Stada Hotels entra no mercado paraense e projeta novas propriedades pelo Brasil

satada hotelsCompanhia tem dois dos três maiores hotéis da cidade

Na abertura do segundo semestre do ano passado, dois novos hotéis surgiram na oferta hoteleira de Belém. O par de propriedades trouxe consigo uma nova marca para o mercado, a Stada Hotels, e, de carona nesse movimento, a capital paraense ganhou dois dos três maiores empreendimentos, em números de quartos, da cidade. Stada Hotel Angar e New Inn Batista Campos, com 405 e 258 quartos, respectivamente, são o primeiro passo de uma empresa que, agora, concentra-se em consolidar seu inventário, mas que já projeta novos voos e presença em mais locais pelo Brasil. 

Os meios de hospedagem paraenses são a atualização de uma empresa que já foi representativa no mercado nacional. A Stada Hotels significa a reativação do grupo Solare, que tinha na região Norte e no Maranhão seus principais mercados. Tanto a companhia nova, como a antiga, são extensões da Solys – marca com 25 anos de expertise em gestão de propriedades, hotelaria e negócios. No retorno da aposta em hotéis, a companhia participou de concorrências e assumiu uma dupla de estabelecimentos que já funcionava como meio de hospedagem. Em ambos os casos, as unidades eram vinculadas ao BHG (Brazil Hospitality Group).

A nova administradora assumiu como arrendatária nos dois complexos. Logo de cara já fez uma mudança importante: unificou dois prédios que funcionavam com operações independentes, mas no mesmo complexo. Dessa maneira, conseguiu ter o maior hotel da cidade e mostrou que voltou para investir forte no setor. 

Outra demonstração de interesse no segmento está na forma como a empresa foi lançada. Quando assumiu os dois hotéis a companhia já lançou sua lista de bandeiras mostrando apetite por outros perfis de público. Fazem parte da rede as marcas New Inn (de unidades econômicas), Stada Hotéis (pensada para hóspedes corporativos), Stada Resort (destinada ao segmento lazer) e Glam Hotel (criada para prestar serviços alto padrão).

"Já nascemos querendo crescer", enfatiza Gilberto Galrão Carneiro, diretor de TI da rede e gerente geral do Stada Angar. O executivo explica que a sede por crescimento existe em virtude da empresa já conhecer e ter atuado no ramo. "Já temos essa expertise", ratifica.

Ações práticas da Stada Hotels nas propriedades

À frente das duas unidades a empresa já começou a mexer em ambas. Conforme conta Carneiro, desde agosto a companhia realiza obras nas duas propriedades. As mudanças ocorrem para deixar competitivos edifícios que já estavam na oferta hoteleira da cidade há algum tempo, bem como para introduzir (com pé direito) a identidade da empresa. "Se houvesse a possibilidade de pararmos a operação por um tempo para realizar essas mudanças, faríamos isso. Como não podemos, estamos fazendo tudo com muito cuidado para não atrapalhar os hóspedes", pontua. 

A organização concentra esforços nas reformas de apartamentos e áreas comuns. Meses antes trabalhou na modificação da identidade visual. "Estipulamos um orçamento para realizar essas reformas aos poucos. O projeto está evoluindo", avalia Carneiro, sem revelar o aporte separado para as mudanças.

Outro aspecto que está em movimento de evolução, segundo Carneiro, são os resultados dos hotéis. Segundo o executivo, em quase um ano de operação, os indicativos médios de ocupação saíram de 20% para pouco mais que 50%. A diária média também subiu nos últimos meses, conforme a demanda aumentou.

Carneiro atribuiu ao trabalho em equipe, principalmente das áreas Comercial e de Marketing, o fato de os resultados começarem a aparecer. "Nossa grande dificuldade estava no momento de nos apresentar como rede hoteleira. Ninguém nos conhecia e, a partir disso, tivemos que fazer um trabalho para mostrar quem somos", revela Roberto Vidal, diretor Comercial da Stada Hotels.

Segundo o diretor, há pelo menos seis meses a companhia faz blitzes em agências de viagens, operadoras e empresas do gênero para difundir seus serviços. A escolha das praças onde haverá visitas vem de uma análise dos principais destinos emissores para a capital do Pará. Vidal acrescenta que alguns resultados já foram alcançados e, em alguns destinos emissores, a marca já é conhecida. "Há ainda muito o que fazer", adverte. 

As visitas pessoais, no entanto, não são a ferramenta única na missão de fazer a empresa conhecida. As mídias sociais também foram altamente utilizadas nesse sentido. Plataformas como Instagram e Facebook entraram na rotina da equipe que ainda publica toda sorte de promoções, pacotes e material institucional.

"A internet foi a maneira mais rápida que encontramos de fazer divulgação, e com o melhor custo benefício", pondera Eduardo Ballon, diretor de Marketing da Stada Hotels. Segundo o executivo, a otimização do site, para melhorar a quantidade de vendas diretas, e o estreitamento de relações com OTAs são as tarefas do momento. 

(*) Crédito da foto: PaternPictures/pixabay

Comentários