Conheça a trajetória de Camila Salgueiro, gerente de Marketing do Fairmont Rio

Camila Salgueiro - FairmontCamila Salgueiro começou sua carreira no Sofitel Copcabana

Camila Salgueiro é a atual gerente de Marketing do Fairmont Rio de Janeiro. Formada em Comunicação Social, a profissional sempre pretendeu trabalhar com Comunicação e Marketing, mas nunca havia pensado em atuar na hotelaria. "Estava para me formar na faculdade e fiz uma entrevista nesse edifício, que na época era o Sofitel Copacabana. Era uma vaga de estágio e pensei: 'bom pode ser uma coisa diferente'. A oportunidade era no departamento de Marketing, então topei. Acabei adorando", conta Camila.

A impressão dela foi tão boa que adiou a formatura e apenas colou grau. "Fiz seis meses de estágio e entrei no mundo maluco da hotelaria. Sempre falo para as pessoas que consegui entender a diferença entre trabalhar em qualquer outra empresa e com hospitalidade. É um dos poucos negócios que nunca fecha, são 24h, sete dias por semana. Você nunca sai e apaga a luz. Com certeza, alguém precisa ficar para fazer a roda girar", define.

Camila Salgueiro: carreira cinco estrelas

E foi assim que Camila começou sua carreira em dezembro de 2013, como estagiária do então Sofitel Copacabana. Depois, galgou cargos de assistente, analista, coordenadora e, finalmente, gerente. "Fiquei durante quatro anos, pois quando o edifício fechou para o início das reformas para a sua transformação no Fairmont, fui para o Sofitel Ipanema, onde fiquei por dois anos", relembra.

Desde o último ano no Sofitel Ipanema, Camila passou a atuar também no projeto do Fairmont. "Abrimos o Fairmont e finalmente voltei para o prédio do Posto 6, que internamente chamamos carinhosamente de castelo. Conheço cada labirinto como a palma de minha mão. No começo, vários colaboradores se perdiam e é incrível voltar, ainda mais com o projeto maravilhoso do Fairmont, primeira unidade da marca na América do Sul", conta.

Camila: experiência de morar fora é primordial

Na época de faculdade, Camila passou semestre em Lyon, na França. "Sem sombra de dúvida foi uma decisão muito assertiva. Morar sozinha, e fora do país ainda por cima, muda o jeito de pensar, abre a cabeça de um jeito totalmente diferente. Lyon é uma cidade muito universitária, tem grandes faculdades. Vai gente do mundo inteiro estudar lá, conheci muitas pessoas. E, com certeza, moraria fora novamente", revela.

Ela conta que, quando se trabalha na hotelaria, pensar em expatriação é algo constante e natural. "Conhecemos e vivemos com pessoas do mundo inteiro aqui. Sempre me sinto dentro de viagens, que é algo que adoro fazer. Depois que você expande os horizontes nessa proporção, você não encolhe mais", ensina Camila.

E o futuro?

Indagada sobre seu futuro, Camila enfatiza que está apta a testar novos lugares. Acredita que o próprio Brasil é muito grande e que moraria em outros lugares. Ela já vive uma vida muito internacional, tendo contato com hóspedes estrangeiros, aprendendo a viver com culturas diferentes. "Faz parte do nosso trabalho essa possibilidade de troca com pessoas do mundo inteiro. Poder viver isso de fato em outra cidade ou país, é super rico. Sem sombra de dúvidas está nos meus planos", coloca.

"Seria muito interessante trabalhar em um Faimont de outra cidade, no próprio Canadá, de onde vem a história da rede. Trabalhei muitos anos no Sofitel, que também é uma marca pela qual tenho um carinho especial. Morei na França e tenho uma relação forte com o país, e seria fabuloso trabalhar num Sofitel francês. Seria um desafio muito interessante. É possível, pois a Accor proporciona isso para seus colaboradores, essa possibilidade de morar fora e trabalhar em outros hotéis. Não é um sonho impossível", explica.

Novos projetos no Fairmont

Aberto há poucos meses, o Fairmont Copacabana (leia o In Loco Especial) aparenta estar aberto há mais tempo. "Tantas coisas já foram feitas... parece que faz anos. Isso me encanta na hotelaria, essa vida dinâmica, cada dia uma história nova. Já fizemos eventos incríveis aqui, por exemplo. Encanta-me a possibilidade de trabalhar 100% num projeto ou evento, que nasce e acontece. Tudo tão rápido, dinâmico e intenso. Melhor, no dia seguinte já há outro para ser feito. Temos uma equipe excelente que cria, acredita e executa com dedicação e carinho em conjunto", explica.

"Mesmo com tantas coisas que já foram feitas, vejo no nosso calendário projeção, tem tanta coisa incrível por vir, tantos projetos que estamos cuidando, ações que já começamos e têm desdobramentos. É sempre uma montanha-russa que você sobe e, quando começa acalmar, já sobe de volta. Gostamos que as pessoas venham, adoramos receber e temos esse ambiente de hotel grande, essa possibilidade de tê-los em nossos restaurantes, bar e spa, além de toda nossa área de convivência. O céu é o limite", filosofa Camila.

Sobre a forma que a comunicação é tratada hoje, Camila diz que as pessoas querem criar conexões. "Você pode mudar o jeito que faz, a ferramenta usada, mas no fim das contas, o que as pessoas procuram é uma conexão. O espaço que temos possibilita esses encontros", acredita a gerente. "Você pode falar, propagar mensagem. Usamos a tecnologia para melhorar processos, mas a conquista é feita pelo sentimento. Apesar de tanta evolução, a essência é a mesma", finaliza.

(*) Crédito da foto: Peter Kutuchian/Hotelier News

Comentários