Adalberto Santos: DRE – A fotografia do seu negócio

Adalberto Santos

Em que formato você se apoia para registrar tudo que ocorre no seu empreendimento? Como você organiza essas informações e de que modo elas são distribuídas e ordenadas para facilitar as suas análises. 

As anotações de entrada e saída existem mas muitas vezes não se sabe para qual finalidade. Isso é muito comum acontecer nas administrações com nível de profissionalização mediano. Nos projetos nos quais atuamos ainda encontramos negócios com esses tipos de situações, falta de registros e controles é normal, porém não deveria ser assim. 

Com a profissionalização do mercado esse tipo de situação acaba perdendo espaço e não sendo mais aceito, empreendimentos mal geridos são fadados ao fracasso ou a falência.  

Diante das questões que citamos acima a orientação é para que todo empreendedor construa e desenvolva seus controles, caso ele não tenha o devido conhecimento busque por profissionais do mercado que possam trazer esse entendimento e a importância de ferramentas necessárias junto à administração do negócio.

Neste artigo focaremos na DRE – Demonstrativo de Resultado de Exercício. 

A DRE é uma das obrigações mais importantes de qualquer empresa, independentemente de seu tamanho.

A ferramenta DRE tem um papel importante na tomada de decisões por parte dos gestores das empresas. Concentra informações de grande relevância na realização de um planejamento estratégico, seja para investidores ou interessados. 

Trazemos algumas dicas de como pode-se elaborar a sua DRE de seu negócio.

Como já mencionamos acima, a DRE é uma lista de registros que tem a função de identificar as entradas e saída de recursos. Normalmente esses registros devem ser realizados dentro de um período, para fins legais de divulgação, abrangem o período estabelecido como exercício financeiro, que normalmente vai de janeiro a dezembro (12 meses). Entretanto, também pode ser elaborada mensalmente para fins administrativos e trimestralmente para fins fiscais.

Se o seu hotel tem um sistema efetivo, que integre todos os departamentos -  compras e almoxarifado, o front com o registro das vendas, o departamento  pessoal com todos os registros de gastos com a folha de pagamento - ótimo, é só chegar ao final do mês e apertar uns botões que tudo surge num único relatório, lembrando que seja alimentado corretamente e diariamente.

Mas, mas se essa questão não existe no seu negócio, será necessário fazer as ações de registro manualmente. Neste caso ressalto que será preciso uma grande disciplina, para realizar todos os acontecimentos diariamente, não deixando para o último dia do mês.   

Outra dica importante é seguirmos uma ordem para efetuarmos esses registros. Primeiro devemos lançar as receitas, de preferência segmentando as suas origens de recebimento, como por exemplo, Cartão de Crédito, Dinheiro e Faturado. Na sequencia aparecem os registros dos impostos relacionados à venda, ICMS ou ISS dependendo do seu tipo de negócio. Retirando os impostos da sua RECEITA BRUTA, você terá a RECEITA LIQUIDA do empreendimento. 

Seguindo a construção da DRE, é hora de lançar tudo que compõe seu CMV (Custo de Mercadoria Vendida). Para ajudar nas análises, seus registros devem ser feitos em grupos, como por exemplo, carnes, pescados, aves, hortfruti, enlatados, refrigerantes, cervejas, enfim, separando por gênero cada um dos itens comprados. 

Lembrando que na parte superior de todos esses grupos deve existir o que chamamos de Cabeça de Conta de Custos. 

Dando sequencia aos registros, passamos para o CMO - Custo de Mão de Obra. O CMO é composto por todas as despesas efetuadas para você manter sua equipe. Salários e encargos, plano de saúde, vale transporte, alimentação entre outros pontos. Lembrando que um número mágico para esse indicador de desempenho gira entre 25% e 30%.

A próxima conta importante a ser registrada esta ligada a ocupação do imóvel. Essa cabeça de conta normalmente é chamada de custo de ocupação, aluguel, condomínio e seguro do imóvel. Para empreendimentos instalados em shopping centers, muitas vezes existem taxas adicionais como por exemplo o fundo de Marketing, que estão diretamente ligadas a locação.

A estrutura da DRE segue o seguinte esquema:

  • Na primeira linha é apresentada a Receita Bruta de Vendas e dela são deduzidas as devoluções de vendas, os abatimentos, os descontos comerciais cedidos e os impostos. A esse resultado dá-se o nome de Receita Líquida de Vendas;
  • Dessa Receita Líquida, deduz-se o custo das mercadorias e dos serviços vendidos, chegando-se ao Lucro Bruto;
  • Do Lucro Bruto, subtraem-se todas as despesas operacionais, financeiras, operacionais, gerais e administrativas. Inversamente, acrescentam-se aí as receitas operacionais e, então, chega-se ao Lucro (ou Prejuízo) Operacional Líquido.
  • A partir desse resultado, serão acrescentados (ou dele deduzidos) os resultados não operacionais, tais como as participações de debenturistas, empregados, administradores, partes beneficiárias, etc. Chega-se então ao Lucro Líquido do Exercício (LLE), objetivo final de toda DRE.

A vida financeira da empresa, o resultado de investimentos e estratégias adotadas ao longo de um determinado período, são facilmente demonstrados e visualizados por meio da elaboração de uma DRE, seguindo a metodologia contábil correta.

Algumas informações para realização de um planejamento tributário ou até mesmo um planejamento estratégico são refletidas pela DRE, possibilitando que por meio da simulação de cenários, o estudo de novas estratégias a serem aplicadas no futuro. Pela DRE é possível calcular indicadores simples para a gestão do dia a dia, a exemplo disso é a análise do ponto de equilíbrio e os indicadores de resultado.

Análise do Ponto de Equilíbrio

O uso das demonstrações financeiras vai além da simples leitura e entendimento, pois por meio dela podemos analisar mais profundamente, identificando a eficiência da gestão pelo do uso de análises e indicadores. O conhecimento do ponto de equilíbrio da empresa, que também pode ser chamado de breakeven point, fornece ao gestor informações sobre, quanto é preciso vender ou produzir para o negócio dar lucros?

E para o cálculo correto deste indicador é necessário ter em mãos informações sobre os custos variáveis da empresa e os seus custos fixos e despesas. Essas informações estão disponíveis na DRE.

Se não há conhecimento desse indicador, faço aqui a sugestão para consultar um profissional ou empresa que possa explicar a importância e de conhecer o ponto de equilíbrio da sua empresa.

Indicadores de Resultado

Já havia falado neste artigo e em outro artigo especifico de indicadores que a DRE é a demonstração que mostra o resultado da empresa em período de tempo especifico, sendo assim pela análise de indicadores podemos obter e entender qual a eficiência do investimento realizado. 

Alguns exemplos de indicadores; Retorno sobre os ativos (RSA = Lucro Líquido / Ativo Total), Margem Líquida (RSV = Lucro Líquido / Vendas), Retorno sobre o Patrimônio Líquido (RSPL = Lucro Líquido / Patrimônio Líquido)

Esses indicadores são alguns que podem ser gerados pelos números e demonstrativos contábeis, por isso recomendo o uso adequado das demonstrações. Essa ação pode ser um diferencial para o empreendedor e empresário, já que ao observar problemas é possível tomar medidas corretivas.

Deixamos aqui nossas dicas com relação a construção do DRE e indicadores relevantes para o seu negócio.

Lembrando que toda empresa ou empresário que ter longevidade e retorno deve sempre buscar por conhecimento, atualização e networking junto aos melhores players do mercado, e isso pode ser feito junto a um parceiro que pode ser uma empresa e/ou profissional que possa contribuir junto ao crescimento sustentável.

----

Adalberto Santos é responsável pela área administrativo-financeira da Guersola Consultoria. Ele é graduado em Administração Empreendedora, Pós-Graduado em Gestão Empresarial e com MBA em Gestão Estratégica de Negócios. Conta com vasta experiência na gestão de condomínios residenciais de alto padrão com serviços hoteleiros, além de experiência na área de desenvolvimento de novos hotéis. Em seu currículo constam atuações em cargos como gerente de Operação e Implantação Hoteleira, gerente de Gestão em Saúde e gerente geral na AccorHotels. 

Contato
adalberto@guersolaconsultoria.com.br

(*) Crédito das fotos: arquivo pessoal

Comentários