Accor estima alta no RevPar e mais 30 hotéis na América do Sul em 2019

A Accor reuniu hoje (12) a imprensa para comentar os resultados de 2018 e falar sobre as perspectivas deste ano. Em nível global, a empresa faturou € 3,6 bilhões em 2018, crescimento de 16,9% frente a 2017. No continente sul-americano, a expansão do RevPar chegou a 12%, com a abertura de 54 hotéis. Realizada no Pullman São Paulo Ibirapuera, a coletiva teve a presença das principais lideranças da rede francesa na América do Sul. Entre os presentes, Patrick Mendes, CEO Accor América do Sul. Para o mercado brasileiro, a mensagem foi uma só: o país é prioridade na região, que tem projeções positivas para 2019.

“Tivemos um ano atípico, mas que acabou positivo. Até maio, em um movimento iniciado no terceiro trimestre de 2017, o crescimento estava acelerado, mas a greve dos caminhoneiros praticamente tirou nossos ganhos até ali. Mais para o final do ano, houve uma retomada bastante positiva”, destacou Mendes, acrescentando que a operação no Brasil responde por 60% da receita na América do Sul. “Nossa projeção para 2019 é positiva, com expansão de RevPar de 7% a 8% e abertura de 30 hotéis na região, sendo dois terços no Brasil”, completou.

Segundo Mendes, três acontecimentos foram fundamentais para o bom desempenho na região em termos de desenvolvimento. O primeiro foi o crescimento orgânico da rede, que respondeu por metade da expansão no ano passado. “A outra metade foi por meio de aquisições, caso da Atton Hoteles, que amplia nossa presença nos países hispânicos”, ressaltou o executivo, acrescentando que todos os hotéis da rede chilena serão transformados em unidades Pullman, Novotel, Mercure e MGallery.

Accor - coletiva Patrick Mendes_internaMendes: empresa quer deixar para trás imagem de rede econômica e midscale

O segundo ponto relevante foi a concretização da parceria com a HSI (Hemisfério Sul Investimentos). Com o acordo, anunciado em fevereiro de 2018, os 16 empreendimentos da marca Arco e Zii estão sendo gradualmente convertidos para a bandeira Ibis Styles. Os últimos exemplos nesse processo foram as aberturas em Ribeirão Preto e São José do Rio Preto. “Por fim, outro acontecimento importante foi o desenvolvimento dos hotéis dentro do acordo com a BHG (Brazil Hospitality Group), acertado no final de 2017”, explica Mendes.  

Olivier Hick, COO Midscale and Economy Brands Accor Brasil confirmou que, no país, praças como São Paulo (alta de 20% no RevPar) e Nordeste (aumento de dois dígitos no indicador), foram grandes destaques de 2018. “Belo Horizonte, por exemplo, foi uma surpresa, com resultado acima de nossas expectativas. Já o Rio de Janeiro está no processo de gradual recuperação”, explicou. “Podemos dizer que o RevPar foi puxado tanto pelo crescimento da ocupação, quanto da diária média. Para 2019, pretendemos elevar nossas tarifas, há espaço para isso”, complementa Mauro Rial, CFO Accor América do Sul.

Accor: estratégia global

Mendes comentou também os planos de curto e médio prazos da empresa francesa. Duas mudanças, já em curso, são prioridades. O primeiro é uma espécie de “upscalizacão” da Accor. “Estamos trabalhando para deixar a imagem de uma rede de hotéis econômicos e midscale para posicionar melhor o grupo no luxo, upscale e lifestyle. As aquisições de Fairmont, Raffles e Swissôtel ilustram bem esse movimento, com investimentos que superam os € 4 bilhões”, comentou. “Outro exemplo é a aquisição de 50% da sbe Entertainment”, completou o executivo, destacando o primeiro fruto dessa parceria: o lançamento da The House of Originals.

A outra, é investir cada vez mais na experiência do cliente. “Nossa ideia é fechar todas as possibilidades para os clientes dentro da ‘galáxia’ Accor. Sair da imagem de um grupo hoteleiro unicamente, para oferecer uma variedade de opções para o consumidor, capitalizando em todos os pontos de contatos com eles”, disse Mendes. Integram também essa estratégia os anúncios recentes do patrocínio do PSG, o lançamento do ALL (programa de fidelidade) e também as mudanças na logomarca e no nome da empresa, que voltou a se chamar apenas Accor.

(*) Crédito da foto: Vinicius Medeiros/Hotelier News

Comentários