Coronavírus faz governo fecha fronteiras terrestres por 15 dias

Coronavírus - fechamento de fronteirasPonte da Amizade, entre Foz do Iguaçu (PR) e Ciudad del Este, já está vazia  

O governo Jair Bolsonaro determinou hoje (19) o fechamento das fronteiras terrestres com oito países. Até ontem (18), apenas a entrada de venezuelanos havia sido vetada. A medida, que visa limitar o avanço da pandemia de coronavírus, vale por 15 dias e abrange Argentina, Bolívia, Colômbia, Guiana Francesa, Paraguai, Peru e Suriname.

Segundo a Reuters, a portaria divulgada pela Casa Civil especifica que a proibição de circulação não veta a passagem de brasileiros natos. Imigrantes com autorização de residência definitiva no Brasil, profissionais estrangeiros em missão de organismos internacionais e diplomatas acreditados no país, além do transporte de cargas, também tem passagem liberada.

Também será possível a passagem de residentes nas chamadas “cidades-gêmeas”, onde há fronteira exclusivamente terrestre. Tabatinga (AM) e Letícia (Colômbia) e Ponta Porã (MS) e Pedro Juan Caballero (Paraguai) são exemplos.

Coronavírus: voos internacionais

O fechamento das fronteiras foi negociado com cada um dos países antes da publicação da portaria. As conversas com o Uruguai prosseguem e, por isso, a nação vizinha acabou não entrando na portaria. Ao mesmo tempo, Argentina, Paraguai e Colômbia já haviam determinado o fechamento das suas fronteiras.

A portaria trata apenas das fronteiras terrestres. O governo ainda estuda medidas em relação a aeroportos e viagens aéreas, mas não há definição, embora empresas aéreas já tenham limitado os voos. Hoje, o presidente da Colômbia, Iván Duque, informou que a partir da meia-noite de segunda-feira (23) estarão proibidas rotas internacionais no país por 30 dias.

(*) Crédito da foto: Christian Rizzi/Reuters

Comentários