BNT Mercosul: esforço de promoção impulsiona turismo no Maranhão

De Itajaí, Santa Catarina*

BNT Mercosul - Maranhão_Cristiane MullerCristiane: governo local reduzirá o ICMS do querosene de aviação

Com a campanha Maranhão Terra de Encantos, o governo do Maranhão quer recuperar seu espaço no cenário nacional. Lançada em 2017, a ação promocional visa reforçar o posicionamento do destino nos mercados nacional e internacional. A ideia é ressaltar os atrativos e cultura locais e mostrar que o estado é muito mais do que São Luís e Lençóis Maranhenses. 

Cristiane Müller, superintendente de Promoção e Marketing da Setur-MA (Secretaria Estadual de Turismo), conta que o estado recebe, em média, 400 mil turistas anuais. “Nos últimos anos, observamos incremento médio de 5% na chegada de turistas”, revela. “Com a campanha e a participação em feiras, além de outras ações, queremos aumentar ainda mais esse fluxo”, completa.

Entre essas ações, destaque para as qualificações com profissionais do turismo promovidas pela secretaria. “O projeto é focado nos nossos principais polos turísticos. Por ano, cerca de 3 mil pessoas são treinadas”, comenta Cristiane. Na BNT Mercosul, por exemplo, a Setor-MA promoveu uma série de apresentações para os agentes de viagens presentes.

BNT Mercosul: estado quer mais voos

Dos 400 mil turistas anuais, a grande maioria é nacional, informa a superintendente. “O mercado internacional vem gradualmente aumentando. Nos últimos tempos, por exemplo, notamos maior interesse dos viajantes japoneses, especialmente pelos Lençóis”, diz. “Destino de natureza no sul do estado, Carolina vem melhorando sua infraestrutura hotelaria e ganhou muitas pousadas recentemente”, acrescenta.

Outra frente de atuação da secretaria é na captação de voos para e dentro do Maranhão, num trabalho iniciado em 2015. Há alguns anos, por exemplo, a SETE Linhas Aéreas (que fechou as portas) chegou a operar voos regionais no estado. Hoje, LatamAzul têm rotas para São Luís e Imperatriz. Já a Gol voa somente para a capital.

“Criamos um programa para desenvolver aeroportos regionais. O Aeroporto de Barreirinhas, portão de entrada para os Lençóis, é um deles”, afirma Cristiane. Em paralelo, a exemplo de outros estados como São Paulo e Rio de Janeiro, o Maranhão pretende reduzir a alíquota de ICMS do querosene de aviação. “É uma maneira de atrair mais voos e estudamos um modelo com escalonamento na alíquota”, finaliza. 

(*) A reportagem viajou a convite da BNT Mercosul

(**) Crédito da foto: Vinicius Medeiros/Hotelier News 

Comentários