6 dicas de cibersegurança em tempos de coronavírus

Segurança da informação - Waldo Gomes_capaPesquisa mostra que ataques de “ransomware” cresceram 3,5 vezes no país 

A pandemia do coronavírus não passou despercebida por criminosos cibernéticos. Este é um alerta importante para qualquer empresa, incluindo a hotelaria, que direciona atenções em ações para inibir os efeitos negativos do vírus nos negócios. De fato, não é hora de negligenciar esforços em ações de cibersegurança, vide o mais novo episódio envolvendo a Marriott.

Pesquisa da Kaspersky, especializada em segurança virtual, aponta que ataques de “ransomware” cresceram 3,5 vezes no Brasil desde janeiro. Nessa modalidade de crime cibernético, o malfeitor criptografa todos os arquivos no computador da vítima e exige pagamento de um resgate para devolvê-los.

“Por isso, todo cuidado é pouco”, alerta Waldo Gomes, diretor de Marketing e Relacionamento da NetSafe Corp. “Bandido virtual é oportunista. Então, o momento é bastante sensível para ataques cibernéticos, que já crescem no mundo todo”, ressalta Gomes, que atua há mais de 20 anos na área de Segurança da Informação, com passagens por McAfee, Xerox e Positivo.

Em relação à hotelaria, setor fortemente afetado pelos efeitos econômicos do coronavírus e que procura cortar custos, o especialista diz que cibersegurança não deve ser negligenciada neste momento. “Se os hotéis estão fechados, é sinal de que pode não ter gente olhando. Por isso, os criminosos podem se aproveitar para acessar o banco de dados e até usar a infraestrutura de TI para atacar outro sistema ou até mesmo minerar bitcois”, alerta Gomes.

Segurança da informação - Waldo Gomes_NetSafe CorpPara Gomes, cibersegurança não pode ser negligenciada neste momento

Cibersegurança: dicas

A pedido do Hotelier News, Gomes montou uma lista com dicas para o setor de hotelaria se precaver contra possíveis ataques cibernéticos. Vale destacar que, em reportagem anterior, já havíamos passado informações importantes para seu hotel proteger os dados em meio à disseminação do home office em função das medidas de confinamento. Então, vamos às dicas:

(1) Certifique-se de que sistemas, softwares e hardwares estão sendo instalados de forma correta, seja por uma empresa terceirizada ou por uma equipe interna.

(2) Verifique se a ferramenta de backup está funcionando plenamente. Com isso, você evita perder algum tipo de informação caso haja algum problema enquanto o hotel estiver com atividades suspensas.

(3) Mantenha pelo menos uma pessoa visitando suas instalações de equipamentos. "Não é só a falta de energia que pode ser um problema. Servidores ficam em salas resfriadas. Se o ar parar ou esfriar demais, pode danificar os equipamentos", diz Gomes, destacando que visitas periódicas são essenciais. "Ao mesmo tempo, é importante ter uma pessoa de confiança para fazer isso", completa.

(4) Desligue o que não for ser usado e desnecessário. "Se o hotel está trabalhando com 10% de ocupação, deslique a infraestrutura de roteadores e wi-fi nos andares não utilizados. Mais do que gerar economia de energia, seu hotel estará menos exposto", indica Gomes.

(5) Permaneça com sua estratégia de segurança "ligada" e atualizada o máximo possível. Verifique se há regras automatizadas dos produtos de segurança e verifique se isso está sendo feito. "Se não tem ninguém olhando, não tem como saber se houve algum ataque, por exemplo", alerta Gomes. "É a receita do barato sai caro. Mantenha em operação ferramentas para reportar ataques e atualizações de sistema operacional, além de antivírus e firewall", acrescenta. 

(6) Pode parecer óbvio depois de tudo que foi dito, mas não negligencie sua segurança da informação. Seus dados valem ouro. "Não recomendo abandonar e não manter essas atualizações periódicas. Quanto mais no centro da utilização, mais são exploradas as vulnerabilidades das ferramentas. Então, todo cuidado é pouco", finaliza Gomes.

(*) Crédito da capa: geralt/Pixabay

(**) Crédito da foto: Divulgação/NetSafe Corp​

Comentários