Belmond busca novas formas de rentabilidade, inclusive sua própria venda

Rede de luxo opera 46 empreendimentos

A Belmond, que possui em seu portfólio 46 propriedades de hotéis de luxo, restaurantes, trens e cruzeiros fluviais, distribuídas por 24 países, anunciou hoje (9) que seu Conselho de Administração iniciou uma revisão abrangente de alternativas estratégicas para aumentar o valor de suas ações. O objetivo é potencializar a lucratividade para seus investidores.

Belmond a venda?

“O Conselho está empenhado em seguir um caminho que seja do melhor interesse de todos os acionistas da Belmond. Dessa forma, estamos conduzindo uma revisão agressiva de toda a gama de alternativas estratégicas, operacionais e financeiras disponíveis para a companhia, incluindo uma possível venda ”, disse Roland Hernandez, presidente do Conselho de Administração. “Fizemos um progresso significativo em direção aos nossos objetivos estratégicos de longo prazo, incluindo ganhos crescentes, fortalecimento da marca e expansão de nossa presença global. Acreditamos que agora é o momento certo para realizar um processo de revisão estratégica a fim de aumentar o valor para os acionistas, dada a coleção excepcional e única de propriedades próprias e fundamentos sólidos da Belmond em nossos mercados ao redor do mundo”, completou.

As propriedades emblemáticas de Belmond incluem: Cipriani, em VenezaSplendido, em PortofinoCopacabana Palace, no Rio de JaneiroLe Manoir aux Quat'Saisons, em OxfordGrand Hotel Europe, em São PetersburgoEl Encanto, em Santa Barbara. Além do célebre restaurante '21' Club, em Nova York.

(*) Crédito da foto: divulgação/Belmond

Comentários