Adalberto Santos: A Tecnologia dentro da Gastronomia

Adalberto Santos

Atualmente estamos sendo bombardeados com expressões como Indústria 4.0, Quarta Revolução Industrial, Manufatura Inteligente, Internet das Coisas (IoT), Inteligência Artificial e muitos outros termos que não param de aparecer. Existe uma sensação de que algo precisa ser aprendido, mas não se sabe muito bem o que, em meio à tanta informação.

O objetivo deste artigo é apresentar algumas ações que já fazem parte do dia a dia de alguns negócios e empresários, e entender o que é essa nova tendência digital no mundo industrial. Como iniciar a sua jornada nesta era digital em que cada vez mais onde o mundo online e offline estão altamente integrados. Algumas indústrias já estão se destacando por possuírem processos automatizados e utilizarem essas novas tecnologias. Mas, a grande maioria, que ainda não possui uma manufatura tão madura, se sente um pouco perdida nesse mundo digital.

A Tecnologia dentro da gastronomia

Para gastronomia, a tecnologia já é presente, percebemos essa revolução, e fazemos parte da 4º Revolução Industrial. "Estamos a bordo de uma revolução tecnológica que transformará fundamentalmente a forma como vivemos, trabalhamos e nos relacionamos. Em sua escala, alcance e complexidade, a transformação será diferente de qualquer coisa que o ser humano tenha experimentado antes", diz Klaus Schwab, autor do livro A Quarta Revolução Industrial.

Uma rápida parte sobre história para refrescar nossas memórias;

1. A primeira revolução industrial aconteceu entre os anos de 1760 e 1840, com a construção de rodovias, o surgimento do motor a vapor e a transição do trabalho braçal para o mecânico por meio das máquinas; 

2. A segunda revolução aconteceu no final do século 19, até início do século 20, possibilitando a produção em massa por meio da energia elétrica e a criação da linha de produção; 

3. A terceira revolução industrial começou por volta de 1960, também chamada de Revolução Digital, com o desenvolvimento dos computadores, mainframes e a internet. 

4. A quarta revolução industrial está começando agora, é o que está sendo chamada de Industria 4.0 ou Manufatura Inteligente. Ela estende os impactos digitais da Terceira Revolução e integra os mundos físico ao digital. Os impactos dessa revolução serão vistos não apenas na manufatura, mas em toda a sua cadeia e na forma como as pessoas consomem produtos e serviços, se relacionam, nas economias mundiais e na sociedade como um todo.

Diante de toda essa constatação, devemos entender o que a tecnologia vem contribuindo dentro da gastronomia e quais resultados podem ser otimizados, e como os empresários nos dias atuais, estão garantindo nesse setor uma automação segura e suporte completo no atendimento aos seus estabelecimentos, seja de forma individual ou coletiva.

Estamos a bordo de uma revolução que irá transformar fundamentalmente tudo. Na gastronomia, a tecnologia já viabiliza análises eficientes, precisas, melhoradas além da detecção de problemas, possibilitando o aumento da margem com alimentos, garantindo uma otimização quase que plena e perfeita dos insumos e seus fatores de correção, reduzindo drasticamente custos com funcionários, integrando-se a sistemas empresariais, extraindo e consolidando índices, traçando estratégias a partir de análises precisas extraindo o máximo em faturamento, segurança na gestão, confiabilidade do negócio e das informações. 

Nesse momento, estamos em novo mundo onde as redes sociais ajudam os restaurantes, onde clientes compartilham as ações com os amigos usando a internet. Esse universo faz parte da gastronomia. O Foursquare City Guide, é cada vez mais usada rede de geolocalização via celular, uma febre em vários países. Tem desencadeado gincanas entre os brasileiros, que usam a ferramenta para interagir com estabelecimentos, que por sua vez dão descontos para quem faz o check in nos restaurantes. Em contrapartida, muitas redes de fast foods, bares e lanchonetes têm apostado na criação de campanhas que estimulem a presença desses competidores famintos.

O Facebook converteu-se em uma plataforma dinâmica, com alto grau de exploração pelos gestores da área de alimentação. Em São Paulo, por exemplo, é possível fazer reservas em estabelecimentos via a plataforma. 

Instagram de Diners #comodomenu, onde o restaurante cria menu virtual usando fotos dos instagram. A mídia social desafiou as empresas a pensar de forma criativa ao projetar estratégias de marketing. Mas o meio sempre em mudança também significa que você tem que trabalhar duro para conseguir um passo à frente, que é exatamente o que um restaurante fez. Comodo, um novo restaurante latino-americano em Nova York, sabe que as fotos dos fãs são um ótimo recurso para contar a história da sua marca. O restaurante levou o amor das pessoas de fotografar comida e usou para ajudar a criar um  menu no Instagram.

Diversos aplicativos do site têm sido criados e, com isso, a rede poderá se converter em um guia gastronômico, criando uma dinâmica de compartilhamento das experiências vividas por cada cliente com a sua rede de contatos. Tal fato ajudará no fortalecimento de cada marca e contribuirá na fidelização dos novos visitantes, estimulados pela mídia social.

“Um restaurante é feito muito mais do que bons pratos com toques de alta gastronomia.
Hoje a tecnologia faz parte da cozinha dos empresários que realmente buscam conquistar e manter os seus clientes”

Diante dessa realidade, temos a tecnologia com novos papéis dentro dos restaurantes, é fato! A tecnologia já afetou seu negócio e sua vida de maneira irreversível, o que temos pela frente será a real necessidade de capacitação e desenvolvimento de habilidades para administrar o seu negócio quanto o volume de conhecimento adquirido e velocidade exigida.

Muito em breve teremos competidores fortes dentro do mercado já que no Instituto de Tecnologia de Massachussets, um grupo de jovens criou o Spyce, um restaurante que contou com a contribuição do chef Daniel Boulud, dono de um restaurante estrelado em NY. Quem cozinha no Spyce é um robô, a única interação do humano é abastecendo com insumos e a máquina se encarrega de todo resto, garantido um padrão de quantidade, montagem e paladar que em algum momento a mão humana pode falhar. Já no Restaurante em Xangai foram contratados os robôs Toya e Kona para que eles preparem quatro tipos diferentes de Lamen, um alimento tipicamente chinês composto por filamentos de massa mergulhados em caldo extraído de verduras e legumes. Os novos chefs são capazes de fazer o prato em 90 segundos.

Bem vindo ao futuro, na verdade o futuro esta acontecendo agora e o quanto antes entendermos que essa mudança não tem mais volta e a nossa adaptabilidade a essa revolução deve acontecer o quanto antes, teremos mais chance de levarmos nosso negócio a frente, esta certo que ainda não é hora de contratarmos um robô para nossa cozinha, mas deixo uma pergunta a você leitor: quanto o seu negócio esta inserido no mundo tecnológico?

Bem vindo ao futuro!

----

Adalberto Santos é responsável pela área administrativo-financeira da Guersola Consultoria. Ele é graduado em Administração Empreendedora, Pós-Graduado em Gestão Empresarial e com MBA em Gestão Estratégica de Negócios. Conta com vasta experiência na gestão de condomínios residenciais de alto padrão com serviços hoteleiros, além de experiência na área de desenvolvimento de novos hotéis. Em seu currículo constam atuações em cargos como gerente de Operação e Implantação Hoteleira, gerente de Gestão em Saúde e gerente geral na AccorHotels. 

Contato
adalberto@guersolaconsultoria.com.br

(*) Crédito das fotos: arquivo pessoa

 

Comentários