Cidadão Eficiente (SP) participa da Equipotel 2005

A Oscip ? Organização da Sociedade Civil de Interesse Público ? Cidadão Eficiente, com sede em São Paulo, atua na conscientização da importância de prestar um atendimento adequado às pessoas com deficiências físicas e também para idosos. A organização trabalha com ênfase no trade de turismo, e conta com arquitetos, especializados na área de acessibilidade, que desenvolvem projetos específicos. "Oferecemos também consultorias, palestras, treinamentos e implantação de novas tecnologias" diz Laura Maria Evangelista Fernandes, presidente da Cidadão Eficiente.
Durante a Equipotel 2005, que acontece em setembro, a Oscip Cidadão Eficiente apresentará, em seu estande, diversos produtos que compõem ambientes adaptados para o atendimento dos deficientes físicos. Também estará disponibilizando livros e revistas com orientações sobre mudanças comportamentais e de edificações, essenciais para a socialização de deficientes e indivíduos com mobilidade reduzida.

 
Placas com comunicação tátil (braile) são alguns dos produtos oferecidos pela Cidadão Eficiente
(fotos: divulgação)


Produtos
Entre os produtos oferecidos pela Cidadão Eficiente encontram-se: piso podotátil, rampas,  comunicação tátil (braile), cardápios de alimentos em braile e cadeiras de rodas especiais.
A comunicação tátil consiste em sinalizações para ambientes, observando as recomendações da NBR 9050, editada pela ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas). São placas confeccionadas em diversos materiais, tamanhos e formatos que permitem a inserção de textos e ilustrações, como a logomarca de um empreendimento.
A Cidadão Eficiente também promove o ingresso de deficientes no mercado de trabalho. Nesse aspecto, na Feira apresenta três propostas de ocupações: A Quick Massage (estimula a circulação sanguínea, diminuindo tensão e dores ? a massagem pode ser feita por deficientes visuais), o tradutor LIBRAS (língua de sinais para surdos) e recepcionistas deficientes para eventos.
Legislação
Embora existam leis e normas, no setor turístico, poucos empreendimentos e destinos oferecem atendimento adequado às pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida. "Persiste a carência de informações sobre esses direitos e a ausência de funcionários capacitados", diz Laura. (Peter Kutuchian)

Serviço
Cidadão Eficiente
www.cidadaoeficiente.org.br

Comentários