AMIHLA reúne associados e define ações para combater Covid-19

AMIHLA - ações Covid-19_internaReunião em Belo Horizonte definiu ações em conjunto da entidade

Mesmo recém-criada em Minas Gerais, a AMIHLA (Associação Mineira de Hotéis de Lazer) já preparou ações para atravessar a crise econômica provocada pelo Covid-19. Em reunião realizada no final do mês passado, a entidade criou um conjunto de medidas para continuar a operação dos associados com sustentabilidade financeira e segurança para os hóspedes. 

A AMIHLA já conta com 32 meios de hospedagem de pequeno, médio e grande portes associados. Juntos, esses empreendimentos mineiros somam aproximadamente 5 mil leitos, empregando em torno de 3 mil pessoas, direta ou indiretamente. Para Rodrigo Baltazar, presidente da entidade, a ausência de olhar dos órgãos oficiais do turismo para esse segmento da hotelaria mineira vem sendo um entrave neste momento.

“Até o momento não se registra nenhuma ação efetiva do governo estadual que vise a compensação financeira ou abertura de linhas de créditos especiais para essas empresas que dependem exclusivamente do deslocamento das famílias que hoje estão isoladas em suas casas”, comenta Baltazar.

AMIHLA: ações planejadas

No encontro da semana passada, realizado em Belo Horizonte, o grupo de associados definiu uma pauta emergencial que será apresentada aos órgãos oficiais de turismo e saúde de Minas Gerais. Em paralelo, membros da associação prometem trabalhar em conjunto com outros setores, visando à criação de estratégias de marketing estruturadas para o segmento. Outro objetivo é organizar a prestação de serviços, por meio de ações integradas entre os membros da rede. 

“Trata-se de um grupo novo e que se apresenta ao trade turístico de forma organizada e com empresários dispostos a fazer barulho, em defesa do fortalecimento e manutenção do turismo de lazer no estado”, diz nota assinada pelos associados.

(*) Crédito da capa: Nathalia Segato/Unsplash

(**) Crédito da foto: Divulgação/AMIHLA

Comentários