1ª Conferência Municipal de Turismo é iniciada em São Paulo

confeturEvento aguarda 600 participantes

Foi aberta a pouco a 1ª Confetur (Conferência Municipal de Turismo de São Paulo). O evento, que terá programação até amanhã, é promovido pela Prefeitura de São Paulo, por meio da SMTur (Secretaria Municipal de Turismo). A abertura, realizada no Teatro Municipal, contou com a presença de Orlando Faria, seretário municipal de Turismo, e de Vinícius Lummertz, secretário estadual de Turismo de São Paulo. 

Para a primeira Conferência, são esperadas 600 pessoas durante as três etapas do evento. A primeira, que acontece na manhã de hoje, consiste em painéis que discutem o cenário atual e tendências para o tusimo na capital paulistana. Em seguida, pela tarde, inicia a segunda etapa dos grupos de trabalho. Serõ seis grupos que se reúnem em diferentes localidades pela região do Triângulo SP. 

No sábado, acontece a terceira fase em que haverá uma plenária para compartilhar as propostas dos grupos de trabalhos e votação das moções. Desse encontro sairá três produtos. Um relatório que constará o diagnóstico atual do turismo paulista e políticas propostas nos grupos. Os encontros também resultarão em um relatório que traça um plano executivo para o turismo da cidade para a gestão a atual, e outro documento com um plano a longo prazo, com propostas até 2030. 

"A Conferência é a etapa final de um trabalho que começamos no início do ano, com workshops e conversas em instituições de ensino e entidades do trade turístico. Nosso objetivo é encontrar soluções de como promover ainda mais o turismo gastronômico, cultural, negócios e eventos, LGBT, lazer, esportivo, entre outros. E que essas soluções formem um plano robusto, sustentável e conte com a participação da sociedade", disse Faria durante discurso de abertura. 

Confetur: pinteração municipal, estadual e federal

confeturLummertz destacou ações do programa São Paulo para todos

Logo em seguida, Faria se juntou a Vinicius Lummertz, secretário estadual de Turismo de São Paulo, e Babington dos Santos, secretário nacional de Integração Interinstitucional. As autoridades dicutiram as políticas públicas integradas entre as três esferas do Estado realizadas em prol do turismo paulistano.

O painel começou com a apresentação de alguns números da capital paulista. Em 2018, a cidade recebeu 15 milhões de visitantes, sendo 2,5 milhões de extrangeiros. Esse fluxo gerou uma receita de R$ 13 milhões de reais. Dos turistas, 47% vieram a negócios, ressaltando o potencial de São Paulo para o turismo corporativo. A cidade também sediou mais de 1,7 mil eventos diversos. 

Lummertz resslatou que a cidade de São Paulo não só é a principal emissora turística do Brasil, como uma das principais receptoras. Segundo o secretário, em 2018, o turismo representou 10% do PIB (Produto Interno Bruto) da cidade, gerando um em cada quatro empregos. Crescendo 7,7% em relação ao ano anterior em julho. Para aproveitar ainda mais o potencial econômico do setor, Lummertz ressaltou a importância de urbanismo e tecnologia. 

"Um bom desenvolvimento urbano é muito importante para uma cidade turística. E, ainda, se uma cidade é boa para os turitas, ela será boa para seus habitantes. As melhores cidades para se viver no mundo são turísticas. Outra questão que aumenta o turismo é a tecnologia. Por exemplo, com a presença das OTAs as vendas aumentam, e muito. Inovação é essencial", disse. 

No âmbito estadual, Lummertz mencionou os trabalhos da campanha São Paulo Para Todos. Que incluem a redução do ICMS sobre o querosene de aviação, stopover e aumento das frequências aéreas; programas de crédito para municípios e regiões; privatizações e concessões; nova marca SP e rotas cênicas e gastronômicas. 

Por sua vez, Santos mencionou as ações federais para o setor como a isenção de vistos para os Estados Unidos, Canadá, Austrália e Japão. "Desde a liberação tivemos um aumento de 53% nas passagens compradas nesses países para o Brasil em relação ao ano passado. No momento, também estamos estudando liberar visto de entrada para a China e a Índia, importantes turistas e parceiros econômicos", afirmou o secretário nacional. 

Outros investimento do governo federal está no ecoturismo, com a vontade de criar mais 11 parques naturais. Assim como transformar a Embratur em uma agência, para facilitar negociações com empresas privadas e promoção no exterior. Além do trabalho em conjunto com o Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) para promover o patrimônio cultural do país. 

Na questão municipal, Faria ressaltou que a prioridade da secretaria municipal de Turismo é promover o centro histórico. Investindo em urbanismo, restaurações e limpeza. “Queremos desenvolver a região do Triângulo SP e o centro histórico, não só para visitantes de outros estados e países, como para o próprio paulistano que, por muitas vezes, não conhece a história da cidade em que mora”, disse o secretário.

confeturPrefeitura de São Paulo quer promover o centro histórico da cidade

(*) Crédito das fotos: Juliana Stern/Hotelier News

Comentários