';

"Bem-vindos ao nosso novo portal! "

Peter Kutuchian
Founder & CEO
Cursos
icone de um computador com um LMS (learn management system)
Confira nossos cursos

Gestoras debatem em live inovações e desafios operacionais após as reaberturas

Por Nayara Matteis 12 de agosto de 2020

live- desafios operacionais - internaProfissionais ainda destacaram o relacionamento com investidores

Segundo o último relatório divulgado pelo FOHB (Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil), apenas 25% da oferta hoteleira do país ainda permanece fechada. Com boa parte do setor se adaptando às novas exigências, desafios operacionais seguem aparecendo diariamente. Em live encerrada há pouco, o Hotelier News e Grupo R1 convidou um time de gestoras de empreendimentos abertos para debaterem as vitórias e empecilhos da retomada. 

Com moderação de Peter Kutuchian (Hotelier News), a transmissão contou com a presença de Tatiane Marques (Grand Hotel Rayon); Mônica Paixão (Le Canton Resort); Patrícia Luz (Beach Hotéis) e Melissa Oliveira (Hotel Unique). “Boa parte da hotelaria retomou as atividades com a espera de demandas, mas para isso uma intensa preparação foi feita. O ambiente ainda é de desafio para que os hotéis trabalhem com eficiência para garantir melhores margens”, inicia Kutuchian.

Entre tantos desafios, as convidadas contaram quais pontos se tornaram prioridade nas reaberturas e como contornaram as situações. Quem aqueceu a rodada foi Melissa Oliveira, diretora geral dos hotéis Unique São Paulo e Unique Garden. “Tivemos que lidar com a pressão dos proprietários, que assim como nós, também estão aprendendo a lidar com esse novo momento. Outro ponto desafiador foi a questão emocional dos colaboradores para entender, ouvir, se comunicar. Ainda temos muitos “achismos”, mas precisamos passar segurança e inteligência emocional, além da pressão do caixa que é natural”, explica.

O Le Canton Resort reabriu as portas com altas ocupações, o que deu fôlego para a retomada. Segundo Mônica Paixão, diretora geral do empreendimento, o caixa sempre foi a preocupação número um. “Trabalhamos com turismo nacional e regional e por isso tínhamos certeza de que teríamos uma demanda expressiva, essa não era nossa principal preocupação, mas sim o caixa. Fizemos tudo que poderia ser feito para reduzir riscos como a adoção da MP 936, mudanças estruturais e operacionais, além de linhas de crédito do mercado”, destaca. “Motivar a equipe e fazer uma reabertura mantendo os padrões mesmo com os protocolos e exigências foi e continua sendo um dos principais pontos”.

Já o Grand Hotel Rayon manteve suas operações durante a pandemia. De acordo com Tatiane Marques, gerente geral da unidade, o que no início foi um sacrifício, acabou se mostrando uma vantagem competitiva. “Foi uma decisão bastante complexa. Criamos um comitê para lidar com a crise e optar por abrir gerou custos operacionais devido aos protocolos e exigências e sem hóspedes. Hoje, enxergamos que valeu a pena, pois tivemos que lidar com os receios dos clientes que precisavam viajar. Não quisemos fechar as portas para ver o que ia acontecer”, salienta. “Como um hotel independente, tivemos a liberdade de inovar, fazer pesquisas, estudar e propor coisas que antes não havia tempo para ser feito”.

Live: investimentos e inovações

Patrícia Luz, gerente geral da rede Beach Hotéis, garante que o relacionamentos com os diretores se fortaleceu durante a crise. Os profissionais uniram forças para criar novos produtos, sempre analisando diariamente as ocupações, diária média e despesas. “Saímos da caixa criando alternativas com foco em resultados. Olhamos para o colaborador que veio para agregar e vestiu a camisa da empresa. Desenvolvemos campanhas para long stay, o serviço de beach office e aproveitamos a mudança do perfil do cliente que vai de acordo com a nova economia. Unindo esses pontos, tivemos um incremento de 35% nas vendas online e maior procura por buscas diretas”, ressalta.

Nos hotéis Unique, além do delivery que em breve será inaugurado, um e-commerce com produtos foi criado para complementar o caixa. “Como a maioria da hotelaria, optamos por fazer vendas antecipadas em formato de voucher. Desenvolvemos um e-commerce que não gera uma receita absurda, mas ajuda a entrar alguma coisa. São produtos como roupão, chinelos e álcool em gel. Também estamos apostando em room offices e eventos híbridos”.

Para assistir a live na íntegra basta acessar o link.

(*) Crédito da capa: Peter Kutuchian/Hotelier News

(**) Crédito da imagem: reprodução da internet