Brasília dá sinais positivos sobre impostos para empresas

Impostos - desoneração_Carlos da CostaCosta indicou que desonerar é melhor do que um programa temporário

Ao participar de live promovida pelo BTG Pactual, Carlos da Costa, secretário Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, falou hoje (11) algo que todo empresariado quer ouvir. Segundo Costa, o governo avalia desonerar empresas dentro da reforma tributária como medida para a retomada.

O secretário disse que muito se fala sobre as dificuldades que as empresas viverão no segundo semestre e que, diante disso, o governo deveria reduzir impostos. Mais ainda, essas empresas ainda terão que arcar com a conta do diferimento tributário já concedido, informa reportagem da Reuters.

O assunto é considera estratégico pela hotelaria, como foi debatido hoje na live do Hotelier News com CEOs do setor. "Imposto no Brasil já é algo excessivo. A gente não imagina que mesmo em situações normais as empresas sejam capazes de pagar o imposto que elas têm que pagar e, além disso, o imposto que elas não pagaram no primeiro semestre”, comentou Costa.

Impostos e nova estratégia 

Em sua fala, Costa deu a entender que, para o governo, há melhor alternativa do que criar novo programa temporário, aos moldes do Refis. "Que tal a gente pensar em já desonerar (as empresas) no escopo de uma reforma tributária? Quem sabe até no segundo semestre?", destacou na live.

"A análise agora é: eu vou continuar com políticas temporárias por mais alguns meses ou será que eu já vou iniciar essa transição para um Brasil com menos ônus sobre produção”, finaliza.

(*) Crédito da foto: Washington Costa/Ministério da Economia

Comentários