Encatho: Simpósio de governança, manutenção e recepção inicia programação

De Florianópolis, Santa Catarina

EquipotelFaria falou sobre as características de lideranças

Aberta oficialmente ontem (24), a edição 2018 do Encatho & Exprotel começou com uma maratona de palestras. Iniciando as atividades, ocorreu agora, pela manhã, o 9º Simpósio de Governança, Manutenção e Recepção. A atividade trouxe chefes de departamento, especialistas, professores e consultores para falar a respeito da base do atendimento hoteleiro e das minúcias que envolvem esses três setores.

Os assuntos, nomes e sequência de palestras trazidas no simpósio foram organizados por um comitê da ABIH catarinense formado por funcionários de empreendimentos da cidade. Lara Perdigão, consultora participante do comitê da organização, ficou responsável por conduzir as ações e apresentar os profissionais que revezaram a palavra. 

"Realizamos workshops, reuniões e o simpósio, numa sequência de três a quatro eventos ao longo de todo o ano", comenta Lara. "Essas ocasiões servem para debatermos temas relacionados ao setor e como eles impactam no cotidiano da operação", complementa a profissional.

Encatho: palestrantes do simpósio

A sequência do simpósio foi aberta com a fala do consultor e hoteleiro Bruno Rodrigues Carneiro Faria. Ele detalhou os tipos de gestores hoteleiros e como eles podem influenciar positiva ou negativamente as equipes. 

"Existem muitos tipos de gestão na área da hospedagem mas o que vemos com mais força hoje são líderes que atuam por poder ou autoridade", articula. De acordo com o palestrante, não é raro ver em hotéis gerentes que utilizam da força do cargo para impor suas vontades a funcionários, o que pode ser danoso para o andamento da empresa. "O mais indicado e o que os donos de hotéis devem procurar são gerentes que liderem pela autoridade, que usem a própria postura para influenciar positivamente".

Escolhendo uma qualidade marcante para determinar o tipo de liderança mais vantajosa, Faria citou a empatia. "Esse tipo de direção não se esconde numa sala e fica dando ordens, ele se coloca na linha de frente e age junto com o time", reforça.

Paulo Corrêa, gerente de infraestrutura do complexo Il Campanario, também teve espaço entre os palestrantes. Oriundo do segmento da construção civil, o profissional fixou-se na hotelaria pela característica dinâmica do ramo. "O ritmo e a quantidade de desafios que o trato com os hotéis nos pede é um vício e por isso é uma área tão encantadora", justifica.

encathoCorrêa focou nas dificuldades para contratação no cenário atual

Mas apesar de sua afeição com o setor, Corrêa não deixa de apontar as dificuldades inerentes ao cenário atual. Para ele, a mão de obra aparece como calcanhar de Aquiles nos setores dos quais está mais próximo - manutenção e governança. A rotatividade de funcionários e a falta de interesse nessas áreas são os entraves que causaram, inclusive uma mudança de perfil entre os contratados.

"Atualmente optamos por gente que tenha mais vontade de crescer e estar conosco em detrimento da qualificação. Quem está disposto e engajado é melhor opção", orienta. 

O simpósio segue no período da tarde. Teresinha Covas Lisboa, da TCL Consultoria e Assessoria, e Carla Trindade, também consultora ainda falam sobre "Aspectos legais da implementação de processos" e "Busca pela excelência de serviços", respectivamente. O painel "Qualidade nos processos internos dos meios de hospedagem" fecha a maratona. 

(*) Crédito das fotos: Filip Calixto/Hôtelier News

Comentários