Coronavírus derruba desempenho da hotelaria nacional, mostra InFOHB

InFOHB - março info 1

Um nocaute rápido e devastador, como Mike Tyson nos seus velhos tempos. Em sua 152ª edição, o InFOHB ratifica o impacto sem precedentes do coronavírus na hotelaria nacional, que teve o choque inicial em março. Segundo o estudo, houve queda nos três principais indicadores do setor no mês, com RevPar e ocupação despencando mais de 30% frente a igual período de 2019. A boa notícia é que diária média cedeu pouco (-2,7%), o que é positivo diante do cenário atual. A ruim é que esse ainda não é o verdadeiro retrato do mercado, que é bem pior do que mostra o levantamento.

Com o fechamento dos hotéis a partir da segunda quinzena de março, a ocupação caiu fortemente em todas as regiões, como pode ser visto abaixo. Na comparação anual, as cidades com maiores quedas no indicador foram São Paulo (-42,9%), Belo Horizonte (-39,1%) e Salvador (-38,4%). Já os menores percentuais absolutos foram atingidos em Goiânia (27%) e Campinas (31,1%). Praças importantes como São Paulo e Rio de Janeiro tiveram taxas de 35,2% 41,1%, respectivamente, no período. Na contramão, Florianópolis (50,4%) e Vitória (46%) apresentaram os melhores índices.

“Março ainda pegou um pouco de demanda, que vinha bem, por sinal. Então, o resultado dá uma visão não muito real do mercado atual. Na verdade, não quer dizer muita coisa. Abril é que trará realidade dos fatos, do verdadeiro impacto da pandemia na hotelaria”, ressalta Orlando de Souza, presidente executivo do FOHB, em contato com o Hotelier News. “Em abril, acreditamos que, dependendo da praça, as taxas de ocupações fiquem entre 5% e 7%”, acrescenta Souza.

InFOHB: acumulado do ano

De fato, quando se analisam os dados dos primeiros três meses de 2020, é possível perceber como a trajetória de crescimento ganhava força antes do coronavírus. Mesmo com quedas tão abruptas em março, por exemplo, o setor ainda registra alta de 4% na diária média em relação ao primeiro trimestre de 2019. Já a taxa de ocupação (-12,4%), contudo, sentiu com mais força o desempenho do mês passando, derrubando também a performance do RevPar (-8,9%).

Realizado mensalmente, o InFOHB conta com uma amostra de 578 hotéis de redes associadas, que são responsáveis pela oferta de 99.750 UHs (unidades habitacionais). Vale destacar que, em 2019, o setor obteve crescimento nos três principais indicadores medidos pela entidade.

InFOHB - março info 2

(*) Crédito da capa: Peter Kutuchian/Hotelier News

(**) Crédito dos infos: FOHB

Comentários