Bueno do Prado Filho conta sobre sua trajetória e o mercado de lazer de Brasília

Bueno do Prado Filho está na Hplus desde 2013

Formado em Administração, Bueno do Prado Filho, é o atual gerente geral do Vision Hplus Express, em Brasília. Sua trajetória no turismo começou em 1997, trabalhando como office boy em uma agência. No mesmo ano deu a guinada definitiva na carreira, indo trabalhar com hotelaria em Diamantina (MG), cidade histórica, mas com pouco fluxo de turistas.

"Fizemos um trabalho muito interessante no turismo de Diamantina, indo além da Pousada do Garimpo, onde trabalhei. Fundamos associações, trabalhamos com artesanato, não só cidade, mas também no entorno. Com o incentivo do governo de Minas Gerais fundamos o Circuito dos Diamantes. Foi feito um trabalho muito intenso nesse âmbito", relembra Prado Filho.

Em 2013, Otto Sarkis, fundador da Hplus, conheceu Prado Filho e o convidou para entrar na rede candanga. "Aceitei, fui para Brasília, trabalhei um ano no Life Resort, na beira do Lago Paranoá. Quando houve a abertura do hotel de luxo da rede, o Cullinan Hplus Premium, o Otto e a sócia Paula Faure me convidaram para fazer a implantação”, conta. “Morei dois meses no hotel ainda em obras. Abrimos no dia 1º de julho, durante a Copa do Mundo de 2014. O empreendimento estava com 80 apartamentos disponíveis dos 327 existentes. O resto era obra", rememora.

Em outubro de 2016, Prado Filho foi atuar no Vision, empreendimento inaugurado em outubro de 2015. Com tanta mudança na carreira, quais os planos do executivo para o futuro? "Planejo me dedicar mais cinco anos à hotelaria pela Hplus, aqui em Brasília. Depois quero me aposentar, voltar para Jacutinga (MG), minha cidade-natal. Quero ficar mais perto da família", revela.

A Catedral Metropolitana de Brasília

Sobre o mercado de lazer de Brasilia

Brasília é a capital do nosso País. E como a maioria das capitais de outros países são muito visitadas pelos cidadãos locais e de destinos internacionais, perguntamos ao Prado Filho como tem sido o crescimento do mercado de lazer em Brasília. "Não vou responder como gerente do Vision, mas sim como cidadão que conhecia Brasília vindo à negócios e sem tempo para conhecer a cidade. Me surpreendi quando mudei para cá, pois no segundo dia, fui a um boteco e não parei de ir até hoje, tenho amigos lá e a cidade é muito aberta, e não aquela sensação de frieza e sem esquina, como a maioria fala. É uma cidade muito humana, com vários sotaques no boteco - eu falo em boteco pois sou jurado do "Comida de Boteco" nacional - com pessoas do Rio Grande do Norte, de Minas, da Bahia, São Paulo e Paraná", explica.

Nos fins de semana, voltando ao âmbito hoteleiro, Prado Filho diz que têm sido movimentado. "Na Hplus, temos trabalhado muito nesse período. Nossa ocupação é pequena, mas casais de Brasília ou dos arredores vem muito para cá pois praticamos uma tarifa bem atrativa. Patrocinamos eventos também. Aqui acontece muita corrida, e hoje são eventos que impactam na hotelaria. A St. Patrick's Run foi apoiada por nós, situação em que a distribuição de materiais foi feita no Vision e delegações ficaram hospedadas aqui. Outra situação é o Moto Capital, que é um dos maiores eventos de motociclismo, a Hplus apoia e é patrocinadora oficial. Sempre que tem um evento no final de semana, nós participamos e apoiamos. Temos a tarifa cultural, oferecida aos hóspedes que vão ao teatro. Mesmo assim, a incidência de pessoas que vêm para Brasília conhecer a cidade é muito pouca", completa.

Segundo Prado Filho não existe nenhuma divulgação ou informação sobre o turismo local por parte do governo. "Quem faz alguma coisa de captação de eventos - com pouca verba - é o Convention Bureau. Se tratando do governo, o incentivo é zero", finaliza.

(*) Crédito das fotos: Peter Kutuchian/Hotelier News

Comentários