Como escolher a sua cesta competitiva

Cesta competitiva- OTASegredo não é fazer acompanhamento 24h, mas monitorá-los regularmente

Como qualquer outro negócio, hoteleiros precisam sempre ficar de olho na concorrência. Agora, de que maneira fazer isso, como monitorá-los? Mais ainda, como se deve definir quem, de fato, integra sua cesta competitiva direta? Especializada em data intelligence, a OTA Insight reuniu uma série de dicas para facilitar a vida da hotelaria. 

Para chegar lá, a empresa de tecnologia leva em consideração um hábito relevante da jornada de compra do consumidor. Segundo a OTA Insight, os viajantes estão comparando hotéis diferentes cada vez mais antes de finalizar a compra. Por isso, o dinamismo crescente da concorrência leva muitas vezes o hoteleiro a estar sempre atualizando sua cesta competitiva.

Cesta competitiva: como montar

Segundo a empresa de data intelligence, o objetivo de definir seu set competitivo não é acompanhar a concorrência 24h por dia. A ideia é fazer um monitoramento regular para garantir que o hotel não esteja subestimando ou superestimando suas tarifas. Segue abaixo um passo a passo para a montagem da cesta competitiva:

Passo 1: entenda sua posição no mercado

Comparar sua própria posição com o mercado é parte da base do desenvolvimento de uma boa estratégia de precificação. Nesta etapa, o hoteleiro deve levantar alguns índices importantes do empreendimento e compará-lo com a média do mercado. Neste sentido, os principais indicadores são:

– Índice de penetração no mercado: compara a ocupação do seu hotel com o da região (ocupação hotel/ocupação mercado)
– Índice de diária média: divide sua tarifa média pela praticada nos demais hotéis do mercado
– Índice de geração de receitas: com ele, é possível saber como o RevPar do hotel se coloca frente à concorrência da região (RevPar hotel/ RevPar mercado)

Se a sua pontuação for superior a 100, seu hotel está superando a concorrência. Pontuação forte na comparação do RevPar é uma métrica considerada importante, ensina a OTA Insight.

Passo 2: identifique seus concorrentes diretos

Aqui existe um ponto básico a ser identificado: descubra quais concorrentes o viajante consideraria em vez do seu na cidade. Só esse trabalho, contudo, não basta e outros aspectos importantes também devem ser considerados. Veja abaixo dicas importantes:

Primeiro, o tipo de alojamento. Verifique quais hotéis são semelhantes ao seu em termos de oferta. Se seu empreendimento dispõe de 50 a 90 quartos, então não concorre com o alojamento da esquina que não serve nem café da manhã. A seguir, atende-se à categoria e, talvez, usar a classificação por estrelas seja um bom balizamento.

O terceiro ponto está ligado à proximidade do seu hotel. Hoje, viajantes têm localização como um dos fatores mais importantes na hora da compra. Portanto, se houver concorrentes no mesmo bairro, e essas propriedades cumprirem com os dois quesitos anteriores, preste atenção neles. Outro fator relevante é a qualidade de serviço: é necessário comparar produtos idênticos.

Por fim, compare as instalações. Se seu hotel possui espaço para reuniões corporativas, considere concorrentes que também trabalham com turismo de negócios. Mesma coisa com infraestrutura de lazer. Você pode ter um campo de golfe e a concorrência um cassino, mas ainda assim vocês disputam o mesmo público formado por turistas ricos.

Um bom set competitivo deve incluir apenas de cinco a 10 hotéis. Mais do que esse número fará com que seja um desafio tirar conclusões úteis de sua análise de comparação de preços. No entanto, é possível ter listas competitivas secundárias, com concorrentes durante as temporadas, ou por proximidade ou até mesmo aspiracionais.

A dica final da OTA Insight é: revise seu set com frequência e não tenha medo de mudá-lo.

(*) Crédito da foto: fancycrave1/Pixabay

Comentários