Adit Share: o melhor investimento é em capital humano

adit share"Percebi que era um grande chefe mas não um líder", afirmou Coppel

A primeira palestra do segundo dia da Adit Share recebeu Alberto Coppel, CEO do Pueblo Bonito Golf & Spa Resort. O empresário falou sobre como o melhor investimento para um hotel é em capital humano. A Adit Share é realizada pela Adit Brasil e acontece desde ontem (6), no resort Wish Foz do Iguaçu (PR). 

“Creio que que vem primeiro não são os clientes, são os colaboradores”, começou o mexicano. A empresa Pueblo Bonito emprega quase 5 mil pessoas, sendo o principal ativo da companhia, segundo Coppel. Isso porque, para ele, eles são os que fazem que 40% das vendas da empresa sejam de upgrade - ou seja, compras de clientes fidelizados.

“Porque nossos clientes querem seguir comprando conosco? Porque vendemos experiências, momentos que fazem eles se sentirem bem. Mas não sou eu ou as construções que fazem com que meus clientes se sintam assim, mas sim minha gente. Meu pessoal que atende na recepção, no restaurante, na limpeza, eles fazem com que meu cliente se sinta acolhido e volte a comprar comigo”, disse Coppel. 

Para o palestrante, os colaboradores podem se tornar a maior vantagem competitiva de uma empresa. “A fórmula é: cuide bem de seu funcionário que ele cuidará bem de seu hóspede”. Para exemplificar como valorizar a mão-de-obra melhora os negócios, Coppel contou o caso do resort Pueblo Bonito Mazatlan. 

Vendido no modelo de multipropriedade há mais de 30 anos, os contratos acabaram e o empreendimento não tinha mais proprietários. Com isso, a ideia era transformá-lo 100% em um hotel tradicional, mas os filhos dos antigos donos não permitiram. “Os filhos fizeram pressão na empresa para que o empreendimento continuasse como propriedade compartilhada porque eles queriam continuar fazendo parte daquele negócio. Porque se sentiam bem e acolhidos ali”, disse. 

Adit Share: Como começar a mudar a cultura de sua empresa

No caso de Coppel, o empresário diz que começou a mudar seu comportamento para depois mudar o de seus colegas. “Eu percebi que não escutava, que impunha minhas visões, que era um grande chefe, mas não um líder. E queria ser um líder. Então comecei a fazer mudanças em mim e a prestar mais atenção em quem eu tinha no meu time.”

Coppel incluiu programas de auxílio em seus hotéis, como o Programa de 12 Passos, para viciados. “O salário é importante para a felicidade dos funcionários? Sim, mas tb há um salário emocional, um espiritual. Você tem um vício? Vou ajudá-lo. Tem baixa autoestima? Teremos grupos de terapia. O importante nisso é que o colaborador liga seu processo de recuperação à sua empresa”, ressaltou o empresário. 

(*) Crédito das fotos: Juliana Stern/ Hotelier News

Comentários