Em carta, trade considera medidas econômicas insuficientes

trade - coletiva bolsonaro_internaCarta aberta foi enviada à imprensa logo após a coletiva do governo

Em busca de acordos que minimizem os prejuízos do coronavirus no setor, entidades do turismo enviaram uma carta aberta do governo federal. Resorts Brasil, ABIH, FOHB, FBHA, BLTA, Sindepat, Adibra e Unedestinos assinaram o documento, divulgado logo após a coletiva convocada pelo governo Jair Bolsonaro.

Destacando que o impacto será “pontual e imediato”, as associações afirmam que as medidas provisórias adotadas pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, não representa uma solução para o setor. “Os índices de cancelamento de eventos, de hospedagens corporativas e de lazer estão na ordem de 75%-100%, além de acentuada queda na visitação dos parques, colocam em xeque a sobrevivência destes empreendimentos no país”, informa a carta.

Trade: diálogo com MTur

No texto, as entidades – que representam os segmentos de hotelaria, Mice, parques e entretenimento – declararam que já estão dialogando com o MTur (Ministério do Turismo). Para finalizar, o documento ainda ressalta os prejuízos para a economia e o fechamento de postos de trabalho.

“A situação é caótica e em um espaço curtíssimo de tempo, o setor de turismo estará irremediavelmente comprometido, sob pena de suprimir da economia R$ 31,3 bilhões de reais e quatrocentos mil postos de trabalhos diretos”.

(*) Crédito da capa: reprodução de TV

Comentários