Completando dez anos, rede Nobile quer dobrar de tamanho nas próximas cinco temporadas

Fundada em 2008 e já consolidada como uma das grandes empresas nacionais no ramo da hospitalidade, a Nobile Hotéis alcançou a primeira década em operação com 52 empreendimentos na lista de propriedades administradas. Como celebração, a companhia montou um plano de aberturas que pretende dobrar o inventário em metade do tempo percorrido para alcançar o tamanho atual; ou seja, a pretenção é ultrapassar a marca de cem hotéis nos próximos cinco anos.

Para conseguir tal feito, os primeiros passos já foram dados. O pipeline da organização aponta para 11 aberturas ao longo de 2018 - oito no primeiro semestre e outras três na metade derradeira do ano. As cinco regiões brasileiras serão alcançadas com essa programação e já é sabido que as marcas próprias serão as mais empregadas nesse cronograma.

As inaugurações para a temporada atual representam metade da quantidade de hotéis que a rede abriu ao longo de 2017. Mas tudo está dentro do plano de crescimento sonhado por Roberto Bertino, um dos fundadores e presidente da corporação. De acordo com o executivo, a empresa está nesse mercado para se perpetuar e tem sonhos grandes de crescimento e ampliação. "Vez ou outra ouvimos comentários a respeito da venda da nossa empresa e coisas parecidas. Mas não é nossa intenção. Somos três sócios que dedicam-se inteiramente ao exercício de fazer a rede crescer e solidificar-se no cenário nacional", reitera.

Roberto Bertino, presidente da Nobile

As intenções de crescimento da Nobile ganharam ainda mais força com uma contratação recente. Há alguns meses, a empresa trouxe, como diretor na área de Desenvolvimento, o experiente Rafael Guaspari, que já auxiliou na ampliação de outras grandes redes. A chegada de Guaspari endossa um outro discurso defendido por Bertino em relação ao modo como as coisas funcionam dentro da cadeia de hotéis. "Nosso segredo é acreditar em gente. Crer nas pessoas. A gente encontra esses profissionais, damos a eles condições de trabalho e procura colocá-los na função certa, no momento certo, para que possam performar e fazer o trabalho bem", afirma.

Com esse pensamento, a organização emprega 2,2 mil funcionários que cuidam de 8,8 mil quartos, de 14 marcas, espalhados por 17 Estados brasileiros - além de uma propriedade no Paraguai. Na outra ponta desse cálculo aparecem os resultados: o balanço de 2017 apontou faturamento de R$ 264 milhões, numa subida de 25% sobre o verificado um ano antes.

"Nosso trabalho está baseado em quatro pilares: vender mais, gastar menos, usar tecnologia e lutar em nome da fidelização dos clientes", enumera o presidente quando questionado sobre as diretrizes que regem a companhia. Os três primeiros pontos citados por Bertino dizem respeito, principalmente, à relação com os investidores, que são os maiores interessados na rentabilidade do negócio. O quarto item fala mais com o hóspede; e, para esse, há um plano de fidelização que conta com 200 mil afiliados ativos. "Costumamos falar que nossa estratégia é tratar gente como gente e não como números. Queremos fazer essa experiência de estar conosco a mais agradável possível".

O discurso de humanização da clientela está em compasso com o comportamento da equipe de Comercial que é quem reforça a necessidade de agregar valor ao produto hospedagem para que o cliente, mesmo em viagens corporativas, tenha boas recordações de sua estadia. É esse o time que lida diretamente com os clientes e que ajuda a alcançar o atual índice de 18% das vendas gerais da rede acontecerem pelos canais diretos da companhia, sem intermediários.

Escritório em São Paulo
Também junto ao aniversário de dez anos, a Nobile abriu um escritório em São Paulo, na região da Vila Olímpia. Nessa sede, ficam os executivos das áreas de Desenvolvimento, Operações e do setor Comercial. 

Em Brasília, na matriz antiga, ainda funcionam algumas atividades da empresa, aí mais ligadas a questões institucionais.

* Foto de capa: Filip Calixto

Comentários