';

"Bem-vindos ao nosso novo portal! "

Peter Kutuchian
Founder & CEO
Cursos
icone de um computador com um LMS (learn management system)
Confira nossos cursos

Incêndios no Pantanal ameaçam Hotel Sesc Porto Cerrado

Por Nayara Matteis 11 de agosto de 2020

Hotel Sesc Porto Cerrado  - incêndios Fogo já queimou 31,5% da Reserva Particular do Patrimônio Natural do Sesc Pantanal

Fechado desde março devido à pandemia, o Hotel Sesc Porto Cerrado se preparava para abrir as portas na semana que vem, mas os planos mudaram. Além dos prejuízos causados pela Covid-19, o empreendimento tem mais uma preocupação: os incêndios crescentes que vêm assolando a região do Pantanal. Segundo o jornal Folha de São Paulo, o fogo já queimou 31,5% da RPPN (Reserva Particular do Patrimônio Natural) do Sesc Pantanal e obrigou o hotel a retirar parte dos funcionários enquanto bombeiros tentavam criar uma barreira para proteger a propriedade das chamas.

Localizado a 145 quilômetros de Cuiabá (MT), a rodovia-parque que dá acesso ao hotel está com as vegetações comprometidas dos dois lados da estrada. Em alguns pontos, a visibilidade está reduzida por conta da fumaça. Bombeiros e brigadistas lutam para molhar a vegetação mais próxima da estrutura com 142 quartos. Ontem (10), as chamas estavam a cerca de 750 metros do limite do empreendimento.

Segundo o Corpo de Bombeiros em entrevista a Folha, o risco dos incêndios atingirem o Hotel Sesc Porto Cerrado é grande e a prioridade agora é criar um arco de proteção de três quilômetros contra o fogo. Um avião com capacidade para três mil litros realizou dezenas de voos despejando água ao redor do empreendimento. Ao lado da piscina, uma choupana de palha molhada foi colocada para evitar que fagulhas incendeiem o local.

Hotel Sesc Porto Cerrado: incêndios na região

O Hotel Sesc Porto Cerrado tem capacidade para receber até 430 pessoas, o maior do Mato Grosso e o segundo maior da região pantaneira. O fogo fez com que 20 dos 50 funcionários fossem retirados da propriedade. A reabertura agora depende do avanço das queimadas no Pantanal.

As chamas que ameaçam o meio de hospedagem começaram em três focos diferentes, todos causados pela ação humana. Devido ao baixo volume de chuvas, o fogo se alastrou com rapidez. Segundo dados do ICV (Instituto Centro de Vida), o número de incêndios entre janeiro e julho deste ano foi 186% superior ao registrado em 2019. 

NA RPPN do Sesc Pantanal, a maior do país, as chamas consumiram 34 mil hectares dos 108 mil hectares da reserva. Trata-se do segundo maior incêndio já registrado na região.

(*) Crédito da foto: Divulgação/Hotel Sesc Porto Cerrado