';

"Novas fases, muitas mudanças e novidades para vocês!"

Vinicius Medeiros
Editor-Chefe
Cursos
icone de um computador com um LMS (learn management system)
Confira nossos cursos

Em função dos incêndios, Austrália promete investir € 1,24 bilhão no turismo

Por Redação 17 de janeiro de 2020

Austrália - investimento no turismo_incêndiosIncêndios já devastaram uma área superior ao tamanho de Portugal

O governo australiano investirá € 1,24 bilhão para a indústria do turismo como parte de um plano de recuperação do setor. O anúncio foi feito hoje (17) pelo primeiro-ministro Scott Morrison, diante dos incêndios que assolam o país há quatro meses. Ele confirmou que detalhará o planejamento na próxima semana, informa a Agência Brasil.

O número de turistas que reservaram hospedagem na Austrália caiu de 10% a 20% desde o início dos incêndios, em setembro. As informações integram relatório do Conselho australiano de Exportações e Turismo divulgado hoje. Ainda segundo o documento, as perdas para a hotelaria somam € 2,7 bilhões.

"Os visitantes internacionais estão cancelando [suas reservas] devido a preocupações com a qualidade do ar, segurança e impacto dos incêndios", explica Peter Shelley, diretor-geral do conselho. Vale destacar que números da STR reforçam esse cenário de perdas consistentes na hotelaria australiana, que ocorrem em meio à alta temporada local.

Austrália: dano ambiental

Os incêndios na Austrália já provocaram a morte de 28 pessoas e de milhões de animais. Além disso, já destruíram uma área superior a Portugal. Cidades importantes como Sydney e Melbourne estão, há semanas, envolvidas por uma névoa de fumaça tóxica. "O governo e a indústria do turismo têm de passar urgentemente a mensagem de que muitos destinos turísticos imperdíveis não foram afetados pelos incêndios", defende Shelley.

"Não há dúvida de que a nossa indústria será afetada", acrescenta Shelley. Ele destaca que visitantes de mercados como Estados Unidos e Europa, em especial Reino Unido, apresentam o maior número de cancelamentos. “Quanto mais cedo se enviar uma mensagem forte e positiva [sobre as possibilidades turísticas da Austrália], melhor”, defende.

(*) Crédito da capa: Peter Parks/AFP

(**) Crédito da foto: Lucas Coch/AAP Images/Reuters