Agora renomeada, Baixada Fluminense quer atrair turistas

Baixada Fluminense, plano estratégico de turismoNilo Sergio Felix apresenta apresenta folder criado para divulgar a Baixada Verde

Empresários e representantes do governo do estado e do trade turístico se uniram para criar um plano estratégico de turismo para a Baixada Fluminense. Agora renomeada como Baixada Verde, a região envolve 10 municípios e detém uma parte relevante da área verde da região metropolitana do Rio. O lançamento foi ontem (22), após dois meses de preparo, em evento na sede da Abav-Rio.

Nilo Sergio Felix, secretário estadual de turismo, acredita que o trabalho é fundamental. “Estamos trabalhando para colocar a Baixada no ranking das regiões turísticas mais visitadas”, disse. Ele lembrou que recente estudo apontou que a região metropolitana mantém 36,27% de seu território verde conservado, sendo que um terço está na Baixada. “A nova denominação gera mais visibilidade para posicionar o local no turismo estadual de forma renovada. Lá são encontrados parques, reservas ambientais e estações ecológicas com forte potencial turístico”, completou.

O secretário citou outros pontos positivos para o desenvolvimento do segmento na região. “A Baixada Verde fica localizada no faixa central das regiões da Costa Verde e Serra Verde Imperial. Isso cria um importante corredor rico em Mata Atlântica”, destacou. “Além disso, a região é cortada por importantes rodovias e há proximidade entre seus municípios.”

Baixada Fluminense: potencial

O planejamento é considerado vital para aumentar as chances de reconhecimento de uma região. Com ele, visa-se reconhecer problemas futuros, identificar maneiras de explorar as oportunidades de mercado, agilizar decisões e facilitar a criação de mecanismos de avaliação. 

Comte Bittencourt, deputado estadual e vice-presidente da Comissão de Turismo da Alerj, destacou o trabalho da Setur-RJ diante das conhecidas dificuldades econômicas do estado. “A secretaria está conseguindo trabalhar com escassos recursos, sabedora da importância da atividade como geradora de recursos e empregos”, afirmou.

Para a conclusão do trabalho foram realizadas várias etapas como oficinas de planejamento estratégico. Foram mapeados o potencial do turismo de natureza, rural e de aventura, além de opções de hospitalidade, espaços gastronômicos e eventos, além de patrimônio histórico. Grandes redes, por exemplo, têm feitos aberturas na região, caso da Atlantica Hotels. Também foram assuntos de debate o despertar da população para a importância do turismo e a criação de plataformas digitais.

“Estamos entregando um trabalho detalhado, abrangente, um dos melhores planos estratégicos em que o Sebrae-RJ já esteve envolvido”, disse Evandro Peçanha, o diretor de Desenvolvimento do Sebrae-RJ. 

(*) Crédito da foto: Setur-RJ/Divulgação

Comentários