Brasil participa de evento contra turismo sexual infantil


Museu do Prado
(foto: wikipedia.org)
 
Termina hoje (30) o seminário de Estratégias de Enfrentamento da Exploração Sexual Crianças e Adolescentes que acontece desde ontem na capital espanhola e conta com o apoio do Ministério do Turismo do Brasil. Na ocasião, o Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) disse que aproximadamente 30 milhões de crianças foram exploradas sexualmente nas últimas três décadas em todo o mundo.
 
De acordo com Paloma Scrudero, diretora executiva do Unicef na Espanha, a maioria são meninas e cerca de 90% do total são forçados a este tipo de “trabalho”. “A cada ano, 1 milhão de crianças e adolescentes entra nesse mercado. Esta é uma luta de todos. As crianças são vítimas inocentes. Enquanto esse problema existir, não podemos descansar”, afirmou.
 
Marcio Favilla, diretor executivo da Organização Mundial do Turismo (OMT), ressaltou a importância do evento, que tem foco nas classes trabalhadoras brasileira e espanhola. Segundo ele, mais pessoas viajam cada vez mais e precisam ser conscientizadas sobre essa prática criminosa. Em 1950, foram 25 milhões de viagens internacionais em todo mundo. Em 2010, a OMT prevê um bilhão de viagens até o fim do ano.
 
“Governos e iniciativa privada precisam enfrentar o problema juntos”, acrescentou. Ele destacou ainda que a exploração é considerada, pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), a pior forma de trabalho infantil.
 
O seminário é organizado pelo Conselho Nacional do Sesi, e tem como objetivo construir estratégias bilaterais de enfrentamento à exploração. O evento conta com a participação de representantes dos governos brasileiro e espanhol, sindicalistas, entidades não-governamentais e empresários.
(Redação)

Comentários