ABIH-MS: Aquário do Pantanal pode fortalecer hotelaria de Campo Grande

Aquário do PantanalObras do aquário voltaram este ano

Campo Grande tem uma nova aposta para o desenvolvimento do turismo local: o Aquário do Pantanal. A avaliação é do presidente da ABIH-MS (Associação Brasileira da Indústria de Hotéis), Marcelo Mesquita. Segundo ele, o controverso (entenda mais abaixo) equipamento pode atrair turistas, melhorar a hotelaria da capital e gerar empregos.

Projetado para ser o maior aquário de água doce da América Latina, o espaço terá 16 tanques com 7 mil animais de 230 espécies. Para Mesquita, o aquário será um divisor de águas para turismo da cidade, tendo em vista sua relevância. "Enfrentamos uma situação crítica em Campo Grande, com baixo volume de turistas e ociosidade nos equipamentos", aponta.

Segundo a ABIH-MS, 386 mil turistas desembarcam no aeroporto da capital sul-mato-grossense em 2017. Destes, 213,8 mil visitaram Campo Grande, enquanto 126,140 mil têm Bonito e Corumbá como destino final. Na visão de Mesquita, se o aquário já estivesse em operação, os turistas poderiam ampliar o número de pernoites na capital. 

"Com esses números, nossa ocupação anual na capital passaria de 48% para 53,5%", avalia o presidente da ABIH-MS, que destaca o potencial de geração de receita. Segundo ele, somente com a permanência de um dia dos turistas que vão para Bonito e Corumbá em Campo Grande a arrecadação adicional chegaria a R$ 45 milhões.

“No curto prazo, com ações focadas em captação de turistas e com o Aquário aberto, esta receita poderá ultrapassar a casa de R$ 150 milhões”, avalia Mesquita. Ele desataca ainda que Campo Grande conta hoje com uma oferta de 6,4 mil leitos

Aquário do Pantanal: finalização

Polêmica, a obra do Aquário do Pantanal começou em fevereiro de 2011. Os trabalhos estavam paralisados desde junho de 2016 e foi retomada no começo deste ano. Orçado inicialmente em R$ 84 milhões, o complexo sairá por R$ 230 milhões, segundo o secretário estadual de Infraestrutura do Mato Grosso do Sul, Marcelo Miglioli. A administração do empreendimento será do grupo Cataratas do Iguaçu S/A.

Segundo informações publicadas no DOE (Diário Oficial do Estado), duas empresas foram contratadas, sem licitação, por R$ 38,7 milhões para concluir o aquário. A previsão dada pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB-MS) é que a inauguração ocorrerá antes do final do ano, quando termina seu mandato.

(*) Crédito da Foto: Reprodução/Youtube

Comentários