Com alta de 4%, OMT registra 1,5 bi de chegadas internacionais em 2019

OMT- turistasEm 2017 e 2018, o número de turistas internacionais cresceu 7% e 6%, respectivamente

A OMT (Organização Mundial de Turismo) divulgou hoje (20) os resultados para o turismo global em 2019. De acordo com o relatório abrangente sobre números e tendências globais da década que se inicia, o setor registrou aumento de 4% frente a 2018, reafirmando a importância do segmento para a economia mundial. No total, foram 1,5 bilhão de chegadas internacionais.

Este foi o décimo ano de crescimento consecutivo do turismo e para 2020 as previsões são de estabilidade, ou seja, de incremento de 3% a 4%. Todas as regiões apresentaram aumento nas chegadas internacionais no ano passado, entretanto, a incerteza a respeito do Brexit, a falência da Thomas Cook e tensões geopolíticas e sociais contribuíram para este ser o incremento menos significativo em comparação aos anos anteriores (2017 e 2018).

Europa, Ásia e Pacífico foram as regiões mais afetadas pela queda do turismo. Apesar da queda, as expectativas para 2020 são otimistas: 47% dos participantes acreditam que o setor terá um desempenho melhor e outros 43% alegam que o mercado deve se manter estável. Eventos esportivos como as Olimpíadas de Tóquio e culturais como a Expo Dubai devem impactar positivamente o segmento.

Segundo Zurab Pololikashvili, secretário-geral da OMT, o setor segue como um grande impulsionador econômico. "Nestes tempos de incerteza e volatilidade, o turismo continua sendo um setor econômico confiável". No contexto de perspectivas econômicas globais recentemente rebaixadas, tensões comerciais internacionais, agitação social e incerteza geopolítica, "nosso setor continua superando a economia mundial e nos chamando a não apenas crescer, mas também a melhorar".

OMT: impacto regional

O Oriente Médio emergiu como a região que mais cresce para chegadas de turistas internacionais em 2019, crescendo quase o dobro da média global (+ 8%). O crescimento na Ásia e no Pacífico desacelerou, mas ainda apresentou crescimento acima da média, com chegadas internacionais acima de 5%.

A Europa, onde o crescimento também foi mais lento do que nos anos anteriores (+ 4%) continua liderando em termos de número de chegadas internacionais, recebendo 743 milhões de turistas internacionais no ano passado (51% do mercado global). As Américas (+ 2%) mostraram uma imagem mista, pois muitos destinos insulares no Caribe consolidaram sua recuperação após os furacões de 2017, enquanto as chegadas caíram na América do Sul devido em parte à turbulência social e política em curso. Dados limitados disponíveis para a África (+ 4%) apontam para fortes resultados continuados no norte da África (+ 9%), enquanto as chegadas na África Subsaariana cresceram mais lentamente em 2019 (+ 1,5%).

Gastos seguem em aceleração

Num cenário de desaceleração econômica global, os gastos com turismo continuaram a crescer, principalmente entre os dez maiores gastadores do mundo. A França registrou o maior aumento nas despesas de turismo internacional entre os dez principais mercados externos do mundo (+ 11%), enquanto os Estados Unidos (+ 6%) lideraram o crescimento em termos absolutos, auxiliados por um dólar forte.

No entanto, alguns grandes mercados emergentes, como Brasil e Arábia Saudita, relataram declínios nos gastos com turismo. Na China, o principal mercado de fontes do mundo, as viagens de saída aumentaram 14% no primeiro semestre de 2019, embora as despesas tenham caído 4%.

(*) Crédito da foto: JESHOOTS-com/Pixabay

 

Comentários