No café da manhã, serve itens suficientes para alimentar qualquer cidadão, mas que não enchem os olhos do comensal brasileiro, acostumado com a quantidade, o esbanjamento.

Todos os pratos quentes do café da manhã são feitos sob demanda, evitando o desperdício e garantindo o seu frescor. O pão na chapa, item ressaltado com orgulho por Gavinho, chega quente na mesa, assim como os tradicionais omeletes, ovos mexidos, misto-quentes e pães de queijo. Isso garante em primeiro lugar uma economia de custo na produção, algo que as gestões de muitos hotéis brasileiros não levam em cosideração.

"Um hotel de última geração trabalha com três pilares: economia, inovação e sustentabilidade", diz Gavinho. "Quando iniciamos o desenvolvimento da marca pensamos em todos os detalhes, principalmente em uma operação mais enxuta possível. Isso torna o produto mais fácil de vender e, o mais importante, garante a entrega daquilo que o cliente espera receber", completa.

Julio Gavinho, diretor-presidente da doispontozero Hotéis

No quesito sustentabilidade, pudemos ver in loco a estação de tratamento de reuso d'água, que fica ao lado da piscina do Zii Parauapebas. Um pouco mais adiante, a estação de tratamento de esgoto. "Devolvemos a água para a empresa fornecedora mais pura do que recebemos", comemora Gavinho. Na cobertura do edifício, placas solares garantem o aquecimento do líquido que banha os hóspedes pelos chuveiros. "Isso permite que a pressão d'água seja forte, como em todo o hotel dever ser, e economiza o consumo de gáz, que é utilizado apenas para a cozinha", explica o executivo.

Além disso, toda a iluminação do Zii Parauapebas é de LED, o que garante um consumo 30% inferior do que um hotel de mesmo porte consumiria se utilizasse lâmpadas normais. Um gerador próprio é ligado todos os dias no horário de pico de consumo, reduzindo assim a conta de energia.

Mas, e os quartos? A primeira impressão já começa nos elevadores, que contam com pouca iluminação, o mesmo acontece nos corredores, que contam com tons escuros, ressaltando os luminosos das letras "Z", que indicam, quando acesas, que o quarto está ocupado. A habitação reservada para nós já estava com a chave inserida no sistema de economia de energia, assim sendo, as luzes estavam acesas, e a iluminação do quarto causa uma sensação diferente. Por trás da TV, embaixo da cama e em volta cabeceira da cama, que vai até o teto. A ilustração do Mulheres Barbadas ocupa toda a parede atrás da cama e dá ao quarto um toque especial de irreverência.

A segunda impressão é a falta da tradicional bancada de trabalho. Uma poltrona, colocada num canto, em frente a uma mesa baixa, com dois tampos redondos, é fruto da pesquisa feita com a geração Y, também chamada millenial, que prefere esse tipo de móvel para usar o tablet ou notebook, sendo a cama (de colchão firme) outra opção para a consulta dos dispositivos eletrônicos de conectividade.

A TV de 40" e o tocador de música, que pode ser conectado ao celular via bluetooth são os equipamentos disponíveis para o entretenimento dos hóspedes. A mini geladeira fica vazia, exceto pelos quatro copos d'água que são oferecidos gratuitamente pelo hotel. Um armário sem portas, um banheiro sexy-style, ar-condicionado modelo split e cofre completam a infraestrutura do quarto.

Piscina, academia de ginástica e três salas para eventos, além de estacionamento fazem parte das opções de serviços do Zii Parauapebas. Check-in feito no aplicativo, possibilitando que a FNRH (Ficha Nacional de Registro de Hóspede) seja preenchida uma única vez, depois basta apenas assinar.

Todo o consumo feito no hotel pode ser pago no ato da compra, ato que é incentivado pelos colaboradores, possibilitando assim fazer check-out sem pegar filas, é só avisar da saída e devolver a chave. 

Ah, o wi-fi, café da manhã e estacionamento são gratuitos.

As próximas aberturas acontecem em outubro de 2015, em Pouso Alegre, em Minas Gerais, e em dezembro, na cidade de Palmas, no Tocantins.

Confira na galeria abaixo as fotos do primeiro Zii Hotel do Brasil.

Serviço
ziihotel.com

* A reportagem do Hôtelier News viajou ao Pará a convite da doispontozero Hotéis

Comentários