BHG vende LA Hotels e passa a focar na gestão dos ativos hoteleiros

O BHG (Brazil Hospitality Group) anunciou hoje (12) que completou um acordo com a Golden Tulip Brasil para venda da LA Hotels. O negócio, feito em conjunto com seu acionista GTIS Partners, envolve 100% das ações que detinha na operadora hoteleira. Com a transação, o BHG deixa definitivamente a atividade de gestão de hotéis, concentrando-se na valorização do seu portfólio de ativos imobiliários no setor.

Hoje, a empresa detém participações majoritárias e minoritárias em 27 hotéis no país, com cerca de 5 mil apartamentos. Entre esses ativos estão o Pullman Rio de Janeiro São Conrado, o Novotel Rio de Janeiro Leme (que passará por reformas) e o antigo Hotel Marina, no Rio de Janeiro. Ainda compõem o portfólio de propriedades do BHG outras oito unidades no Rio de Janeiro, além de empreendimentos em São Paulo, Curitiba, Porto Alegre e cidades nas regiões Norte/Nordeste e Centro Oeste.

BHG - Alexandre SolleiroSolleiro: etapa importante no reposiconamento da BHG

Hoje, esses hotéis utilizam diferentes bandeiras hoteleiras, de luxo à econômica. Com um acordo assinado no ano passado, a AccorHotels passou a ser uma das maiores parcerias do BHG, administrando 17 unidades da empresa. Marcas como ibis, ibis Styles, ibis Budget, Mercure, Novotel, Mama Shelter e MGallery estampam as fachadas das propriedades do grupo.

BHG: mais sobre o acordo

Alexandre Solleiro, CEO da empresa, explica que o acordo completa uma etapa importante no reposicionamento estratégico da companhia. “Focaremos agora os recursos e equipes para a valorização dos nossos ativos, buscando novas oportunidades que nos permitam consolidar a nossa posição de maior proprietária de ativos hoteleiros do Brasil”, afirma.

Josh Pristaw, diretor da GTIS Partners, reitera as palavras de Solleiro. “A transação representa um marco importante no plano estratégico para a criação de valor na BHG, que possui um portfólio brasileiro no setor imobiliário hoteleiro incomparável e de elevada qualidade, a partir de investimentos em capital e reposicionamento”, diz. Em setembro, o fundo imobiliário havia comprado, em uma negociação de R$ 150 milhões, 100% da posição que a GP Investments detinha na BHG.  

(*) Crédito da capa: jarmoluk/Pixabay

(**) Crédito da foto: Divulgação/BHG​

Comentários