Em meio a incertezas, hotéis independentes mantêm operações

hotéis independentesUnidade em Tatuí (SP) viu meses de boa performance ruírem 

Mesmo com ocupações baixíssimas, hotéis independentes vêm na contramão de grandes redes optando por manter as portas abertas. Da mesma forma que empreendimentos econômicos, unidades midscale ainda buscam maneiras para sobreviver em meio ao caos que pairou sobre a hotelaria nacional desde março.

Apostando em sua localização, o Hotel Panamby Guarulhos (SP) segue com as atividades e ocupação elevada perante à situação atual. A unidade teve, na semana passada, 60% de quartos ocupados, mantendo 80% de sua equipe ativa. 

Segundo Kelly Sansivieri, gerente Comercial da Panamby Hotéis, a demanda é proveniente principalmente do Aeroporto Internacional de Guarulhos. “Estamos atendendo principalmente a hóspedes que tiveram seus voos cancelados. Também vamos entrar em contato com o grupo de hotéis de Guarulhos que estão se unindo para oferecer tarifas reduzidas”, explica.

Apesar do corpo de colaboradores robusto para o cenário, Kelly garante que pessoas em grupos de risco foram dispensadas e, infelizmente, houve desligamentos. “Funcionários em período de experiência foram demitidos. Para os que ficam, estamos seguindo todas as recomendações de saúde pública. Teremos um abril difícil pela frente, mas nossa principal preocupação no momento são as pessoas”, diz.

Hotéis independentes: interior

Em Tatuí (SP), o Hotel Del Fiol viu os meses de boa performance indo por água abaixo. Para o proprietário, Fábio Vieira, fechar as portas não é uma opção. “Temos que manter o patrimônio. Não podemos simplesmente trancar e ir embora. Estamos com uma ocupação insignificante depois de registarmos ótimos resultados em janeiro e fevereiro”, lamenta.

Com 105 apartamentos, apenas quatro estão ocupados. No quadro de funcionários, 60% foram dispensados em férias coletivas. “Estamos trabalhando muito na manutenção do hotel e precisamos ter gente para atender aos hóspedes. A notificação de pandemia e o aumento de notícias sobre o coronavírus foi o gatilho para a demanda despencar”, comenta Vieira.

Após ficar fechado por uma semana, o Hotel KK, em Itu (SP), voltou a operar na última segunda-feira (30). A mudança foi por conta de ligações de clientes habituès à procura de hospedagem. “Começamos a receber ligações de hóspedes habituais, mas ainda são poucos. Estamos com uma média de dois quartos ocupados por dia”, conta Gustavo Oliveira, sócio da propriedade.

A equipe de 23 funcionários foi reduzida a cinco, mas o hoteleiro afirma que ninguém foi demitido até o momento. “Também não demos férias coletivas. Estávamos aguardando um posicionamento do governo para decidir o que fazer e, agora com a medida emergencial anunciada, vamos adotar as propostas, mantendo os empregos”. 

Segundo Oliveira, a decisão de manter o hotel funcionando é que os custos seriam os mesmos. “Fechado ou aberto, iríamos manter estes cinco funcionários. Para melhorar a situação do hoteleiro, o governo poderia intervir nas contas básicas como água e energia elétrica”, finaliza.

(*) Crédito da capa: Divulgação/Hotel Panamby

(**) Crédito da foto: Divulgação/Hotel Del Fiol

Comentários