';

"Novas fases, muitas mudanças e novidades para vocês!"

Vinicius Medeiros
Editor-Chefe
Cursos
icone de um computador com um LMS (learn management system)
Confira nossos cursos

Amadeus registra perda de € 89 milhões e inicia um plano de redução de custos

Por Redação 3 de agosto de 2020

Amadeus - redução de custosReceita da empresa caiu 55% no primeiro trimestre

Atravessando um ano de quedas históricas para o setor, a Amadeus registrou perda de € 89 milhões no primeiro trimestre, o que corresponde a redução de 113% em relação a 2019. Com isso, já em março, a marca anunciou um plano de redução de custos de € 300 milhões.

A empresa diz ainda que a receita caiu 55%, para € 1,3 bilhão, e o EBITDA caiu 84%, para € 194 milhões. Com isso, a Amadeus deu início a um plano de redução de custos, adicionando novos cortes que equivalerão a uma economia anual de € 250 milhões.

Anunciando os resultados do primeiro semestre e do segundo trimestre de 2020,  a empresa diz que o plano foi projetado para "fortalecer suas capacidades" daqui para frente. Nos seis meses, as reservas de agências de viagens caíram em 79% e a taxa de embarque chegou a 56%. Segundo Luis Maroto, presidente e CEO da Amadeus, o segundo trimestre de 2020 é um momento muito difícil para o setor de viagens em nível global.

Ainda de acordo com o CEO, no segundo trimestre, o negócio de distribuição registrou um decréscimo de 113% em relação ao ano anterior. Mas afirma que as reservas aéreas das agências de viagens começaram a se recuperar em meados de junho, com o volume de cancelamentos ocorrido em março, abril e parte de maio começando a desacelerar.

Amadeus: quedas significativas

A receita de distribuição diminuiu 102% no segundo trimestre, resultando em uma perda de € 16 milhões e 73% no total, para uma receita de € 442 milhões nos seis primeiros meses do ano. Apesar da incerteza no mercado, a empresa assinou nove novos contratos ou renovações durante o período coberto pelo relatório, incluindo a Air New Zealand.

“Desde o final de maio, começamos a ver um número crescente de vôos sendo programados, e o tráfego aéreo e as reservas estão respondendo. No entanto, a situação permanece altamente incerta”, diz Maroto. Ele acrescenta ainda que a empresa adotou medidas adicionais de liquidez e agora tem disponível 4 bilhões de euros, incluindo aproximadamente 2,4 bilhões em dinheiro.

A receita em soluções de TI caiu 56% no trimestre, para € 275 milhões e 29% nos seis meses, para receita de € 840 milhões. As quedas foram atribuídas principalmente à queda no número de passageiros embarcados no trimestre, que caiu 94%, para 31,3 milhões.

A economia de € 250 milhões em custos fixos deverá ocorrer através da aceleração dos programas de digitalização, acelerando a integração de aquisições e simplificando os processos em geral.

(*) Crédito da foto: Bru-nO/Pixabay