';
Interior fluminense - flexibilização e demanda_capa

"Novas fases, muitas mudanças e novidades para vocês!"

Vinicius Medeiros
Editor-Chefe
Cursos
icone de um computador com um LMS (learn management system)
Confira nossos cursos

Interior fluminense ganha fôlego com flexibilizações das prefeituras

Por Redação 24 de setembro de 2020

Gradualmente, o interior fluminense vê a retomada da movimentação turística, a medida que prefeituras flexibilizam medidas de controle do coronavírus. Com isso, a hotelaria eleva a capacidade e tem visto o público responder. O último feriado, por exemplo, foi de boas ocupações em algumas cidades das principais regiões turísticas do estado.

Segundo a ABIH-RJ (Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Estado do Rio de Janeiro), a capacidade de funcionamento varia de 40% a 100% no estado. Embora o calendário de eventos tenha sido cancelado em muitas cidades, algumas prefeituras liberaram a realização de encontros corporativos. Neste caso, com menos público, de até 50% do total.

Com cada prefeitura tendo decisões distintas, as taxas de ocupação variam nos municípios, mesmo os localizados na mesma região. Em Búzios, na Costa do Sol e uma das últimas a flexibilizar as medidas de isolamento, a alta procura tem ocorrido mais nos fins de semanas. Atualmente, segundo a ABIH-RJ, o indicador está em torno de 80% afora dos dias de semana. Já em Cabo Frio, a procura tem sido mediana, na casa dos 50%.

Interior fluminense: mais dados

A Costa Verde foi a última flexibilizar medidas de isolamento. Mesmo assim, nos dois principais municípios indutores do turismo, a demanda tem sido positiva nos finais de semana. No momento, Angra dos Reis está com 70% da capacidade de uso dos meios de hospedagem e, Paraty, com 50%.

Em Itatiaia, na região das Agulhas Negras, a flexibilização da capacidade já está em 100%. Melhor ainda, segundo a ABIH-RJ, a ocupação tem registrado lotação máxima. No Vale do Café, meios de hospedagem podem vender de 40% a 70% do inventario, mas existe uma grande procura, diz a entidade.

Interior fluminense - flexibilização e demanda_Paulo Michel

Michel: confiança na retomada, mas sabe que, com a maioria independente, o desafio é grande

Por fim, na região Serrana, a demanda segue alta nos finais de semana, mesmo com diferentes permissões de capacidade de uso nos municípios. Em Petrópolis e Teresópolis, os hotéis podem vender até 50% e 70% do inventário, respectivamente. No Le Canton, por exemplo, a procura tem sido grande.

“Como a grande maioria dos empreendimentos no interior fluminense não é de redes, os hotéis independentes têm um desafio grande para se adaptar ao novo normal, com mudanças profundas na prestação de serviços e venda de seu produto. Estamos muito otimistas com esta retomada, e em receber nossos hóspedes com toda segurança e excelência em qualidade”, ressalta Paulo Michel, eleito este ano presidente da ABIH-RJ.

(*) Crédito da capa: Emiliano Bar/Unsplash