';

"Bem-vindos ao nosso novo portal! "

Peter Kutuchian
Founder & CEO
Cursos
icone de um computador com um LMS (learn management system)
Confira nossos cursos

BLTA promove conjunto de ações para retomada gradual e segura do turismo

Por Redação 21 de agosto de 2020

BLTA - ações - internaEntidade promoverá um evento em outubro para apresentação de dados

Reforçando seu propósito em promover divulgação qualificada do Brasil no exterior e doméstico, a BLTA (Brazilian Travel Luxury Association) vem difundindo ações para retomada gradual e segura do turismo. Com 99% de seus associados fechados em abril, a entidade utilizou o período para atuar na defesa da indústria, além de coordenar discussões sobre protocolos de saúde adotados nas reaberturas.

Uma das iniciativas adotadas foi a campanha “Um Dia de Sol”, vídeos desenvolvidos em parceria com as agências Virtuoso e Erik Sadao, diretor da Sapiens Travel. Com linguagem lúdica e trilha sonora de Fernanda Takai, do Pato Fu, a ação convida os turistas a viajarem de forma segura.

“A ideia era falar do Brasil, mostrando que somos um país extremamente solar com pessoas igualmente solares, que nossa gente tem luz própria, brilha e mantém os corações aquecidos na certeza de que, em breve, todos retomarão a alegria de viajar”, comenta Simone Scorsato, diretora executiva da BLTA.

A entidade é baseada em três pilares: autenticidade, sustentabilidade e diversidade, e a partir desse conceitos, vem promovendo boas práticas no setor. “No quesito sustentabilidade, detectamos que nossos associados ampliaram suas boas práticas, com relação a eliminação do uso de plástico nos hotéis este índice saltou de 73% para 92% de um ano para o outro, bem como, aumentou a adesão dos associados a trabalhos de apoio e suporte às comunidades locais: 58% (2019) ante 47% (2018)”, diz Simone. Os dados fazem parte da pesquisa realizada junto a seus associados no Anuário, que será lançado em meados de outubro.

BLTA: projetos

Para fomentar o apoio às comunidades locais, a BLTA criou o Projeto Turismo Solidário. “Esse movimento abre espaço para uma discussão mais ampla, pois são muitos os projetos e as iniciativas em ajudar as comunidades locais, mas todas elas dispersas. É muito importante reunir tudo isso em uma única plataforma, divulgando as ações, para que estas possam levar vida e dignidade aos que dependem da atividade turística. Não se trata só do produto hotel, da agência de viagem que vende esse produto, mas se trata, de fato, das pessoas que trabalham naquele lugar e que prestam serviços para que o turismo aconteça efetivamente”, afirma.

Assumindo papel de articuladora entre entidades do setor frente a esferas do governo, a BLTA vem contribuindo para a manutenção da imagem positiva do país por meio de ações promocionais e preservação de biomas nativos, cobrando ações emergenciais do governo federal.

A associação ainda faz parte do G8, grupo de entidades turísticas que se uniram no início da pandemia para pleitar medidas no Congresso Nacional buscando garantir a sobrevivência do setor. O bloco reivindicou iniciativas como a MP 948 e 936. “No entanto, sabemos que a atividade turística não retorna completamente agora. O turismo é uma das molas propulsoras da economia de diversas cidades do Brasil e, sem ele, vários setores econômicos foram desaquecidos gerando forte instabilidade social e econômica. Nesse reset do turismo, as autoridades têm de compreender o quanto este setor é importante para a geração de empregos e redistribuição de renda”, afirma a diretora.

O movimento Hospitalidade Segura aconteceu junto com diversos profissionais e entidades do setor na busca pela retomada da operação de forma confiável. No início de abril, 100% dos hotéis estavam fechados e já se sabia que seria necessário se preparar para a reabertura, levando o olhar e a experiência da hospitalidade hospitalar para dentro da hotelaria comercial, dada a urgência de que fossem criados protocolos que abordassem a questão do controle sanitário, a sanitização de ambientes, o treinamento e a qualificação de mão de obra, além dos investimentos não apenas na adoção dessas medidas, mas, também, no próprio empreendimento e na aquisição de EPIs e materiais.

A entidade convidou Marcelo Boeger, especialista em hospitalidade hospitalar, para contribuir com o desenvolvimento do manual. Ao lado do Senac-SP e demais associações, a BLTA coordenou um movimento com profissionais para validar boas práticas que compõem o Selo Turismo Responsável.

Em constante autoanálise como porta-voz de hoteleiros e DMCs, a BLTA dedica grande espaço à comunicação entre seus associados e à uniformização de uma linguagem que represente os valores e objetivos da entidade. Dessa maneira, e de forma orgânica, surgiu o Manifesto. “O turismo é fundamental para projetar uma boa imagem do Brasil lá fora, e o papel do turismo de luxo vai muito além do que se imagina, passando pela percepção de importantes setores, como meio ambiente, cultura e ancestralidade.  Complementarmente, ele afirma: “O turismo de transformação é o novo comportamento que vem movendo o viajante de alto padrão pelo mundo, em que a expectativa da viagem é ter experiências que proporcionem um aprendizado sobre si mesmo ou sobre o outro. Hoje, esse hóspede busca uma vivência autêntica com o entorno e prefere desfrutar de um discreto privilégio sem deixar pegadas”, afirma Martin Frankenberg, presidente da BLTA.

Em outubro, a BLTA irá promoverá um evento que contará com a apresentação de dados do Anuário, lançamento do Manifesto e palestras e sobre a retomada do turismo no cenário pós-pandemia.

 

(*) Crédito das fotos: Divulgação/BLTA