Bella Italia garante ambiente familiar e boa gastronomia em Foz

Borboletas surpreendem pela quantidade e variedade em Foz do Iguaçu (fotos: Chris Kokubo)
Farfalla ligeira, diz a letra da música. Parece até que o compositor esteve por aqui. Farfallas aos montes. O Parque Nacional do Iguaçu impressiona pelo número de borboletas, as bellas farfallas, em italiano. São muitas, das mais variadas cores e tamanhos. Astutas, não têm medo, vêm às mãos, grudam nas mochilas, nos bonés, nas camisetas. O broche natural acompanha e encanta os turistas, lépidas que só elas.
Com rica fauna e extensa flora, Foz vai além das dantescas cataratas. Três dias, recomendados como suficientes por alguns guias de viagem, não dão conta de tantas atrações e possibilidades de passeio. O Hôtelier News conheceu o Bella Italia, hotel no centro da cidade que aposta no ambiente familiar e investe na gastronomia para bem-receber o turista, e confirmou: é preciso voltar com muito mais tempo.
Por Chris Kokubo*
         
Na mochila, no boné, voando ou paradas, um show de cores e formas
Há alguns hotéis que, pela localização no centro das cidades, não têm como crescer e oferecer grandes áreas de lazer. É o caso do Bella Italia. Inaugurado em 1990 com 80 apartamentos, hoje oferece 135, e não pretende mais expandir.
Estar na área urbana oferece prós e contras. O silêncio não é o mesmo dos empreendimentos afastados, próximos à entrada do Parque Nacional do Iguaçu. Em compensação, a oferta de serviços nas redondezas é maior, bem como a facilidade de chegar ao Paraguai, Argentina e Itaipu, destinos geralmente certos na programação. O hotel está a13 Kmdo aeroporto.
O edifício verde de esquina abriga o Bella Italia
Em frente ao hotel há um bosque do exército brasileiro, fechado para o público
O hotel está a 15 Km do Parque Nacional, 7 Km da Ponte da Amizade, que dá acesso ao Paraguai, 10 Km de Itaipu e 8 Km da fronteira com a Argentina
 
No lobby de entrada, muitos sofás na ampla área para descanso e convívio
 
A biblioteca foi batizada como Marcos Cobra, em homenagem ao professor amigo dos proprietários. Para utilizar os computadores, o hóspede gasta de R$ 5 a R$ 20
Na parede, o horário de cinco cidades ao redor do mundo: Nova York, Roma, Foz do Iguaçu, Moscou e Pequim
Na área restrita ao pessoal do hotel, a foto da família Bortoli estampa uma das paredes. "Aquele é meu pai", afirma Marcelo Bortoli, filho do fundador do hotel e atual gerente de A&B do empreendimento. "Nosso atendimento personalizado familiar com certeza é um fator determinante para a escolha de muitos dos nossos hóspedes", afirma o executivo. Investir em A&B foi outra saída que o Bella Italia encontrou para atrair cada vez mais turistas.
São quatro cozinhas, que abastecem os diferentes pontos de venda do meio de hospedagem. Praticamente tudo o que é consumido e servido aos hóspedes é produzido no hotel, inclusive pães. La Bella Tavola e Dolce Vita Menu Express são os dois restaurantes para almoço e jantar. Há ainda o La Prima Colazione, onde é servido o farto café da manhã, com 130 itens, o Dolce Vita Bar - serviço na piscina -, o room service e a célebre Noite Italiana, já consolidada na cidade como importante atrativo gastronômico às quartas-feiras e sábados. Para quem precisar sair cedo, das 4h45 às 6h45 o hotel oferece um pequeno desjejum, o Bella Italia Corujão.
 
 
O café da manhã, servido das 6h45 às 10h, conta com 130 itens
 
O Dolce Vitta Menu Express tem entrada pelo hotel e pela rua. Serve refeições rápidas e lanches. Próximo à recepção encontra-se o Colosso Caffè, aberto das 19h às 23h
Os restaurantes estão abertos ao público passante. "A nossa sopa de capeletti é muito conhecida e as massas da Noite Italiana são totalmente artesanais. Fazemos as receitas tradicionais com muito capricho", diz Bortoli. Marcelo Valente, diretor comercial, lança ainda o desafio: "O restaurante que oferecer regularmente uma mesa de queijo mais completa do que a nossa, com mais de 40 tipos, está convidado a vir, por conta do hotel, conhecer Foz do Iguaçu".
É no La Bella Tavola que é servido a tradicional Noite Italiana, às quartas-feiras e sábados
São mais de 40 tipos de queijos. Nas paredes, fotos que remetem a paisagens italianas (foto: divulgação)
Grande variedade de saladas, massas e vinhos também (foto: divulgação)
Com taxa de ocupação anual na casa dos 70% e diária média de R$ 120, o hotel recebe majoritariamente turistas a negócios. "Como estamos no centro, somos bem procurados por empresas da região", explica Valente. "Nossas ações comerciais são feitas diretamente com o consumidor final, principalmente com mídia digital. Nosso cliente é aquele que vem de carro de um raio de no máximo900 Km", diz.Segundo o executivo, o hotel recebe mais brasileiros do que estrangeiros, em uma relação de 10% destes e 90% daqueles. A situação quase unânime na hotelaria da cidade é receber 50% internacional e 50% local. Uma das ações que chama atenção no site do hotel é a opção que o cliente tem de fornecer o seu número de telefone e esperar alguém da equipe comercial retornar a ligação.
O hóspede é recebido com uma saborosa palha italiana. A gastronomia se faz presente logo que chega ao apartamento
Ao todo, são 132 UHs da categoria luxo e três suítes
 
Recentemente, investimentos foram feitos para instalar vidros anti-ruído em todos os apartamentos de frente à avenida
"Temos um ambiente bem familiar, mas nossa temporada de lazer é em julho e do Natal até o Carnaval. No restante do ano, focamos o turista corporativo. Internet gratuita sem fio em todos os ambientes sociais do hotel e também a cabo nos apartamentos é um diferencial para atender principalmente este público, que traz o próprio computador. Recebemos muitos hóspedes que viajam sozinhos a trabalho", completa Valente.
A equipe de 120 colaboradores é formada por gente que tem, pelo menos, cinco anos de casa. "Nossa rotatividade é muito baixa. Eu comecei há 12 anos como mensageiro, passei pela recepção, reservas, eventos e hoje estou no comercial. O hotel investe bastante na equipe", comenta Sidiclei de Moura, gaúcho que nos mostrou o empreendimento.
Marcelo Bortoli, gerente de A&B, Sidiclei de Moura, gerente de Contas, e Marcelo Valente, diretor comercial do hotel. Na parede, a família Bortoli
Na área de eventos, são cinco salas que recebem de30 a220 pessoas, além de outras duas de apoio. "De15 a20% da nossa receita vem do setor de eventos", afirma Moura. As salas, todas batizadas com nomes de cidades italianas, estão no térreo e no quarto andar.
Para suprir demanda dos hóspedes do Bella Italia, os proprietários resolveram criar a operadora Loumar Turismo, que hoje conta com balcão de atendimento em outros nove hotéis. A venda de hospedagem com passeios já inclusos foi outra forma que o Bella encontrou para aumentar a procura. "Acaba saindo mais em conta para o hóspede", esclarece Valente. "Não queremos oferecer somente a hospedagem, mas também uma boa gastronomia, passeios e transporte", explica.
Venezia, Monte Catini e Siena batizam três das cinco salas de eventos. Venezia é a maior delas, para 220 pessoas
 
Mesmo com pouco espaço, o Bella Italia oferece duas piscinas, sala de jogos...
 
...e academia. Próximo à entrada, o balcão da Loumar Turismo garante todos os tipos de passeios em Foz do Iguaçu
Espalhadas pelo Bella Italia, lixeiras com coleta seletiva.
No subsolo, o hotel mantém uma
marcenaria, onde são confeccionados todos os artigos em madeira
Parque Nacional do Iguaçu e outras atrações
Calor de mais de 35º C e sol de rachar. As diferentes línguas misturam-se e batalham um lugar sob o frescor da água que cai das Cataratas. Não é difícil. Verão é tempo de chuvas e, portanto, de cheia. As quedas estão a todo volume. Da passarela que leva para a boca das quedas, não há quem não saia molhado. Embasbacados, turistas de cores e culturas diferentes param para reverenciar. Câmeras e mais câmeras miram para tentar capturar um pouco da grandeza desse lugar.
Quedas caudalosas. Na época das cheias, as Cataratas podem ser a terceira em volume de água do mundo
O Parque Nacional do Iguaçu, segundo parque nacional brasileiro a ser criado, acaba de completar 71 anos
Em 1986, foi tombado pela Unesco como Patrimônio Mundial Natural da Humanidade
A passarela da foto anterior, na qual se debruça o menino, é esta à direita da foto
A entrada para o parque custa R$ 22,15 para adultos brasileiros, R$ 31,15 para quem vem do Mercosul e R$ 37,15 para demais estrangeiros. Moradores de 14 municípios da região desembolsam R$ 7. O recomendado é que você deixe o carro no estacionamento externo e utilize os confortáveis ônibus do parque para deslocar-se lá dentro.
Coloridos, trazem por fora desenhos de animais locais e passam de tempos em tempos. Do centro de visitantes na entrada até o Espaço Porto Canoas, o ponto final, o turista escolhe em qual das seis paradas vai descer ou subir. Cada uma delas oferece opções diferentes de passeios, como rafting, trilha a pé ou em bicicleta, rappel, arvorismo, passeio em bote até as quedas ou simplesmente contemplação da natureza, se é que algo assim possa ser simples.
 
A Trilha do Poço Preto tem 9 Km e pode ser feita a pé, em bicicleta ou nas carretinhas do parque, sempre com companhia de um guia, das 9h às 17h
No final da trilha é possível ainda fazer passeio de barco e dar umas remadas nos caiaques infláveis
 
No Espaço Porto Canoas, última parada dentro do parque, o restaurante Porto Canoas tem vista para o Rio Iguaçu antes das quedas
Filhotes de quatis espalham-se pelo parque
O Macuco Safari começa com trilha na floresta subtropical, com trecho a pé opcional, e termina com o passeio pelo bote inflável. Aos poucos, o bote se aproxima das quedas
Sai R$ 140 por pessoa e dura 1h45min. Espetacular
Este é o ponto onde o bote faz uma pausa para as fotos. Daqui em diante, só com equipamento à prova de água. O monitor coloca todas as câmeras em uma sacola vedada
O banho é garantido. Todos terminam o passeio encharcados
 
Turistas estupefatos. À direita, a passarela para o rapel
Você desce 55 metros com esta vista
A altura é maior do que parece na foto. Mas o frio na barriga vale a pena. A sensação de descer mirando as quedas ao fundo é indescritível. A atividade sai por R$ 40 (foto: Daniel Mendes)
De um lado, Foz do Iguaçu. Do outro, as quedas argentinas de Iguazu
Do lado de fora e com bilhete cobrado à parte, o Parque das Aves oferece possibilidade de conhecer e ver de perto mais de 500 exemplares de pássaros em grandes viveiros. Além das Cataratas, Foz oferece também a não menos impressionante Usina Hidrelétrica de Itaipu, o templo budista, a mesquita muçulmana, as compras paraguaias, as quedas argentinas, pesca esportiva, jantares com show latino-americano, parque aquático e inúmeras outras atividades. É possível, facilmente, passar uma semana em Foz do Iguaçu sem se cansar. Aliás, descansando muito, rodeado pelo melhor que a natureza tem a nos oferecer.
 
Mais de 800 aves podem ser vistas no Parque das Aves, que reproduz, entre outros ambientes, o Pantanal mato-grossesense. Há ainda jacarés, cobras, borboletas e beija-flores
 
O jantar-show na Churrascaria Rafain atrai turistas brasileiros e estrangeiros. Por três horas bailarinos apresentam danças e músicas típicas da América Latina
Há dois anos o vertedouro não era aberto. Mas este verão está tão chuvoso que a previsão é continuar assim até o final da estação. É a usina hidrelétrica que mais produz energia no mundo
 
A água para gerar energia passa nestes tubos brancos gigantescos. Ao final deles, ficam as turbinas. Todos os números de Itaipu são superlativos. Durante sua construção, por exemplo, foram instaladas seis fábricas de cimento e outras duas que produziam 40 toneladas de gelo por hora. Colocados no concreto, impediam-no de endurecer antes do tempo. Para fazer o circuito especial, é preciso estar com bermuda abaixo do joelho ou calça e nada de chinelos de dedo
 
Por ser binacional, a sala de controles da usina sempre tem dois brasileiros, dois paraguaios e um coordenador, que de seis em seis horas é substituído, ora do Brasil, ora do Paraguai. A linha mais escura no chão mostra a divisão da sala, metade em território paraguaio, metade brasileiro
 
Para finalizar, mais borboletas, dóceis, tranquilas e numerosas em Foz do Iguaçu
Tudo em Foz do Iguaçu é grandioso, a começar pela exuberância da natureza, passando pela impressionate Usina de Itaipu e finalizando nos números de turistas e nacionalidades presentes aqui. As farfallas, ligeiras, dão um toque delicado ao roteiro que merece, comprovadamente, todos os aplausos e fama que lhe são atribuídos.
Serviço
Bella Italia Hotel & Eventos
Av. Rep. Argentina, 1700 - Centro
Foz do Iguaçu, PR
85852-090
Tel.: 45 3521-5000
* A equipe do Hôtelier News hospedou-se no Bella Italia a convite do hotel e fez os passeios a convite da Loumar Turismo.

Comentários