Conhecemos a excelência do ITHQ, em Montréal


Prédio do Instituto de Turismo
e Hotelaria do Québec
(fotos: Christiane Kokubo)

São 1.250 estudantes regulares e cerca de 250 colaboradores, dos quais 75 são professores especialistas que fazem do Institut de Tourisme et Hôtellerie du Québec (ITHQ) um centro de excelência para o aprendizado em turismo, hotelaria e gastronomia. Conversamos com Paul Caccia e Anita Reny, diretor e conselheira de Relações Públicas e Assuntos Internacionais do instituto, e desfrutamos de uma noite no Hôtel de l'Institut. Fomos muito bem recebidos pelos alunos em estágio ou já formados que agora são colaboradores do ITHQ. Não é à toa que sua reputação é tão boa no Canadá e no cenário internacional.

Por Christiane Kokubo*
De Montréal, Québec, Canadá

 
Da varanda do Hôtel de l'Institut, de um lado vemos a rua Berri,
e do outro, a rua Saint-Denis. Ao longe, o Mont Royal

 
Somente dois hotéis em Montréal possuem varandas. 
O do ITHQ é um deles

Desde que cheguei em Montréal, há dez meses, estava curiosa para conhecer o ITHQ. O prédio envidraçado em frente à arborizada praça Saint-Louis chama atenção com seu enorme letreiro na fachada. E pelos outros hotéis nos quais passei em Québec sempre havia alguém que tinha estudado por lá, de garçom a gerente geral, o que aguçava ainda mais meu interesse.

 
O instituto tem três entradas: uma para a escola, outra para o restaurante e a terceira para o hotel

 
O balcão de informações principal e o corredor que leva à recepção do hotel

 
Entrada e salão do restaurante. Atrás do vidro fica o balcão do concierge

Fundado em 1968, o Instituto de Turismo e Hotelaria do Québec é um organismo governamental administrado por um conselho composto principalmente por profissionais das indústrias hoteleira e turística. Em Québec, trata-se do único estabelecimento público de turismo, hotelaria e gastronomia e foi a primeira escola criada no Canadá nessa área de ensino. Uma gama de programas oferece formação em três níveis: colegial técnico, curso preparatório para a universidade e superior.


O instituto foi criado em 1968, mas
 o prédio
onde está instalado, finalizado em 1976.
Em 2005, todo o hotel foi renovado

Em Québec, depois do ensino fundamental, o aluno pode escolher estudar o colegial técnico de três anos - para quem está interessado em ingressar diretamente no mercado de trabalho -, ou dois anos de Collège enseignement général et professionnel (Cegep), obrigatório para quem quer, em seguida, cursar o ensino universitário. O ITHQ oferece ambos e, por ser um instituto público, as aulas são gratuitas para os alunos nascidos na província. Já no nível superior, em parceria com a Universidade de Québec em Montréal (UQAM), é oferecido, entre outras opções, bacharelado de Gestão em turismo e hotelaria.

Entre os diferenciais do ITHQ estão o Hôtel de l'Institut e o Restaurant de l'Institut, onde os estudantes podem fazer parte de seu estágio obrigatório, realizado também em outros estabelecimentos em Québec ou mesmo no exterior. Parcerias internacionais com escolas na França, nos Estados Unidos e na Itália facilitam o intercâmbio. E, recentemente, Paul Caccia recebeu a visita de profissionais do Senac São Paulo interessados em firmar acordos.


Paul Caccia e Anita Reny, diretor e conselheira de
Negócios Internacionais do ITHQ, estudam
parceria com o Senac-SP

Na visita que fizemos ao instituto, conhecemos laboratórios de enologia, cozinhas didáticas, biblioteca especializada - a maior do Canadá na área de turismo, hotelaria e gastronomia -, laboratórios de línguas - onde os alunos podem escolher entre inglês, espanhol, italiano, alemão, japonês, mandarim e francês -, de informática e salas de aula. São 13 laboratórios de aplicação, além de um auditório. Tudo muito bem cuidado e equipado.

 
Uma das cozinhas didáticas e o laboratório de enologia,
no qual se pode controlar a temperatura e luz do ambiente


Aqui, a sala patrocinada pela Hydro-Québec, a
companhia de energia elétrica da província, na qual
todos os equipamentos são elétricos. Por US$ 24 mil 
por ano, empresas interessadas podem batizar
e equipar uma sala de aula

No entanto, o que mais nos chamou atenção foi o Centro de pesquisa e experimentação, onde experiências culinárias e novos produtos gastronômicos são desenvolvidos. O Centro de Pesquisa Aplicada do ITHQ - Centre de recherche appliquée (CRA) - realiza projetos de pesquisa no domínio de cozinha e ciência dos alimentos bem como em atividades pedagógicas sensoriais.

  
Aqui, uma das salas do CRA. A luz é regulada de acordo com o alimento que está sendo
experimentado e o propósito dos testes

O hotel-escola do ITHQ, classificado como um quatro estrelas pelo Hébergement Québec, apresenta 42 UHs, sendo 40 quartos e duas suítes. A diferença é que as suítes apresentam uma sala com mesa para reuniões e uma pequena cozinha de apoio. Internet wireless está disponível aos hóspedes gratuitamente em todas as unidades habitacionais, cuja diária varia entre US$ 172 e US$ 282.


Recepção do Hôtel de l'Institut

 
Um dos quartos com duas camas queen

 
A saleta e a cozinha de apoio de uma das duas suítes

 
No banheiro recém-reformado, mosaicos, telefone,
secador de cabelos e amenities


Da varanda da UH é possível avistar a ponte Jacques
Cartier, uma das portas de entrada para Montréal

No térreo, localiza-se o Restaurant de l'Institut, cuja cozinha também é utilizada para aulas e práticas pedagógicas. No segundo andar, um dos espaços para eventos pode ser transformado em salão de restaurante apto a receber de 80 a 150 pessoas. Reuniões de negócios, recepções, casamentos, banquetes e outros eventos para grupos de 15 a 150 participantes são realizados no hotel, sempre com a participação de alunos e ex-alunos. No ITHQ, a formação teórica é complementada pela prática, tanto na parte de gestão como nas atividades operacionais.

 
Jantar no restaurante do ITHQ: caprichado, bem servido e gostoso

 
Duas entradas diferentes: Sopa fria de tomate com pétalas de flor, queijo manchego e tempurá
de anchova
e Fois com caldo e folhas de beterraba


Dois pratos quentes, ambos com codorna: um
com couve agridoce e purê de abóbora e o outro
com ovo pochê, alface e purê de legumes

 
Pratos principais elaborados e saborosos: Pato com escargot e
Peixe acompanhado de cuscuz e salada verde


Para finalizar, nada melhor que Chocolate gianduja
com sorvete, frutas,
e uma mousse que
é exemplo da culinária molecular

O idioma oficial do Instituto é o francês. Por enquanto, apenas um curso é oferecido em inglês: Advanced Culinary Arts, com duração de nove meses. Mas para cursá-lo é necessário ter formação em Gastronomia e ter expêriencia profissional. Em breve, um curso bilíngüe em inglês e francês deve ser ministrado.


O Instituto ja publicou 22 titulos
de livros de receitas

 
A vista do restaurante dá para a rua Saint-Denis e para a convidativa praça Saint-Louis.
O café da manhã é à la carte e todos os produtos servidos, com exceção dos pães,
são feitos na cozinha do hotel

Durante nossa estada no Hôtel de l'Institut, deu para perceber que tudo é feito com capricho e servido com muito cuidado. Os alunos estão atentos, bem como os colaboradores. Mas não há pressão alguma, mesmo se tratando de um hotel-escola. A tranqüilidade e segurança garantem um serviço bastante simpático e competente, de primeira.


Joannie Thibault e Mikhaël Langis, ex-alunos do ITHQ,
resolveram trabalhar no estabelecimento depois
de passar por outros restaurantes da cidade

Tivemos uma experiência extremamente agradável, com direito a frutas e doces no apartamento, café da manhã caprichado e um jantar elaborado, tudo muito saboroso. A impressão de que o instituto oferece cursos excelentes obtida durante a entrevista e a visita se confirmou durante nossa estada.


Os docinhos nos esperavam no quarto


O instituto recebeu recentemente um prêmio do
Instituto real de arquitetura do Canadá e do Conselho
de Artes do Canadá por sua contribuição ao
design urbano. Dois andares são dedicados
às UHs e um a eventos

 
A fonte da praça Saint-Louis e casas típicas de Montréal.
Paisagem de cartão postal vendido nas lojas de souvernirs

 
O ITHQ encontra-se em um bairro bastante tranqüilo, apesar de muito próximo do centro da cidade


Durante o verão, não é difícil encontrar
artistas de rua


A rua Saint-Denis, repleta de bares, lojas e
restaurantes, vista à noite da varanda do hotel

Montréal é umas das cidades do Canadá que mais recebe turistas. Está à frente de Québec e Vancouver. Para bem receber tanta gente - em 2005 foram mais de 14 milhões - a cidade conta com 21 mil unidades habitacionais. São mais de 73 mil empregos diretos criados pelo setor de turismo e hotelaria, o terceiro em importância para a economia local, depois da indústria farmaucêutica e da aeronáutica. Nada melhor do que contar com a qualidade de um instituto como o ITHQ formando os profissionais. E é durante o verão - entre junho e agosto - que as ruas ficam repletas de turistas. Muitos deles vêm à cidade por causa dos diferentes festivais que acontecem durante toda a estação, entre eles o célebre Festival Internacional de Jazz e o Festival de Fogos de Artifício. É a época mais animada e agitada para se conhecer a cidade.


Montréal acabou de realizar seu famoso
Festival Internacional de Jazz

  
De 28 de junho a 8 de julho, cerca de 500 espetáculos foram apresentados,
sendo 350 deles gratuitos

  
De orquestras a quartetos, esta 28ª edição do festival teve a presença de nomes
como Bob Dylan, Mike Stern, Carlinhos Brown, Seun Kuti e Rachid Taha

  
Trata-se do maior festival de jazz do mundo


A manga se transforma em flor

  
A Place des Arts repleta de gente. Final do espetáculo. Agora, só ano que vem

Serviço
ITHQ e Hotel de l'Institut
3535, rue Saint-Denis
Montréal, Québec
H2X 3P1
514 282-5107
www.ithq.qc.ca
www.uqam.ca

* A reportagem do Hôtelier News se hospedou no Hôtel de l'Institut a convite do empreendimento

Comentários