Toni Sando: O destino e a hotelaria: a arte do encantamento

Em minhas palestras costumo explicar como os destinos incrementam a experiência dos participantes dos eventos. Como feiras e congressos devem ampliar seu alcance para além das paredes dos centros de convenções e pavilhões de exposições, encantando o visitante com as atrações e atrativos do destino, além de possuir infraestrutura ideal para locomoção, acessibilidade, comunicação e capacitação dos profissionais do bem receber.

O mesmo acontece com a hotelaria. A experiência gerada pela excelência em hospitalidade e serviços do estabelecimento deve ser complementada com o encantamento proporcionado pelo destino. Com a soma, temos o fator “UAU”.

Os destinos possuem algo único sempre. Seja na gastronomia, arquitetura, ruas com alma, vida noturna, moradores alinhados ao bem receber, praias, campos, festas populares, história, artistas de rua, programação cultural e muito mais. O visitante precisa viver cada uma dessas experiências para que seja plena sua estadia. E, por fim, para que retorne em outra oportunidade e faça boa propaganda em redes sociais e círculo de amizade.

“Encantamento” é a palavra da vez. O hóspede pode usufruir do melhor dos serviços na hotelaria nacional e marcar profundamente em sua viagem. Mas é na junção com o destino que a experiência vai ampliar exponencialmente para o encantamento, vai gerar valor e riqueza ao destino e tornar o setor de turismo, eventos e viagens cada vez mais sustentável a curto, médio e longo prazo. Acreditamos nesse conceito nos mais de 40 destinos associados a UNEDESTINOS (União Nacional de CVBs e Entidades de Destinos)

(*) Crédito das fotos de Toni Sando: Divulgação/André Stefano

Comentários