CNC debate a utilização de live marketing em eventos

debate no cncEvento ocorreu ontem (8)

O Cetur (Conselho Empresarial de Turismo e Hospitalidade), da CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo), promoveu ontem (8) o seminário Live Marketing – A Nova Inteligência para Marcas e Cidades. O encontro deu sequência à série Turismo – Eventos em Debate.

Um dos organizadores do encontro, Eraldo Alves da Cruz, secretário executivo do Cetur, ressaltou que os seminários têm discutido os principais desafios e cenários do segmento de eventos. "É um segmento não apenas importante para o turismo como para a economia brasileira", afirma. Sobre o tema da vez, o executivo assegura que o live marketing é uma ferramenta poderosa para ampliar a interação com o público, gerar empatia com o cliente e potencializar vendas.

Live Marketing: O debate 

Participaram do evento como convidados a professora Marisa Canton, da FGV (Fundação Getulio Vargas), Tony Coelho, colunista do jornal O Dia e do site Promoview, e Leila Bueno, presidente da Abrafec (Associação de Fornecedores de Cenografia). Entre eles, o consenso foi que o live marketing aparece como uma ferramenta poderosa na realização dos eventos.

Também tocando no mesmo tema, o segundo painel começou com a apresentação de Wilson Ferreira Junior, sócio-diretor da agência Etna e presidente da Ampro (Associação de Marketing Promocional). O executivo falou sobre os eventos no contexto da "magia do encontro". Além de exemplificar os vários tipos de evento, como convenções, lançamentos, inaugurações, seminários, fóruns e festivais, Junior destacou que as ativações nos eventos vêm crescendo e são um business importante. "O desafio é impactar e surpreender positivamente o público, atingindo várias gerações", completou.

Também participaram do painel Silvana Torres, presidente da Mark Up, e Mauricio Werner, diretor de Planejamento e Marketing da Riotur. A primeira falou sobre o marketing de incentivo no âmbito da potencialização da produção e das marcas. Já o segundo ressaltou questão dos destinos, em especial o Rio de Janeiro, lembrando que é preciso suprir o efeito da sazonalidade. 

Encerrando os painéis, Alexandre Sampaio, presidente do Cetur/CNC, frisou que o setor de eventos é movido pela força, criatividade e trabalho, exercidos pela iniciativa privada.

Os próximos encontros da série Turismo – Eventos em Debate acontecem em outubro e dezembro, na sede da CNC/RJ.

(*) Crédito da foto: Kherrmann/Pixabay

Comentários