Belmond divulga resultados do trimestre; perdas líquidas somaram US$ 15 milhões

A aquisição do Castello di Casole foi uma das novidades da Belmond em 2018

A Belmond, rede proprietária ou administradora de 46 empreendimentos, divulgou na última quarta-feira (9) os resultados obtidos no primeiro trimestre. Dentre os índices, notou-se queda de 6,35% na receita, representando uma redução de US$ 5,7 milhões. Já os prejuízos líquido registrados até o momento somam US$ 15 milhões, US$ 3 milhões a menos frente ao mesmo período do ano passado. 

Já o RevPar e a diária média demonstraram crescimento de 10% e 4%, respectivamente. Em contrapartida, o EBITDA ajustado (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) demonstrou uma perda de US$ 2,2 milhões, quatro vezes mais do que fora registrado no primeiro trimestre de 2017.

Um dos fatores apontados como causadores da queda da receita foi o fechamento de duas importantes unidades hoteleiras. Belmond La Samanna, em St. Martin, e 21 Club, em Nova York, tiveram suas operações interrompidas por conta dos danos causados por desastres naturais, como o furacão Irma. Juntos, os empreendimentos contribuíram com receitas combinadas de US $ 12,3 milhões no primeiro trimestre de 2017. 

Roeland Vos, presidente e diretor executivo, afirma que, mesmo com o fechamento dos dois meios de hospedagens, que causaram decréscimo em comparação ao ano anterior, os números são animadores. "O crescimento de 10% da RevPar serve como um indicador útil do nosso desempenho no restante do portfólio" argumenta o presidnete. "Nossos índices operacionais permaneceram fortes, à medida que continuamos a construir sobre as sólidas ações que foram implementadas no ano passado”, pontua. 

Destaques recentes da Belmond

Somente neste ano, a rede apresentou algumas novidades. Dentre elas, a ampliação do portfólio italiano, com a aquisição do Castello di Casole, na Toscana. O investimento de US$ 48 milhões visa consolidar a posição da empresa como líder do mercado de luxo. 

Além disso, a Belmond lançou três Grand Suites a bordo do Venice Simplon-Orient-Express. As acomodações passaram por um projeto de restauração, garantindo características e detalhes exclusivos de cada vagão. 

Outra novidade foi o início das reservas do Cap Juluca Hotel, no Caribe. A propriedade foi a primeira a se moldar aos novos padrões que respondem ao plano estratégico da marca. O objetivo é que, após a remodelação, o estabelecimento apoie a nova ideologia de experiências autênticas, conectando seus hóspedes com a natureza. 

(*) Crédito da foto: Catello di Casole/Divulgação​

Comentários