';

"Bem-vindos ao nosso novo portal! "

Peter Kutuchian
Founder & CEO
Cursos
icone de um computador com um LMS (learn management system)
Confira nossos cursos

Belmond Copacabana Palace fecha 1º semestre com 54,7% de ocupação

Por Vinicius Medeiros 17 de agosto de 2018

Andréa: projeção otimista para o fim de ano e 2019

Ícone da hotelaria carioca, o Belmond Copacabana Palace não passou completamente imune à crise do setor no Rio de Janeiro. Produto único no mercado, e com um público fiel, o hotel fechou o primeiro semestre com ocupação de 54,7%. Em entrevista ao Hotelier News, Andréa Natal, diretora geral do empreendimento, revela que a projeção para o restante do ano é positiva.

“Acho que conseguimos manter uma ocupação razoável diante do momento do mercado. No primeiro trimestre, por exemplo, nossa ocupação de 62,4% foi melhor do que de 2017, bem como acima do projetado”, comenta. “Tudo o que fizemos de positivo no primeiro trimestre, entretanto, acabamos perdemos no segundo, com uma performance inferior à estimada”, completa Andréa, destacando que a ocupação de abril a junho ficou em 47%.

“Parece que estamos voltando aos anos 1980 na hotelaria do Rio, com períodos de alta e baixa estação definidos. Até a crise, tínhamos níveis de ocupação mais estáveis ao longo do ano inteiro”, avalia. “Aqui no hotel, vejo boas perspectivas. Os meses de julho e agosto estão positivos, talvez em função da alta do dólar, o que levou os brasileiros a viajar internamente. Acredito que os bons níveis de ocupação se mantém até dezembro, continuando em 2019”, avalia Andréa.

Belmond Copacabana Palace: A&B

A executiva destaca o papel importante da área de A&B (Alimentos & Bebidas) para o faturamento do hotel. “O A&B representa hoje 50% da receita. Muitos cariocas, por exemplo, frequentam nossos restaurantes Cipriani e Mee, não são apenas os hóspedes. Além disso, existem também os eventos corporativos e casamentos”, observa.

Foi justamente no segmento de eventos o principal investimento feito no Belmond Copacabana Palace este ano. Em julho, o Golden Room foi reaberto após reforma que deixou a decoração mais clean e sofisticada. Todos os patamares foram demolidos, deixando o salão inteiro com o mesmo nível de piso. O objetivo é garantir maior versatilidade nas montagens de eventos. Outro destaque é o novo lustre, com 3 metros de diâmetro e mais de 8 mil cristais amarrados por fios de cobre. O investimento na renovação não foi divulgado.
 
Outro dado informado por Andréa também chama atenção: 47% da venda são diretas, feitas via central de reservas ou no site da Belmond. O percentual só reforça o que foi mencionado no início do texto: o Copa tem um público bastante fiel. “Cerca de 70% dos nossos hóspedes são de lazer, a maioria estrangeira”, explica.

belmond-copacabana-palace - performanceHotel celebrou 95 anos de fundação esta semana

Ela informa ainda que, entre os hóspedes internacionais, 44% são sul-americanos, 26% são europeus e 19% são da América do Norte. “O número de brasileiros vem crescendo nos últimos anos. Moradores do Rio, aliás, têm sido um público importante. Muita gente vem passar o final de semana no hotel. Depois dos paulistas, são nosso principal mercado doméstico”, acrescenta.

Belmond Copacabana Palace: 95 anos

Na semana em que completou 95 anos de fundação, o Belmond Copacabana Palace promoveu uma série de iniciativas para celebrar a data. Além de ações nas redes sociais, o hotel promoveu apresentações musicais abertas ao público na porta de entrada. “Na segunda-feira (13), na data do aniversário de fundação do hotel, reunimos toda equipe para comermos um bolo gigante e celebrar. No final do mês receberemos escolas públicas do bairro para visitar o hotel e, até o final de setembro, faremos mini jantares com clientes habitués”, revela Andréa.

E o centenário do hotel, que será realizado em 2023, já existe alguma ação planejada? “Ainda falta uma longa estrada até lá. Temos muitas ideias e planos, mas ainda não há definido. Seria precipitado antecipar alguma coisa”, conclui.

(*) Crédito das fotos: Divulgação/Belmond