Bayard Boiteux: 20 sugestões de um não especialista para minimizar os impactos da pandemia

Bayard Boiteux

Bayard Boiteux sempre trabalhou no turismo, uma das indústrias mais importantes da economia mundial. Independente de sua atuação ele é um cidadão comum e também está preocupado com quais rumos a economia mundial terá a partir desta pandemia. 

A principal preocupação de Bayard porém está na sociedade, nas pessoas comuns que precisam sobreviver nos próximos meses. 

Numa breve reflexão Boiteux listou 20 sugestões para minimizar os impactos da pandemia na sociedade brasileira, e por que não de todo o planeta. Afinal não vivemos todos nele?

"Tenho certeza que com pequenos esforços, sugestões e muita compaixão podemos ser úteis para salvar as pessoas. Queremos sobreviver mas é preciso ajudar aos outros”, comenta Boiteux.

20 sugestões de um não especialista para minimizar os impactos da pandemia:

1) Acelerar a formação de médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem que estão em fase de conclusão de curso; 
2) Transformar estádios e hotéis em hospitais com as adequações rápidas necessárias;
3) Não descontar parcelas de empréstimos consignados nos próximos quatro meses;
4) Descontinuar as ligações telefônicas para aposentados do INSS oferecendo empréstimos;
5) Criar um fundo para aquisição de álcool gel para comunidades mais carentes com o aporte de pessoas físicas e jurídicas;
6) Incentivar contatos com as pessoas de grupos mais vulneráveis que estão em casa muitas vezes sozinhas com mensagens positivas;
7) Criar rotinas criativas que permitam otimizar seu tempo e nunca trocar a noite pelo dia;
8) Conversar com os que estão a sua volta oferecendo solidariedade, trocando opiniões;
9) Sempre que possível fazer compras pelo delivery, higienizando todos os produtos recebidos. Dar prioridade ao pagamento em débito ou por meio de cartão nos aplicativos;
10) Tentar incentivar os heróis que ainda trabalham em seus condomínios, nas ruas e nos hospitais não só com palavras de incentivo mas com ações de ajuda;
11) Criar linhas de incentivo para pequenos empresários e autônomos da cadeia produtiva do turismo que precisam sobreviver;
12) Abrir o acesso a todos os jornais e revistas online com todas as matérias de utilidade pública;
13) Criar uma tarifa única de luz, gás e água para os que podem pagar e isentar todos os demais durante os próximos quatro meses;
14) Criar, oferecer e indicar atividades gratuitas que podem descontrair as pessoas confinadas;
15) Evitar discussões inócuas e posicionamentos extremistas para evitar discussões que fragilizem as pessoas em tempos de incerteza;
16) Criar gabinetes por meio de vídeo conferência com especialistas do mundo inteiro para compartilhar boas práticas e avanços;
17) Ler muito, ouvir música, exercitar, repousar, amar muito a humanidade e ter muita solidariedade com os nossos cidadãos e os do mundo;
18) Evitar postar remédios milagrosos e notícias que não tenham fundamento;
19) Unir nossos esforços, independente de posições religiosas e políticas, e focarmos juntos no processo democrático e da diversidade cuja riqueza sempre moveu e moverá o mundo a buscar soluções;
20) Esquecer o "eu" e entender o "nós".

*O Professor Bayard Do Coutto Boiteux atualmente é vice-presidente executivo da Associação dos Embaixadores de Turismo do RJ, preside o Site Consultoria em Turismo, é gerente de turismo do Preservale, diretor geral do Instituto de Pesquisas e estudos do turismo do Rio de Janeiro e professor universitário.

(*) Crédito da foto: divulgação/Bayard Boiteux

Comentários